sexta-feira, 28 de agosto de 2015

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

BRINCOU COMIGO E EU GOZEI NELE

Era terça feira de manhã. Eu acordo bem sedo, geralmente cinco horas. Tenho uma academia que montei aos poucos. Depois de uma hora e meia malhando pesado, eu para e avalio no espelho. Meus músculos estavam adquirindo uma ótima definição. Meu tom de pele me ajuda; e com essa cintura sequinha, eu podia me sentir mais jovem. Alguém bate na porta. Vou abrir e Miguel aparece, de bermuda e camiseta. Ele tinha o costume de malhar comigo algumas vezes, mas tinha achado que nunca fosse vê-lo de novo. - OI Gui! - Entra ai! Ele entrou e foi para a área com os aparelhos. Ele pegou um alteres e mediu o peso, depois me olhou nos olhos. - Não vou comer você tá! - De boa! - Desde quando você gosta de dar a bundinha?- e foi sentando para iniciar uma série. - Você foi a terceira pessoa que comeu meu cu. Eu prefiro comer uma bunda.- e fui em direção ao banheiro tirando a camisa. - Então você gosta de uma pica? só pra mamar?- e da porta do banheiro, ouvi sua risada sarcástica. Eu nunca tive muita paciência com heterossexuais; que só porque descobrem que somos gay; querem nos tratar como se estivéssemos, nas mãos deles. Conhecia Miguel e sabia como ele podia ser cruel e preconceituoso. Eu estava só de cueca, quando voltei a sala enfurecido. - Escuta aqui!- ele estava sentado na cama extensora. Eu apontei o dedo em seu rosto, e fiz questão de falar bem claro e mais alto.- Se você pensa que vai me tratar igual a lixo, pode tirar seu cavalinho da chuva. Eu tenho orgulho de quem sou, e não vou tolerar gracinhas suas. Se quiser ser meu amigo eu aceito, mas não vou virar uma dessas putinhas que esta acostumado a receber um bola gato. Me respeita que eu sou homem! Seus músculos dos braços estavam explodindo de exitação, por causa do exercício, suas veias saltando, seus peito largo esticando a camisa, e tinha um volume apontando para baixo, dentro da bermuda. Miguel levantou de um salto, e tão puto quanto eu, encostou a testa na minha e aproximou seu corpo do meu, me olhando nos olhos; que eu devolvi com mais determinação ainda. Ele esbarrou em meu ombro e saiu. Fui trabalhar, e lá converso um pouco com Vegas. Dessa vez nada de sexo. Era minha semana com ele, no seu tour pela empresa, e aproveitamos para conversar sobre a vida. Ele era casado com uma mulher enorme de gorda; tinha três filhos, e muita divida para pagar. Disse nunca ter feito sexo com homem, mas que gostou de dar a bunda. Eu o tranquilizei dizendo que isso, jamais sairia de nós dois. Mesmo assim ele disse que era melhor parar por ali, antes que fizesse uma loucura, e eu concordei; afinal; não era isso que queria. Fazia muito tempo que não me envolvia com alguém, e agora dois caras seguidos, me deixou meio fora de si. Eu encontrei Jacó no ônibus e ele sorriu para mim, ajeitando a cueca na coxa. Eu passei pelos caras na quadra do play; suados, sem camisa, com aqueles shorts pequenos, molhados; onde toda ora coçavam a virilha, puxavam o pau para ajeitar e se roçavam. Entrei no elevador ciente da minha ereção marcando a calça, mas não tinha jeito de esconder aquilo. Cheguei em casa e pus um filme porno, na esperança de gozar na cueca sem tocar no pau. Eu adoro a sensação, é tão intenso. Na sexta. Depois de umas biritas com o pessoas da empresa, cheguei em casa de carona com Vegas, que se despediu com um tapinha na minha coxa, e subi. Cai no sofá de tão cansado. quando acordei, vi o celular piscando a luz, e vi uma mensagem no whatsapp. Abri e vi que era uma foto da pica de Miguel. Eu ainda não tinha visto com tempo, e fiquei impressionado, com a cara de pau dele. Mesmo assim acordei de novo com a pica explodindo na calça social. Mandei outra mensagem, perguntando de quem era a foto, ele me devolveu, com uns emoticons sorrindo. Eu então mantei uma foto de meu rosto, com um sorriso de sono, e escrevi,- não me impressionei. Ele me manda outra, da cintura para baixo, a pica dura feito roxa, e as coxas. Eu entrei no jogo, e tirei o pau para fora fotografei e mandei. Levou vários minutos até ele mandar alguma coisa. Era uma foto de corpo inteiro no espelho, com o celular no rosto, com o pênis todo coberto pela mão, escrito- estou quase explodindo de tesão!. Fui tirando a gravata e os sapatos, mandando uma mensagem para ele dizendo, que devia bater uma e dormir. ele mandou uma foto de uma cara dormindo com a pica dura dentro do pijama Sai da ducha e olhei no celular, e vi 27 mensagens dele; entre fotos dele pelado, e de outros caras, á mensagens perguntando de mim, e se ia responder. Tirei uma foto de corpo inteiro pelo espelho do banheiro levantando a virilha e com a pica na sua reta, fazendo careta. Me troco no quarto, visto uma calça de sarja e camisa. Olho no celular e ele diz que esta na minha porta. ignoro, e espero ele bater. Ele levou um tempo para bater, mas assim que fez, eu corri e abri. ele entrou com um sorriso, e perguntou, se estava sozinho. Eu disse que sim. - Ai cara! não vai rolar nada não tá!- falou sem graça- Quer bater uma punheta comigo? - Eu não sou muito de punheta, mas se quiser posso colocar um filme para assistir. Coloquei um filme de porno hétero, bem quente. Ficamos sentados no sofá, dando uns sorrisinhos amarelos um para o outro. Miguel coloca seu para para fora e inicia a bronha. Ele batia a punha e me olhava de vez em quando, com um sorriso safado. Ele estava com a bermuda nos joelhos, a camisa presa no pescoço. Não vendo reação minha, ele colocou a mão na minha cintura e sentiu a pica pulsando. Ele apertou meu pau algumas vezes, jogou a cintura para cima, e gozou no peito, gemendo e respirando forte, se jogou de volta no sofá. eu fui no banheiro e trouxe uma toalha. Ele se limpou e ficou conversando comigo, já vestido. - Não quer gozar? - Até quero! mas gosto mesmo é de meter! - Você é esquisito! que cara não gosta de uma bronha? - Um monte ai! - Quer que bata uma pra você?? - Não precisa! - Pô cara! fala ai! que eu vejo se desenrolo pra você aliviar!- e apertou minha pica por cima da calça. - Só se pagar um boquete pra mim! - Sai fora viado! quer morrer? E veio pra cima de mim, me dando um soco no estômago. Eu fiquei sem ar e segurei seu corpo, para ele não ficar com as mãos livres. ele socou minha costas, abraçado a mim, rolando do sofá até o chão. Ele tentou puxar meu cabelo, mas escorregou de sua mão; eu meti um soco no seu peito; e aproveitando sua falta de ar; fiquei de pé e dei um chute na sua barriga. ele se dobrou em posição fetal, mas mesmo assim deu um coice na batata da minha perna; eu me desequilibrei e cai em cima da luminaria da mesinha de centro, espatifando tudo. - Eu vou ti quebrar tudo, seu viadinho!- gritou ele levantando, e vindo em minha direção. Ele deu um soco no meu braço, mas eu o empurrei e ele bateu na mesa da cozinha, batendo as costas. Aproveitei e dei um direto no rosto dele. Miguel rolou da mesa para o chão, e ficou ali de bruços. Peguei ele pela a gola da camisa, levantei e joguei ele de bruços nas costas do sofá, empinando sua bunda. - Me larga!- resmungou baixinho, entre os dentes. Dei um peteleco na nuca dele. - Cala a boca senão digo pra tudo mundo a bichinha que você é. Vou falar que você é doido pela minha pica. - Eu mato você! - Mata nada! tá vendo meu notebook ali. A câmera tá ligada. As imagens estão indo direto para meu e-mail. Se você tentar alguma gracinha. Alguma hora alguém vai ver isso. - Seu desgraçado filho da puta! você não tem caráter?- vociferou cuspindo. - Você achou mesmo que ia brincar comigo? Agora vou ti mostrar a ter respeito... Puxei de forma bruta sua bermuda para baixo, coloquei o pau pra fora, e comecei a roçar no meio da sua bunda. ele tentava me empurra, mas em segurei firme seus braços. Ele bufava de raiva, e seu pescoço escureceu de sangue, mas em nenhum momento falou para mim parar. Eu tentei meter no seu cu , mas tinha muito cabelo. encostei a cabeça e fui forçando, roçando. Ele tremia, mas suas mãos estavam firmes para trás. Rocei e rocei muito, até que gozei espirrando porra na suas costas e camisa, sujando toda sua bunda. Eu o soltei e deixei ele cair no chão, respirando forte. Quando olhei, vi que estava de pau duro, com uma baba colada em toda pica. Continua...

