terça-feira, 20 de novembro de 2012

domingo, 18 de novembro de 2012

VITOR SAPEQUINHA

MARCELO MEU SONHO OBSCENO

DELICIA DO FACEBOOK

PRIMOS VINTAGE

COM O IRMAO MAIS VELHO

NO BANHEIRO DO POSTO VINTAGE

PINTUDOS EM MINHA VIDA

Sou bi meus amigos e vao saber porque sou hj.Quando tinha uns 10 anos de idade, eu logo depois da escola passava na casa de meu colega ele era mais velho uns 20 ja maduro. Ele tinha um desses video games modernos e eu adorava claro.chegava da escola estudava de manhã, tomava banho, comia, e ia. Chegando la ele automaticamente ja me convida pra jogar. Ele fala? Olha comprei um jogo novo, vem aqui que vou te ensinar a jogar vem. Eu fui ele me colocou no colo! Senti uma Sensação diferente e estranha, pois tinha um volume em seu shorts. Mas acha que eu não gostei hum.Enfim ele foi me dando la as intruções e logo aprendi a jogar.Enquanto me divertia com meu joguinho ele se divertia com o dele, esfregando seu pauzão na minha bundinha que te juro gente piscava de vontade de sentir aquele troção.Não demorou muito até ele abaixar minhas calças, ele pegava na minha bundinha e ia abrindo. Foi ai que senti uma sensação mais diferenciada ainda, mais muito boa confesso, ele molhou o dedo e enfiou ai que delicia.Continuei jogando, mas saboreando aquilo até mordia o beiços, e virava os olhos. Ele ia me fanlando abre, e eu ja abria o cuzinho pra ele pois sabia o que ele estava fazendo nao era inocente, mais muito safadoo.Ele ia tacando um, dois, tres dedos, até eu ficar no ponto. Ele disse mais uma vez abre e eu com o coração saindo pela boca de tesão ansiedade sei la, tava amando. Ele colocou o pau dele, nossaa parei de apertar o botãozinhos do controla na hora, só deliciando aquilo. Era quente, eu sentia ele me abrindo me ragando, mas era incrivel. Ele falava no meu ouvidinhu pra ficar ainda melhor, abre pra vc sentir tudo, e eu forçava o cuzinho pra fora, e ele ia metendo devagarinho, eu ja estava ofegando e ele tambem. Ele me pedi pra fazer um pouco, sem pensar duas vezes eu estava de costas pra cara dele viu galera, levei meus braços pra trais, abracei o pescoço dele e ia, nossa nao tinha visto o negocio dele, mais sabia que era bem grande só de sentir, quando chegava bem no fundo, eu revirava os olhos automaticamente, como se nao tivesse controle de mim, e sentia aquilo la no fundo cutucando me dava um tesão muito mais muito forte, eu sentia a pele de sua rola decendo e subindo nossaa que maravilhoso sentir akilo.Hora que ele estava chegando no climax e ergueu minhas perninhas juntinhas pra cima e bombou, ai nao deu pra segurar falei a a a aaa a aa, sabe dando akeles soquinhos na voz uaau. Ai veio o barulho do portão, ele ja tirou rapidinho, passou um paninho no meu cuzinho que tava meladinho da porra dele, e foi pro banheiro. A pessoa era mãe dele, ela perguntou cade o cleber!! eu falei no banheiro, e jogando video game, ela disse tudo bom, disse tudo, e foi fazer comida.Ele nao saia do banheiro e fui embora. Fiquei assim por muito tempo nem lembro quanto, era todo dia, todo dia ele me comia. Mas enfim o tempo passou e eu tinha um colega chamado, arthur. Iamos pra escola e voltavamos junto, quando começou a rolar certas coisas no meio de nossas brincadeiras ainda de crianças.Pois tinhamos o que 12 13 por ai. Estavamos brincando assim, colocavamos a lata no muro quem derrubar primeiro ganhava, ele falo duvida que derrubo, disse duvido se voce derrubar eu pego no seu pinto se vc nao derrubar vc pega no meu, ele falou, beleza, e derrubou. Atras tinha um terreno abandonado cheio de mato, pulamos pra pegar a lata, la ele disse vai vc ce falou agora vai ter q pegar, e tirou pra fora, olhei e nossa ja arrepiou era bem maior do que de uma criança, juro que era mais do que o do meu amigo de anos atras. peguei e bati