CAI DE BOCA NO TITIO

Me chamo Caio, tenho 23 anos, moreno claro, 179m, 72kg e 20cm de dote. Bem, agora que já me apresentei, vou contar o que ocorreu duas noites atrás. Certa vez, li o conto "Meu sobrinho curioso" e fiquei com certas idéias na cabeça. Sou um cara digamos, normal, tenho namoradas ou ficantes, pois sou um cara boa pinta e sempre tenho garotas no meu pé, porém escondo desejos de experimentar uma transa com algum cara, visto que já me senti atraído por vários carinhas da faculdade. Bem, ocorre que lendo o citado conto, algo atiçou em mim a curiosidade. Tenho um tio 3 anos mais velho que eu e que sempre que está na cidade, dorme na minha casa. Existe um quarto de hóspedes, mas nesse dia estava ocupado por duas amigas de minha irmã que passariam alguns dias aqui. Devido a idade semelhante entre nós, eu e meu tio sempre fomos muito próximos, falamos de sacanagens e tudo mais, de modo que mais parece um primo do que um tio. Com a chegada dele resolvemos que ele dormiria no meu quarto e as meninas ocupariam o quarto de hóspedes. Saimos para lanchar, tomamos umas cervejas e resolvemos voltar para casa, mas eu sempre com meus pensamentos libidinosos, pois sabia que ele estaria ali ao meu lado durante a noite. Bem, voltamos depois de um tempo e troxemos algumas cervejas para tomarmos em casa e como todos já haviam se deitado, entramos no quarto e ficamos comentando coisas banais. Eu sugeri que ele tomasse um banho e usasse para isso o meu banheiro, e ele já meio alto, topou. Tirou a roupa e sempre falando coisas do dia a dia. Eu tive que disfarçar para que ele não percebesse a ereção que se fez sob minha cueca ao vê-lo ali peladinho e com aquele pau pendurado entre as pernas. Ele tomou seu banho e eu preparei o colchão em que ele dormiria, intencionalmente, ao lado de minha cama. Ele saiu do banheiro e deitou-se. Eu então sugeri que vissemos um filme de sacanagem que tinha guardado. Coloquei o filme na esperança de que isso fosse acendê-lo, mas devido ao efeito da cerveja, em poucos minutos ele dormia, e eu ali cheio de pensamentos sacanas. Vi o filme inteiro sem prestar atenção, pois apenas observava meu tio que dormia só de cuecas, ali ao meu lado. Foi quando me lembrei do conto do Mix e resolvi tomar uma atitude. Comecei passando de leve a mão em suas coxas, apalpei levemente seu pau sob a cueca e aos poucos fui passando a mão com mais pressão em sua barriga, peitos e para minha surpresa, seu pau começou a crescer. Ele apenas resmungava coisas desconexas. Resolvi então ser mais ousado e levemente coloquei um dedo, depois outro e mais outro sob sua cueca e seti aquela rola que eu tanto desejava naquele momento ficando totalmente dura. Passei o dedo de leve na cabeça de seu pau ele somente soltou um suspiro. Aí então eu pensei: É agora ou nunca! Baixei-lhe a cueca e comecei a dar lambidas naquela rola, que a essas alturas, já estava em ponto de bala, até que abocanhei por completo e senti o gostinho da pica de meu tio em minha boca. Nesse ponto, eu já não pensava em mais nada e iniciei uma chupada como eu imaginava que deveria ser. Lambia a cabeça e descia até a base e meu tio de olhos fechados. Depois de alguns minutos nessa sacanagem, tamanho foi o meu prazer, ao sentir que meu tio segurava minha cabeça e forçava o pau em minha boca. Chupei loucamente, ouvindo os gemidos de meu tio, até que ele sentou-se e sem dizer nada, arrancou minha cueca e passou a retribuir minha chupada. Que delícia sentir a boca de meu tio engolindo minha rola e gemendo enquanto me acariciava o saco. Nos deitamos e sem que eu esperasse, ele me deu um beijo que me levou a loucura, passando a mão pelo meu corpo e só então ele disse algo, que foi: Vc tem camisinha? Eu, mais que depressa, levantei-me e peguei as camisinhas na gaveta da cômoda, entreguei-lhe e ele, logo tratou de vestir sua rola, abriu minhas pernas e colocou-as apoiadas em seus ombros. Daí então começou a cravar-me aquela rola que tanto desejei. No início doía um pouco, mais depois, com o vai e vem que ele iniciou, comecei a sentir um prazer imenso em ser enrabado pelo meu tio. Ele bombou cada vez mais forte até que entre gemidos abafados eu senti que ele gozava e eu também gozei numa gostosa punheta enquanto seu pau amolecia em meu rabo e ele exausto, deitou-se ao meu lado, deu-me outro beijo e fechou os olhos. Eu fiquei ali pensando em tudo aquilo e adormeci, só acordando no dia seguinte, quando ele já havia levantado e se preparava para sair. Não tocamos mais no assunto. Sei que foi real, pois eu joguei fora no dia seguinte a camisinha usada por ele. Espero vê-lo novamente em breve e quem sabe, repetir-mos a nossa sacanagem entre tio e sobrinho. E quando isso acontecer, com certeza, contarei aqui novamente.

COMENDO O CUNHADO DISCRETO E SAFADO

Me chamo Anderson,tenho 20 anos,Branco,olhos castanhos,cabelo preto,um pouco alto,um corpo sarado e um pau de 18 cm! ativo! Viajei pra outra cidade para ingressar em uma faculdade,pois onde eu moro não tem muitas oportunidades. Mas depois de um ano estudando,longe de casa,da minha mãe e da minha irmã de 17 anos! Voltei,pois a faculdade entrou em greve por tempo indeterminado! Mas tive que deixar a minha atual namorada na cidade onde eu estudava! Cheguei e abraçei as duas,pois estava com saudades! Os dias se passaram e eu passava o dia em casa,a minha mãe ia trabalhar e minha irmã estudava á tarde, então eu ficava só,com aquelas calça de jogador de futebol no sofá assistindo Tv. Pois aqui faz muito calor! Até que em uma noite,eu e minha mãe estávamos na sala assistindo tv e a kelly (Minha irmã) estava no banho! e alguém bateu na porta,eu fui abrir,mas não reconheci a pessoa! Ele era alto,branco, quase do meu tamanho,Loiro,usava um óculos estilo nerd,sorriso bonito e uma bundinha linda (Fui saber depois rsrs). Ele disse: _A kelly está? _Está sim,você quer falar com ela? _Sim! _Você vai ter que esperar um pouco,pois ela está no banho! _Não tem problema,eu espero! Perguntei se ele queria entrar e disse que iria esperar ela na varanda! Então fiquei ali conversando com ele! e ele disse: _Posso te fazer uma pergunta! _Pode sim! _Como você se chama? Eu nunca o vi aqui! _Me chamo Anderson,Sou irmão da kelly! _Ah! O que estava na faculdade? _Eu sim! Como ele podia saber disso? _A kelly fala muito bem de vc! _Ata! e vc é colega da kelly? _Não sou o namorado dela á quase 5 meses! Me chamo kevin e tenho 19 anos. Ele falou! _Ata! É melhor vc tratar bem a minha irmã,senão eu te parto ao meio! Falei brincando! _Ele ficou Meio com medo! E Eu disse que era brincadeira! Rimos! E a minha irmã chegou e eu disse que iria entrar,ele disse que me achou muito legal! Dias se passaram e eu arrumei uma ficante no bairro! Uma loira linda e gostosa! Nem me lembrei da minha namorada! Fiz amizades! E o kevin,ia quase todos os dias em casa á noite,ás vezes dormia lá! e eu levava a minha ficante pra "dormir" comigo! As vezes,eu o pegava olhando pro meu volume,mas eu não achava nada demais. Até que em um determinado dia ele chegou de manhã,pois disse que a noite não poderia vir! Ficou a manhã toda, ele almoçou conosco! Passaram se as horas e a minha irmã foi pra escola e a minha mãe foi trabalhar e ele disse que iria ficar mais um pouco! Ficamos só nós 2 em casa no sofá,assistindo e conversando,estava muito quente e fui colocar o calção verde de futebol, tirei a camisa e voltei pra sala! Sentei ao seu lado,pois em casa tinha um único sofá! Ele estava suando e mandei ele ficar á vontade! As vezes eu tinha a sensação que ele ne olhava dos pés á cabeça! Ele tirou a camisa e ficou só de óculos! Ficamos assistindo por um bom tempo calado,até que ele disse: _Você faz academia? E eu disse: _Não! Não tenho muito tempo na faculdade! _Mas como você consegue manter o seu corpo malhado e a barriguinha tanquinho? Estranhei a pergunta e vi que ele olhava,pra minha barriga! E respondí brincando: _É que eu corro ás vezes e jogo futebol,quando eu tenho tempo! Mas o que me faz ficar em forma mesmo é o sexo! _Ele ficou meio com vergonha e deu aquele sorriso amarelo! E pra quebrar o gelo eu disse: _Você também não fica atrás,você é malhado,falei sem segundas intenções,apenas tentando puxar conversa!! _Obrigado! E ele olhou pro meu braço e viu as tatoos! _Vc tem quantas tatuagens? E eu disse: _Muitas,mas a maior é um dragão! ele me observou e disse: _Onde? _Na minha cintura! No lado! Desce até abaixo da minha cueca! (Risos) Disse eu abaixando um pouco o calção! Vi que ele tremeu na base e tirou os olhos rapidamente de mim! _E vc? _Eu não tenho! Vi que ele suava e estava ficando excitado,tentava disfarçar! _Foi nessa hora que percebir que ele gostava de homem! Eu já tinha comido uns amigos,na faculdade também! Pois sou ativo,mas é dificil eu me envolver com homens! Eu também fui ficando excitado e resolvír,botar lenha na fogueira! _Cara! Eu vou tomar banho,esta muito quente! Levantei e fui ao banheiro! Terminei e pedi pra ele levar a minha toalha que eu tinha esquecido (Propositalmente). Deixei a porta do banheiro aberto e ele entra,meio com vergonha! Eu estava nu, no chuveiro! Ele me entrega a tolha e olha pro meu pau rapidamente e eu percebi! Ficou com vergonha de mim,ele saiu dali! Saí do banho enrolado em uma toalha e com uma cueca boxer branca por baixo! Ele estava assistindo, Até que eu fiquei em pé do seu lado,evitava me olhar e eu disse: _Está aki a tatuagem de que eu falei! abaixei um pouco o elástico da cueca até a altura dos meus pêlos aparados,ele olhou e vi ele se contorcer,tentando esconder a sua excitação! Eu disse: _Só as minas privilegiadas conseguem ver essa tatuagem inteira e o meu pauzão! Ele riu e disse em tom de desafio! _É porque elas ainda não viram a minha! Só a sua! Se elas me olhassem ,iam gostar,aposto que a minha é maior que a sua! Saquei a jogada dele,ele queria ver meu pau. Entrei no jogo: ._ Até parece,a minha é mais grande e grossa! _ A minha tem 17 cm! E eu disse: _A minha tem 18 cm! Ganhei!! _Aposto! esse teu pauzinho aí? não acredito! _Você ainda não viu dura! _ as minas nem sentem! _Vc quer ver ela dura? Pra eu te provar que o meu é maior? _Duvido! Joguei a toalha no chão! e fui abaixando a minha cueca devagar,o meu pau já estava duro, eu abaixei a cueca totalmente e o meu pau pulou,batendo no meu peito! Estava duro e babando! _Ele não conseguia tirar o olho do meu pau,tentou disfarçar e eu disse: _Cadê? Mostra a tua? Ele meio relutante,com vergonha,levantou ,abriu o ziper,baixou a calça até os joelhos! Ele tinha uma barriga definida também! Ficou só de cueca boxer verde,baixou a cueca e eu pude ver o seu pau! Não curto um pau,mas vi o dele! Era do tamanho do meu mais ou menos,sem pêlos e mais fina um pouco,cabeça rosa,torta para o lado e um sacão grande igual o meu! Estavamos os dois em pé excitados,ele não tirava os olhos do meu pau um segundo! e eu disse: _Mas a minha é mais grossa! E ele ascenou com a cabeça e continuou olhando! Eu partí pro ataque: _Pode ver de perto se você quiser,pode pegar! Sem problemas! ele olhou pra mim,acho que estava com medo de fazer! _Pode deixar,não vou contar pra ela,ninguém vai saber,vai ficar entre nós! _Tem certeza? vc não vai contar pra ninguém mesmo não? Se contar eu te mato! _Relaxa! vai ser nosso segredinho cunhado! agora pega! E ele não duvidou! Ele se abaixou e pegou no meu pau,todo melado! apalpou,começou uma leve punheta por alguns minutos! E eu disse: _Cai de boca! Pode chupar! Ele não perdeu mais tempo! Começou lambendo,igual um pirulito,abocanhou o meu pau,chupava bem gostoso,parecia que ja era experiente e já tinha feito antes! Fazia movimentos circulares na cabeça, descia todo até as minhas bolas chupava uma por uma e voltava a chupar o meu pau todo,fazia garganta profunda! As suas duas mãos estavam na minha cintura e as minhas faziam carinho nos seus cabelos,eu estava de olhos fechados,curtindo o momento,sentindo a lingua áspera de macho do meu cunhado no meu pau! Imagine a cena! Dois jovens de 19 e 20 anos,sarados, no meio da sala num calor escaldante,fazendo sacanagem!Um chupando o pau do outro! Até que anunciei que ia gozar: _Mas rápido kevin ,tou quase gozando! chupa,chupa o meu pau,chupa o pau do teu macho vai! _ vou gozaaar... Gozei litros de porra na sua boca! Enchir a boquinha do cunhadinho com meu leite! Ele engoliu tudo,chamei ele pra tomarmos banho! Fomos pra debaixo do chuveiro. Ele me lascou um beijo de lingua, ele ainda não tinha gozado! O tezão era tanto que resolvir bater punheta pra ele! Era estranho pra Mim,pegar no pau de outro homem! Mas eu queria dar prazer á ele! Fiquei em pé por de trás dele e coloquei a minhas mãos pela frente quase o abraçando! Eu o masturbava, mordia a sua orelha e passava a mão no seu tanquinho! Até ele gozar muito! Meu pau endureceu de novo,pois encostou na sua bunda grande e lisa,ele queria chupar de novo,não deixei, pois tinha outros planos pra ele,e fomos pro quarto... (Continua