umas pra ele, e escuitei minha mae chamando nois. Depois de uma tres horas ainda estavamos juntos e casa jogando video game sem se falar pois nao tinha assunto. Foi quando tomei coragem e falei. Arthur bate 20, ele falo vc bati pra mim depois, falei bato, minha mae tinha saido aproveitamos, fomos atras da casa por causa do medo de nos pegarem. chegamos la atras sentei no chao e tirei pra fora e ele começou, depois foi a vez dele, o pau dele era branquinho torto muito torto mesmo pra direita a cabecinha rosinha, cheio de veias e super quentinho. aproveitava que ele estava de olho fechado e ficava manjando a rola dele pois eramos meio infantil ainda gostavamos dakilo que estava fazendo mas nao adimitiamos que eramos gay. ficava olhando e era muito grande, era ja um penis de um adulto tipo uns 17, 18cm juro. por causa da autura dele baixinho ele sentado passavo em 4 dedos do umbigo e eu adimirando ele. e ficamos nisso a tarde inteirinha um batendo punheta pro outro, bate 20, bato, bate 20, bato. aproveitava que ele nao estava olhando, e colocava a rola dele na minha cara, batia ela na minha, dava aquele cheiro de pau no meu nariz e adorava. Passando-se os dias, ficamos uns dias nisso até convidalo pra posar em casa. ele tomou banho em casa ttudo fomos dormir. 3 horas da madruga mais ou menos todos dormindo começamos. só que dessa vez e caiu de boca. e ele manjava o que tava fazendo ossa que delicia. depois que parou de chupar, falou que ia sentar sussurando pois estava todos dormindo. falei espera, agora é minha vez, estavamos parando com infatilidade e indo pro que interessa, falei deita nos seu colchão, estava no chao, e juntou as pernas e lasquei uma chupeta nele, nossa eu adorava chupar a pistolona dele nossa que pica, quentinha nao sei se vcs sao assim mas quando taquei nao boca os meus olhos revirava sozinhos. Era um tesão diferente, nao sai explicar, era muito bom, me desligava do mundo, de tudo viajava chupando o pinto dele, nao tirava da minha boquinha nem um minuto. foi quando ele puxou minhas perna e direcionou a minha rola na boca dele. uau que 69, chupando o dele, ele chupando o meu, ele empurrava minha coxa pra cima e pa baixo. chupava descacando o pauzao dele. até que ele falo vai agora falei vai, ele veio no colo meu e sento nossa, inesplicavel. ele disse que doia um poko mais depois nao falo mais nada. comi ele ate gozar, ou quase gozar, pois meu pinto nao saia esperma ainda. depois minha vez de relembrar um pau em mim ele sentou nao cama era uma cama minha e um colchao no xao pra ele. ele sento na cama e fala vem, nossa ja arrepiei e senti o meu buraquinho pisca. sentei nossa nem senti dor pois ja pratiquei muito com meu amigo de muito tempo atras. mas ele era muito melhor do que o outtro nossa ele erguia, minhas pernas pra cima pois pedia pra ele que era assim que gostava. eu juntava as pernas abraçava o pescoço e ele metendo nossa era muito mais prazeroso pois o pau dele era torto e quando se ajeitava na cama ele batia la no fundo do lado do rabinho e do outro quem nunca deu nao sabe o que perde pois e tao bom quanto comer as vezes ate melhor dependendo do cara. enfim ficamos nisso varios meses eramos inseparaveis sabe akele amigos que fazem tudo junto, depois crescemos e sei la separamos foi cada um prum lado teve uma vez quando tinhamos uns 17 achei que ia rolar pois fumavamos maconha escondido no mato, ficava imaginando o quanto devia ter crescido o negoção dele. ele começou a me atiçar, do mesmo jeito que me atiçava antes, tacava gravetinhos em mim ate eu falar pra ele bater uma pra mim e vice e versa mais nem liguei fui embora pra outra cidade acho que é belo horizonte e nunca mais vi ele. mas tenho que confessar de vez em quando sinto saudade de certas coisas do passado e que queria muito sentir denovo.