PAPAI ME ENCOXOU E GOZOU PART 2

Depois de ter gozado em mim, meu pai ficou bem tarado, toda hora ele passava a mão na minha bunda ou ficava apertando o pau. Quando mamãe chegou, ele sossegou um pouco e foi tomar banho, enquanto eu fiquei na sala vendo tv, e mamãe foi preparar a janta. Papai saiu do banho e foi pra cozinha, enquanto eu fui tomar o meu banho... minutos depois estavamos os 3 na cozinha jantando.. Mais tarde, na hora de dormir, mamae me deu boa noite e ficou com meu pai na sala, subi pro quarto e me deitei. passado alguns minutos, papai entra no quarto e diz - vim dar boa noite pro meu bebezinho me deu um bjo na testa e fez carinho - boa noite papai meu pai foi ate a porta e olhou pra fora,voltou correndo pra cama e deitou atras de mim.. me apertou contra seu corpo e começou a roçar na minha bunda. Mesmo ele sendo gordo, ele conseguia encostar em mim. Logo ele levantou e tirou o pau pra fora e mandou eu pegar nele..o que fiz e fiquei mexendo conforme ele ensinava... de olhos fechados e ofegante, ele apertou minha mão contra o pau e ficou fazendo os mesmo movimentos.,.. escutamos barulho e papai guardou a pica, e foi pro seu quarto.. eu voltei a deitar e me cobrir... percebi meu pau durinho e comecei a mexer nele, como mexia no do papai. ate q veio uma coisa muito gostosa e eu tremi todo... e adormeci. No outro dia, minha mãe me acordou pra ir á escola, desci pra tomar café, papai estava na cozinha comendo, e mamãe me deu um beijo e foi trabalhar.. Meu pai entra mais trade no serviço, sempre me leva a escola. sentado pra tomar meu cafe, vi papai levar mamae ate o carro dela e se despedir.. Logo ele volta e diz que me ama.. me da um abraço e um beijo.. e faz uma pergunta. - quer tomar um leitinho diferente hoje? - que tipo de leite? - vem aqui meu bebe Nisso, papai abre o ziper da calça e põe o pau pra fora.. começa a bater uma devagar e pede - põe a boquinha nele põe (ele tava muito tarado) eu sem saber o que fazer vou aproximando minha boquinha e coloco devagar a cabecinha na boca e vou chupando - isso delicinha chupa mais vai tento engolir mais e nao cabe tudo, papai soltava uns sons pela boca e mordia os labios eu ia chupando devagar como se fosse um sorvetinho, e ate que tava bem gostoso aquele pau branco e peloudo na minha boca... papai solta um urro e começa a gozar na minha boca - isso vai porra engole tudo caralho aaaahhh eu consigo engolir uma boa quantidade, mas me engasgo e acabo deixando o resto cair.. papai pega papel toalha e fica se limpando, pede pra eu limpar o chao e a mesa, enquanto manda eu tomar alguma coisa pra tirar o gosto... depois de alguns minutos, ele me leva pra escola e vai trabalhar.. No proximo conto vou contar como foi a visita de uns parentes.

SACANAGEM NAS FERIAS..

Oi queridos olha eu aqui de novo rsrsrs para contar mais uma de minhas aventuras para vocês espero que gostem e sem mais delongas. Bem na época tinha uns 16 anos era mês de julho fazia tempo que eu e minha família não viajávamos, então resolvemos visitar nossa parentada do interior e mesmo sendo no interior a casa era grande e dava para um monte de gente como haviam quartos no andar de cima e no de baixo dividimos, em baixo ficaram as mulheres, ou seja, minha mãe, minha avó, minha tia, minha prima e a filhinha dela, em cima ficamos eu, meu tio e meu primo, bem meu tio era professor de ed. física por isso tinha um corpo de dar inveja, definido e meio peludo era alto olhos castanhos,pele morena cabelos castanhos e lisos, meu primo não ia muito atrás ele era um ano mais velho que eu tinha um corpo um pouco definido, lisinho, meio loiro, olhos castanho mel, cabelos negros e meio cacheados; bem acho que eu não me descrevi nos últimos contos, eu tenho olhos castanhos escuros, cabelos negros e lisos, não sou gordo nem magros, tenho curvas meio femininas e bunda grande kkk. Bem os dois primeiros dias se passaram bem devagar, as vezes eu entrava no banheiro e sem querer via meu primo ou meu tio pelados, eles riam da minha cara vermelha, mas o que eu posso dizer é que meu tesão crescia por aqueles dois deliciosos. Em uma noite acabei acordando no meio da madrugada foi ao banheiro de cima pois estava apertado, mas a visão que tive quando entrei foi ótima, meu primo e meu tio se beijando, ele viraram pra mim e deram sorrisos maliciosos : - O que temos aqui - meu tio disse - Pensa que nós não sabemos que você se excita ao nos ver sobrinho - meu tio isse com um sorriso safado - Que tal você ser nossa puta hoje- eu estava estático mas respondi indo na direção dos dois e comecei a beijar meu primo enquanto pegava n pau do meu tio - vou encara isso como um sim - meu tio disse aproveitando a massagem que eu fazia no seu pau que já estava endurecendo, meu primo me beijava como um animal sedento, sempre apertando minha bunda - agora você vai ser minha menininha obediente - meu tio disse - tira essa roupa agora - sem falar nada e cheio de tesão eu tirei minha roupa os dois arregalaram os olhos e depois sorriram de um jeito safado - caralho meu sobrinho querido se eu soubesse que você era gostoso desse jeito ja tinha te comido antes, essa bunda eu quero ela - ele sorriu - de quatro puta Fiquei de joelhos no chão, meu primo tirou a roupa mostrado seu pauzão duro de uns 19 cm na minha cara, nem esperou e puxou minha cabeça me fazendo mamar aquele pau delicioso, moreno e lisinho, ele fodia minha boca com aquele caralho, enquanto chupava meu primo sentia meu tio lambendo meu cu depois de babar bem, ele meteu o dedo fazendo um vai e vem delirante eu gemia de prazer levando dedada e chupando uma rola gostosa demais, meu tio e meu primo trocaram de lugar, meu primo nem esperou e ja foi me enrabando de uma vez eu quase grite quando entrou tudo de uma vez, e sem esperar começou ja metendo forte, rápido e fundo, foi então que eu vi o pau do meu tio tinha uns 22cm, mas o que impressionava era como era grosso,cheio de veias e peludo, ele começou a meter na minha boca eu mau conseguia engolir sem engasgar, mas era bom, então meu tio disse que queria comer meu cuzinho, ele trocou de lugar de novo e começou a meter, porra em me sentia sendo rasgado com aquela tora entrando em mim: - Caralho você é muito apertado e quente - ele disse - Concordo - meu primo disse - agora vai mama aqui no primão - comecei a chupa-lo e sem avisar meu tio começou a me comer freneticamente aquele monstro me alargava todo, eu sentia como se estivessem metendo uma tora em mim, como era bom sentia seus pelinhos encostando na minha bunda eu gemia alto, por sorte não dava para escultar nada la de baixo: - Porra tio me fode gostoso - Isso sua vadia geme pra mim vai - disse ele fazendo eu voltar a chupar meu primo, eu sugava com força, logo meu primo segurou minha cabeça e começou a gozar, eu me engasguei um pouco, mas engoli tudo e logo eu gozei no chão apertando o pau do meu tio com o cu que depois de mais umas duas metidas gozou feito um cavalo me enchedo por dentro depois que ele tirou o pau, meu cu ja espelhia a porra dele: - De hoj

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

FLAGRADO COMO FILHO DO PASTOR PART 2

Bem galera vou continuar meu relato, pra quem ainda não sabe eu sou Branco, aproximadamente 64 kg, olhos verdes claros, cabelos castanhos claro, aproximadamente 1,78 de altura, 20 anos. Depois que despedi do meu vizinho, e entrei todo sorridente em casa Gabriel com cara de desconfiado olhou pra mim e perguntou: - Que sorrisinho é esse ? quem estava lá fora ? - Nada uai, só meu sorriso normal. Era o Jeferson. - o que vcs conversaram ? - nada uai, falei pra ele não falar nada com ngm sobre o que ele viu. - hum sei. Aproveitando que vc ta de bom humor, deixa o lanche lá na mesa e vem aqui me fazer um carinho ( falou apontando pro pau). Obedeci e comecei a bater uma pra ele e em seguida chupando. Depois das 7 da noite todos estavam em casa já, Gabriel continuava lá pq o pai dele deixou ele dormi aqui. Minha mãe resolve fazer uma janta simples mais bem caprichada, e pra nossa surpresa adivinha quem veio ?? Sim, o meu vizinho e a mãe dele. Gabriel ainda estava meio nervoso pelo fato do cara ter visto a gente se pegando, mas eu acalmei ele. Depois do jantar meus irmão foram jogar vídeo game na sala e meus pais conversavam com a vizinha. Chamei Gabriel e Jeferson para ir pro meu quarto ( que tbm tinha um vídeo game). Lá conversamos bastante. Mas nada de tocar no assunto demais cedo. Eles foram em bora e o sol mau nasceu e o pai de Gabriel bate no portão pra levar ele pra casa pois não teria tempo depois. Na hora da despedida demos um beijinho rápido só pra não passar batido. Durante esse dia iria ficar sozinho novamente, dormi até umas 10 da manha, acordei com gente batendo no meu portão. Fui atender todo desarrumado, sem camisa, cabelo mal arrumado olhos meio fechados, quando abri o portão dei de cara com Jeferson me olhando e rindo. - Te acordei Paulo ? - não, não tava acordado já ( falei rindo) - nossa cara vc tá... horrível kkk - haha, entra ae mano. Ele entrou e ficamos na sala, como tinha acabado de acordar pedi que ele esperasse eu tomar uma banho rápido enquanto ele ficava na sala me esperando. Tomei um banho rápido mas bem caprichado, já estava todo arrumadinho. Sai e fui pra sala quando pisei na sala Jeferson disse: - uau, agora ta show de bola. - obrigado, eu tento. Kk Lanchamos juntos e conversamos um bom tempo e sem saber como tocando no assunto SEXO. A conversa foi ficando quente e ele novamente me fala sobre a ex e diz que tava louco por uma mamada, senti a indireta pra mim mas não queria trair o Gabriel pq eu gostava muito dele, foi ae que eu falei. - cara se eu não tivesse com o Gabriel eu teria o prazer de te ajudar se vc deixasse. ( falei meio sem graça) - serio Paulo ? me diz porque você me chuparia ? Nessa altura eu tava muito, mas muito sem graça, tava passando mil e um pensamentos na minha cabeça mas acabei falando: - uai mano, você é gato, tem um corpo legal, e parece ter um pau grande, qualquer pessoa iria querer te chupar ,gay ou mulher. - então quer dizer que você me acha gato né ? kkkk seu safadinho. Rimos juntos ae ele solta na lata. - Paulo, pensa assim, vamos fazer um acordo, você me chupa e eu não conto pra ngm nem que você me chupo e nem que eu te vi na sala com seu amigo lá. GELEI NA HORA. - você esta me chantageando Jeferson ? - não, claro que não, isso é uma troca de favores, vai me dizer também que você não quer fazer isso ? Realmente eu queria, mas relutei um pouco por causa do Gabriel, mas acabei sendo rendido pelo tesão, não sei o que aconteceu comigo, ele era muito sex e de alguma forma mexeu muito comigo. - ok então Jeferson, topo fazer isso, mas ngm pode ficar sabendo de nada, amo muito meu namorado e não quero terminar com ele por isso. - beleza, vamos pro seu quarto ? pode ser ? Concordei e fomos em silencio, ele chegou e ficou olhando tudo, meus posters, minha coleção de cds, vinis, dvds. Dava pra perceber o nervosismo dele. Eu tbm estava mega nervoso, como se fosse a minha primeira vez. - e então, vamos começar Jeferson ? tira pra fora ae. Ele me olhou nos olhos por uns minutos e foi abaixando o shorts e a cueca box amarela que ele usava. Quando a cueca foi abaixada tive um susto, um pau lindo, cabeça avermelhada bem maior que o do Gabriel, aproximadamente uns 19 ou 20 cm, tinha pelos aparadinhos e um saco grande e com pelos. Eu hesitei um pouco e e ele perguntou. - o que foi ? quer desistir ? - não não, é que ... é muito grande. - nem é tanto kk, to mega nervoso tbm, nunca deixei um homem fazer isso. Ta sendo meio estranho. - sei bem como é. Vamos lá então. Fiz ele sentar na minha cama e deixar as pernas abertas pra eu me ajoelhar e começar o boquete. Ajoelhei em frente a ele , segurei firme o pau dele fazendo ele dar um leve gemido. Olhei pra cima e vi ele com a cabeça pra trás e com olhos fechados e o pau dele pulsando na minha mão. Senti o cheiro de macho que ele tinha, passava a mão no saco dele e finalmente comecei a colocar o pau dele na boca, com um pouco de dificuldade mas consegui colocar a metade. Ele já estava gemendo muito. Chupava bem de vagar enquanto massageava as bolas dele. Ele colocou a mão na minha cabeça e começou a fazer carinho no meu cabelo e falou: - Cara você sabe mesmo chupar um pau, que delicia. Continua assim, chupa tudo. Não falei nada e continuei chupando aquele pau enorme. Em um certo momento ele segurou minha cabeça fazendo eu ficar parado com o pau na boca e ele começou a foder minha boca, engasgava algumas vezes mas ele parecia estar gostando de ver engasgar no pau dele por isso não parava. Já estávamos assim há uns 8 minutos e nada dele gozar. Do ada ele fala: - Paulo eu sei que combinamos só a chupada, mas eu quero muito te comer. Vc deixa ? Olhei meio pensativo, mas como eu estava no inferno já o que custava abraçar o capeta não é mesmo ? kk - ok, mas vai com calma pq é muito grande. - beleza, obrigado, vou fazer com carinho. Ele me levantou e meio que de surpresa me deu beijo mega gostoso( não era tão bom quanto o do Gabriel mas era top) A essa altura já estava entregue a ele. Ele me colocou de 4 na cama e caiu de boca no meu cuzinho. Lambia tudo, enfiava um dedo, depois dois e por fim 3, dava tapinhas na minha bunda e falava coisas do tipo: - que rabinho gostoso. Agora você vai ver o que é bom. Vou foder esse seu cuzinho de uma forma que vc não vai esquecer. Eu já estava doido de tesão. Ele me tasca outro beijo e coloca a camisinha no pau e aponta ele na entrada, vai fazendo força e bem devagarinho vai entrando a cabeça. Solto um grito misturado com um gemido, ele continua enfiando bem devagarinho até entrar tudo. Era meio desconfortável estar com aquilo dentro de mim, era muito grande e grosso. Mas acabei me acostumando rápido. Ele me mandou empinar a bunda pra ele e em seguida começou a bombar, a principio meio devagar e foi aumentando a velocidade e a intensidade das estocadas. No começo gemia de dor mas depois já estava gemendo de prazer. Ele sabia foder muito bem, mexia bem os quadris. Segura meus ombros e de vez em outra puxava meus cabelos. - ta gostando meu vizinho gostoso ? - sim sim Jeferson, continua assim que ta muito bom. Mudamos de posição, ele me colou de barriga pra cima e começou a meter olhando pra mim enquanto eu passava a mão no seu peito e na sua barriga. As vezes ele abaixava e me beijava e outras me dava tapinhas de leve na cara. Não demorou muito e ele anuncia que ia gozar, tira a camisinha e goza na minha barriga, era muita porra, muita mesmo. Quando eu achei que tinha acabado ele começa a bater uma pra mim me fazendo gozar em segundos. Depois deita por cima de mim e começa a me beijar. - foi muito bom isso, obrigado por me deixar te comer. Só consegui sorrir, estava muito cansado. Fomos banhar juntos mais não rolou nada além de um beijo. Em seguida ele se arrumou se despediu de mim reforçando nosso trato e eu fiquei na sala. Não demorou nem 2 minutos pra eu estar chorando muito, chorava de soluçar pensando no que eu tinha acabado de fazer. Além de estar tendo relações sexuais com outro homem eu estava traindo a pessoa que me amava e me fazia feliz. Não vou negar que não gostei do que aconteceu, foi maravilhoso, mas eu me sentia um lixo. Fiquei a tarde toda assim. No fim conclui que não contaria ao Gabriel. Continuei minha vida normalmente. Via o Jeferson quase todos os dias mas ele não foi na minha casa por uns tempos. Isso não tem mais de dois meses, mas sei lá, não sei se pode acontecer de novo com ele. Com o Gabriel rolou mais coisas inusitadas, até um papo estranho dele de fazer sexo a 3 mas foi só um comentário, ele não falou mais nada, se ele falar talvez eu possa sugerir o meu vizinho, se ele concordar é claro. Bem espero que tenham gostado desse conto, foi tudo verdade. Tenho outras coisas pra contar pra vcs se quiserem