VIREI A PUTINHA BOQUETEIRA DO PAPAI

Meu nome é Fernando, tenho 21 anos, e quero contar a vocês como foi que me tornei a putinha do papai. Bom, tudo começou no meu aniversário de 18 anos, papai já estava separado de minha mãe fazia uns 7 anos, e eu só visitava papai duas vezes ao ano, nas férias de julho e dezembro. Quando eu tirei férias no mês dezembro eu estava ansioso pra me reencontrar com papai que morava em outro estado (eu morava em Minas Gerais e ele morava no Mato Grosso). Eu adorava passar as férias ao lado de papai já que ele era fazendeiro próspero e eu sempre podia fazer o que eu tivesse vontade já que ele era muito liberal. A casa la na fazenda era enorme e eu ficava de boa indo pra piscina e caminhando só de sunga pela casa. Não percebia porem que cada vez que eu passava por meu pai ele ficava admirando meu corpo atlético, malhado, bem sarado mesmo. Numa noite, muito especial, papai me convidou para ir ao seu quarto, e colocou um filme pornô... Aquele era O Filme pornô! Assistíamos cada cena sem piscarmos os olhos, quando der repente percebi que papai estava com o pau totalmente duro e inchado e começava a bater uma punheta... Nossa, eu não me lembrava de ter visto o pau do meu pai antes, e nunca tinha visto um pau daquele... Grosso, cheio de veias, a cabeça do pau brilhava refletindo a luz que partia da TV. Enquanto eu fiquei admirando o pau do meu pai vimos uma cena no filme que seria o início pra nossa aventura. Dois homens que antes comiam juntos uma mulher agora estavam chupando um o pau do outro... Eu olhei pra papai e disse: Olha ai pai, o cara chupando o pau do outro. Como será chupar um pau ein... Sem ao menos pensar e com nenhum pudor papai logo respondeu: É uma delicia filho! Você nem imagina como é bom! Sabe eu já chupei um, o de um cara que trabalha aqui pra mim... O mais gostoso é o sabor da leitinho que sai quentinho... Ai... delicia! Logo que percebi que papai não tinha vergonha de falar sobre esse assunto pra mim, eu me aproximei mais dele e disse: Posso saber se é bom mesmo? Posso chupar o seu pau? Papai olha pra mim e diz: Pode sim, ajoelha aqui e chupa meu filho, chupa bem gostoso vai. eu que já estava nu, tirei a bermuda de papai e comecei a chupar aquele pau grosso... Era tão grosso e tão grande que não consegui coloca-lo todo em minha boca... Como eu nunca tinha chupado um pau antes eu comecei meio sem jeito, mas logo fui fazendo direitinho... Eu chupava, mamava, sugava com os lábios e com a língua como se fosse uma chupetinha... Ah... O melhor veio quando papai deu aquele gemido alto e senti o seu pau pulsar em minha boca... senti o leitinho de papai encher minha boca... ele gozou tanto que ate escorreu um pouco... O sabor daquele leitinho quente era tão gostoso que eu não quis logo engolir... fiquei mastigando aquela delicia enquanto via pai sentado na cama já sem forças e admirando ver seu filho se tornar uma putinha boqueteira... a sua putinha. Depois de saborear bem o gosto da porra de papai eu enfim engoli tudinho, e passei as melhores férias de minha vida ao lado de meu pai, sendo sua putinha boqueteira e ele meu macho dominador... Hoje, trabalho na fazenda como ele administrando seus negócios e quase toda noite ele me dá do seu delicioso leitinho.