SENDO FLAGRADO COM O FILHO DO PASTOR

Bem galera, o que vou contar pra vcs aconteceu a pouco menos de dois meses. Sou Branco, aproximadamente 64 kg, olhos verdes claros, cabelos castanhos claro, aproximadamente 1,78 de altura. Sou evangélico como alguns que acompanham meus contos sabe, mas o que vou relatar não é totalmente sobre o Gabriel ( o filho do pastor da minha igreja) . Depois do acampamento de jovens que minha igreja fez, estava muito cansado desde de domingo, como estava desempregado e o Gabriel tbm, chamei ele pra dormi aqui em casa e é claro que o pai dele não deixou, mas ae insisti um pouco mais e ele disse que ele poderia dormi aqui em casa de segunda pra terça. Então ficou combinado ele vim as 14 horas e ficar ate o dia seguinte. Na segunda de manha minha mãe, meu pai e meus irmãos foram cuidar da vida deles, todo mundo saiu e eu fiquei em casa dormindo, pois estava muito cansado. Levantei lá pras 10 horas e fui arrumar a casa que estava meio bagunçada. Como estava sozinho em casa resolvi colocar o cartão de memoria do meu celular no som e arrumar a casa escutando as minhas musicas preferidas. Estava empolgado, cantando com o som bastante alto, até lembro a musica que estava escutando quando fui surpreendido pelo barulho da campainha, era Story of my life do One direction. Abaixei o som e fui atender o portão sem camisa só de shorts mesmo (aqueles de jogar futebol). Quando abro o portão me deparo com um Rapaz muito lindo, cabelos negros, pele bem clarinha, barba feita, corpo legal, ele tinha aproximadamente 1,83 de altura e fui saber depois que ele tinha 23 anos. Percebi que ele me olhou de cima a baixo antes de falar: - Oi, desculpa atrapalhar, sou o Jeferson, nos mudamos esse fim de semana pra casa ao lado ( falou apontando pra uma casa que estava com a lixeira cheia de caixas e coisas que geralmente os antigos donos deixam). - Oi Jeferson, sou o Paulo, nem reparei ontem quando cheguei que os vizinhos já tinham se mudado. Mas e ae em que eu posso te ajudar ? - há mano, minha mãe vai fazer um almoço aqui e não sabe onde tem um supermercado por perto e sua mãe disse que se ela precisasse de algo era só falar, minha mão quer saber se sua mãe pode emprestar umas pimentas que sua mãe disse que plantou no fundo do seu quintal. Eu super de boa respondi sem segundas intensões pois não pensava em outro homem a não ser o Gabriel. - Claro, entra ae mano. Entramos e fui conduzindo ele por dentro da casa até a gente chegar no quintal dos fundos. Durante o percurso ele olhou muito pra minha casa perguntou: - Ta sozinho ? - uai cara, no momento to desempregado e minha família não para em casa né, fico sozinho direto a tarde. - a legal, então você é responsável pela faxina né ? kkk. Respondi rindo tbm. - Pior que sou mesmo. Pelo menos posso escutar minha musica de boa kkk. -Não só escutar, cantar tbm pelo o que eu escutei kkk até que vc canta muito bem. Só a banda que você tava ouvindo que é meio.... deixa pra lá. Fiquei meio sem graça e não disse mais nada. Ele chegou nos pês de pimenta e pegou uma sacolinha com algumas pimentas. Enquanto colhia ele me fazia perguntas do tipo: - vc tem namorada ? vc curte que tipo de filme ? Respondi tudo que ele perguntou. Não era nada d mais, mas ele se mostrou super interessado. Perguntei se ele namorava tbm e ele me confessou que tinha terminado com a namorada a dois meses e que estava na seca desde então. Rimos e ele fio indo embora e no final disse com tom sarcástico : - Agora vc pode continuar seu show ae kk vou ver se venho mais tarde aqui pra gente jogar um vídeo game (falou apontando pro x box na sala). Voltei a fazer o que tava fazendo e não parava de pensar no meu vizinho. Tentava parar de pensar nisso pois eu amo de mais o Gabriel e não sou do tipo de pessoa que trai. Fiz meu almoço, comi e fiquei esperando O Gabriel chegar o que não demorou muito. Ele chegou eu abri o portão e assim que fechei ele já veio me agarrando, me beijando de uma forma que só ele sabe fazer, um beijo suave mas ao mesmo tempo agressivo. Fomos pra sala e conversamos um pouco. Até que ele falou. - Paulinho, vc não sabe o quanto eu quero te comer, to louco desde sábado a noite. - Não seja por isso, estou sozinho mesmo, vamos aproveitar isso. Liguei o som bem alto de novo, dessa vez com umas seleção de musicas românticas mesmo kk ( sim eu gosto de musicas românticas, não riam) Ele foi tirando a roupa dele e eu a minha, já estávamos de pau duro como pedra e ele a todo momento me beijando e pegando na minha bunda e eu no pau dele. - Ai Paulinho, faz o que vc sabe fazer muito bem, chupa o pau do seu macho. Nem respondi e já fui ajoelhando em frente a ele e tirando aquele pau lindo com os pelos bem aparadinhos pra fora e cai de boca. Chupava e olhava pra ele, a todo momento ele estava de olhos fechados fazendo carinho nos meus cabelos e falando : - Nossa Paulinho, você chupa muito bem. Ele se sentou no sofá e eu continuava chupando ele. O momento estava maravilhoso, a musica tava dando um clima muito gostoso. De repente enquanto eu chupava olho em direção a porta da sala e me deparo com Jeferson olhando atônito pra mim e pro Gabriel, levamos um susto enorme. Rapidamente estávamos de pé assustados olhando pra ele. Abaixei o som e coloquei minha camiseta na frente do meu pau. E só disse: - Mano, não é o que você ta pensando. Gabriel rapidamente pergunta: - mano quem é você e o que você ta fazendo aqui ? Jeferson sem graça ( aparentemente) responde : -Sou o vizinho novo e ia vim aqui pra jogar vídeo game, bati a campanha e chamei, mas o portão estava meio aberto e o som tava muito alto, achei que não teria problema entrar, não esperava ver vcs fazendo ... isso. Mas relaxem, pode continuar, vou indo nessa e pode deixar que eu não falo pra ninguém. Eu olhei pro Gabriel, ele olhou pra mim e eu vesti rápido meu shorts e fui levar ele até o portão. - Mano, por favor não fala nada pra ninguém blz ? Antes dele responde pude observar que ele tinha um certo volume entre as pernas, mas deixei quieto e não falei nada. Ele sorriu e disse : - ok mano relaxa, não sou x9. Até mais. Entrei e ficamos um tempão parados olhando um pro outro. A principio Gabriel ficou muito nervoso, mas depois fomos nos acalmando, ele nem percebeu que ainda estava pelado kk Abracei ele e continuamos o que estávamos fazendo, dessa vez tranquei o portão pra ngm aparecer de surpresa de novo. Continuei chupando o pau dele que ficou duro em segundos novamente. Chupei bastante até ele me mandar ficar de 4 pra ele apoiando a cabeça no sofá. Ele se abaixou a começou a lamber meu buraquinho que a essa altura já piscava de tanto tesão, mas mesmo com esse tesão todo ainda pensava no que tinha acabado de acontecer. Depois de uma chupada de rabo maravilhosa ele todo carinhoso me da um beijo e me pergunta se estou pronto. E carinhosamente vai enfiando o pau no meu cu. Bem devagarinho. Recamo de dor mas ele é tão atencioso que para um pouquinho e recomeça a enfiar enquanto faz um carinho nas minhas costas. Estava tudo dentro e ele começa o vai vem. Que delicia, estava muito bom, nos dois ali na sala fazendo amor e escutando uma musica da Sandy que acho que passou a ser nossa musica. Ele me mandava mudar de posição toda hora, frango assado, de ladinho, em pé, deitado no chão, tava muito bom tudo aquilo até eu gozar sem ao menos ter tocado no pau. Não demorou muito e ele anuncia o gozo e me manda ficar na frente dele. - Vem Paulinho, ta na hora de tomar seu leitinho. Não pensei duas vezes e comecei a chupar freneticamente e ele goza be no fundo da minha garganta. Foi tanta porra que até escorreu. Depois disso fomos tomar um banho juntos e la dentro nos beijamos e ele novamente diz: - Já disse que te amo hoje ? Em seguida me da um beijão e sai pra trocar de roupa. Faço o mesmo. Já era umas 4 da tarde quando a fome bateu ae resolvi ir comprar um lanche pra gente em uma padaria próxima. Deixei Gabriel vendo tv e sai. Quando coloquei o pé pra fora do portão dou de cara com o Jeferson que eu acho que estava criando coragem pra bater no meu portão. - Uai Jeferson, o que vc ta fazendo aqui fora ? - nada não Paulo, so tomando um ar. E vc ? vai aonde ? - vou na padaria. - posso ir junto ? - por mim tudo bem. No começo ficamos os dois calados, ngm falava nada, tava um climão bem pesado kk mas ae ele solta uma pergunta. - Paulo, você e aquele menino lá são.... Gays ? Pensei um pouco e respondi. - uai cara, eu tava fazendo um boquete nele, acho que somos kkk mas mano, por favor, ngm pode saber. - rlx cara, já disse que não sou x9. Só fiquei espantando com a cena. - é, pelo jeito ficou mesmo, na hora que fui te levar no portão percebi um certo volume no seu shorts. Ele ficou super sem graça mas mesmo assim falou: - uai cara, to na seca né, sabe como é, minha namorada nunca chupou meu pau, ela era aquelas meninas frescas que tem nojinho dessas coisas. - Sei como é kk então você nunca ganhou uma mamada ?? - uai, já ganhei sim, mas tem muito tempo rsrs Depois disso o silencio reinou novamente. Pude perceber que ele pegava muito no pau, mas eu não falei nada. Mas no fundo eu queria muito falar alguma coisa. Na volta ele disse que queria ser meu amigo e que ele gostou muito de me conhecer. Tbm disse o mesmo. Chegando na porta de casa perguntei se ele queria entrar e ele disse que depois entrava pois ele tinha coisas pra fazer ( falou pegando no pau discretamente). Peguei na mão dele mas ele me puxou e deu um tapa na minha bunda e riu, tbm ri e entrei. Gente esse conto é verídico e foi muito tenso, a história não acabou, vou escrever a continuação o mais rápido possível se vcs quiserem kk não tenho foto dele ainda mas ele se parece mais o menos com esse cara da foto que eu postei se vcs gostaram deixem seus comentários e votem no conto. kkkk

MEU AMIGO DA ESCOLA ME CHUPOU BEBADO PART 2

1° perdoem os erros,escrevi pelo celular) Depois que o meu amigo me chupou no bar,fomos cada um para sua casa! No outro dia,acordei com aquela Ressaca,já eram umas 10 Hrs da manhã,fui ao supermercado da rua comprar algo pra comer. Pego algumas coisas e vou para a fila,olho para a pessoa atrás de mim e quem está lá? Pois é,ele mesmo,o Rangel,meu amigo da escola que se mudou para outra cidade e agora retornara,o Metido a Machão,galã,pegador,playboy,que me surpreendeu e me chupou na noite anterior! As lembranças do que aconteceu na noite anterior retornara,junto com a dor de cabeça,a imagem dele chupando meu pau,não sai da minha cabeça! Ele ficou nitidamente vermelho,com vergonha,não mais do que eu,e ele me olhava com aquela cara de quem diz: _Se vc falar alguma coisa sobre a minha bissexualidade pra alguém eu te mato! E eu pra disfarçar e fingir que não me lembrava de nada! puxei assunto: _Eaí cara,tudo bem? Ressaca?. Ele ficou petrificado. _ Ahm! Tudo bem! estou com uma dor de cabeça,só! _ata! Pow mano,nem sei como voltei ontem,eu estava bêbado mesmo,não me lembro de quase nada! _Somos 2 então! Ele olhava pra baixo com vergonha,se ele pudesse cavar um buraco e sair dali.Eu também! _Blz então! _Ta blz! Saí de lá quase correndo,com aquela vergonha e pensando: o que eu fiz? Nunca tinha sido chupado ou tido contato com um homem antes! Ele era o meu colega! Passou-se vários dias,então descobri que ele morava na mesma rua que eu,alugara um quarto,no mesmo dia do ocorrido! Quando nos encontravamos na rua não nos olhavamos! Eu estava com raiva dele por ter se aproveitado da minha embriaguez,e de mim mesmo por ter deixado que aquilo acontecesse! E com certeza ele estava com medo de eu abrir o bico,que ele também gostava de homens,com medo de pegar nenhuma mulher! Mas não fiz isso! Passaram vários meses até que voltamos a nos falar de novo normalmente,jogamos futebol,coisas de amigo! Ele arrumou uma namorada,muito Linda mesmo,Gostosona,loira! E eu Troquei a Minha loira por uma morena! rsrs Depois de um dia de futebol,eu e meus 3 primos e ele combinamos de beber novamente,só que agora em casa! E combinamos também de levar as nossas namoradas! Até que chegou o dia combinado! Minha mãe foi trabalhar á noite,ela é enfermeira! Eu perguntei se podia beber,ela aceitou,pois confiava muito em mim,aliás eu já era de maior! Com a condição de ser sem confusão! Ela saiu e os "convidados" foram chegando,fui buscar a minha namorada,cada uma com a sua,uma mais gostosa que a outra! Sentamos,Conversamos e fomos beber,compramos muitas bebidas,as horas foram passando,e chegou a hora que estávamos todos bêbados! Meus 3 Primos,como sempre foram os primeiro á ir embora com suas namoradas! Minutos depois o Rangel e sua namorada,queriam ir,mas eu e minha gata não deixamos,pois estavam muito bêbados pra dirigir, convidei-os para dormir em casa e com muita dificuldade os convencemos,deixei os 2 dormirem em um quarto ao lado do nosso e fomos dormir também,eu e minha namorada! Deitamos... o que 1 casal de bêbados fazem? tranzam! Comi a minha namorada de todos os jeitos possíveis! Eu queria mais,mas ela capotou de sono. Fui tomar banho,pois não conseguir dormir,passei pelo quarto do Rangel e a porta estava entreaberta e de lá saiam gemidos,olhei mais de perto e vi o Rangel comendo a sua namorada também! Ri e fui tomar banho! Voltei só de toalha na cintura,fui para sala,liguei a tv,então Rangel apareceu! _Sem sono? _Sim! _Eu também! Vc Tomou banho? _Sim,eu estava precisando! (Risos) _Eu sei,eu ouvi VC e sua namorada,acho q a vizinhança toda ouviu (Risos). Eai deu vontade e tranzei com a minha tbm! _Eu ouvi tbm! rsrs _O que ta passando? _Nada de bom! _Coloca Pornô,ainda não estou saciado,quero me masturbar e gozar! Então eu coloquei no Sexy Hot , lá passava dois homens comendo uma vadia gostosa! Demorou um pouco eu ja estava excitado e pegando no meu pau! e ele também! Vi que ele não parava de olhar de canto a minha barraca armada, ele babava! Até que escutamos um barulho de carro,era a minha mãe chegando! Mudamos de canal,ela abriu a porta e nos viu,nos cumprimentou,obsevou a casa e percebeu que a minas estavam nos quartos! Como ela é muito consevadora,achou melhor,mulher dormir com mulher e homem com homem! e disse pra mim! _Leva a sua namorada pro outra quarto e ele vai dormir com vc!. Resmunguei,mas aceitei! Carreguei ela e levei pra outro Quarto! deixei elas dormindo e fui pro Meu quarto com o Rangel! Deitamos na mesma cama que é de casal,grande,sem frescura,pois ainda estávamos bêbados,até que eu disse: _Cara, eu só durmo pelado!! (falei sem segundas intenções,é vdd, ja tinha até esquecido o ocorrido) Ele me olhou e disse: _Sem problemas cara,a casa é sua! Tirei a cueca e e deitei,percebi que ele olhou pro meu pau,eu nem liguei,queria mesmo é dormir! Ele se virou pra um lado e eu pro outro quando estava quase dormindo de peito pra cima,sentir aquela mao de leve na minha cueca Box branca! não dei importancia! Senti de novo,mais agora a sua mao,descia o elástico da minha cueca,me virei e ele parou,depois de tempo,senti a sua boca,chupando o meu pau,ainda mole,as minhas bolas e os poucos pelos que eu tenho! Me perguntei como ele baixou a cueca sem eu sentir? Olhei para ele e disse: _Para com isso cara,eu quero dormir! Ele se assustou e voltou a deitar do meu lado,tempo depois ele Tirou a cueca com o pretexto que só dormia nu tbm e perguntou se tinha algum problema,eu disse que não,quase dormindo! Cochilei um pouco,mas acordei com as pancadas de chuva forte no telhado,fazia muito frio,me virei para o seu lado e ele estava de costas,com aquela bundinha branca e redondas viradas pra mim! Pois ele é forte,sarado,loiro,com tatuagens no braço e piercings no nariz e alargadores na orelha,tipico,playboy malandro e pegador! Tentei dormir,foi quando senti a sua bunda roçar no meu pau bem de leve,por debaixo do cobertor que dividiamos! fiquei paralizado,imóvel! Eu queria sair dali,mas estava tao quentinho e gostoso, Nisso, o meu pau de 18 centímetros,Branco,com a cabeça Rosada,ficou ereto e começava a babar! Ele percebeu e roçava mais,e chegava mais perto do meu pau e do meu corpo! Até que ele pôs sua mao pra trás e pegou me pau,eu me assustei,e disse: _Para com isso cara,não sou gay! _Ja te disse que nem eu sou,sou bissexual! uma noite de diversão não te torna gay! Curto cada momento,quero fazer vc relaxar,vc vai gostar! _M...ma...mas e a tua namorada? _Eu amo ela! mas gosto de curtir coisas novas! Relaxa,ninguém vai ficar sabendo, assim como da vez que eu te chupei! Só vc sabe de mim! sei que se lembra! _Ma...mas vc nao vai arrepender amanha? _Logico que não,esta brincando? é o meu sonho sendo realizado,sempre tive tezão por vc desde que te conheci na escola! Vc é lindo,branco,forte,sarado e simpático com todos,sempre tive inveja das tua namoradas,imaginando elas tranzando com vc! Me masturbei muitas vezes imaginando,como seria o teu pênis,os teus pelos e bolas, é bem cheiroso e gostoso! Fiquei sem palavras! _Eu sou louco pra dar pra vc,eu ainda sou virgem! Quero que vc seje o primeiro. Pronto! Isso Foi o suficiente pra me deixar louco,sem pensar nas consequências,só pensava em comer aquele cuzinho! Era impossivel de resistir aquele macho/Jovem com cara de modelo e voz grossa,Me chamando pra tirar a sua virgindade! Ele chegou mais perto de mim e Pegou no meu pau com tanta vontade,como se não houvesse amanha! Meu pau latejou e soltava aquele pré gozo! a cabeça estava maior e mais rosa,ele me masturbou um pouco e disse que agora estava olhando de perto,no claro,ele cheirava. E empurrei devagar a cabeça dele ao encontro ao me pau,ele não duvidou! Chupou,chupou e chupou! cuspiu na cabeça,lambia o pré gozo e me olhava com aquela cara de macho safado! Chupou por 20 minutos! lambia as minhas bolas com tanta vontade que chegava a doer! Lambia a minha virilha,o meus pentelhos aparados! Lambia ao redor da cabeça e fazia garganta profunda,Era indescritível a sensação de uma lingua áspera de macho,meu colega no meu pau! E eu curtia tudo de olhos fechados! Até que chegou o grande momento! O virei de costas e fui buscar meu prêmio!... (Continua

MEU AMIGO DA ESCOLA ME CHUPOU BEBADO

Me chamo Anderson, tenho 20 anos ,Branco,olhos castanhos,Cabelos negros e um corpo com um leve tanquinho e um pau de 18 cm. Tudo aconteceu no ano passado, as aulas terminaram,concluir o ensino médio e fazia quase um ano que não via os meus colegas de classe. A cidade onde moro estava em festa devido ao aniversário da mesma! Resolvi sair com uns meus 3 primos,fomos á um bar,bebemos um pouco,foi quando o meu ex colega de classe apareceu! Seu nome é Rangel (fictício),de 19 anos, um cara alto,loiro,olhos azuis,forte,não demais, barriga trincada,alargadores nas orelhas, pegador ,as minas babavam por ele,passou o rodo em todas as meninas da classe,voz grossa,dava pra ser modelo! Ele me conheceu na mesa e deu um tapinha na minha costa e disse: _Eai brother,quanto tempo? Quase não o reconheci,ele estava mais alto e mais forte,não forte exagerado,mas normal e com algumas tatuagens pelos braços _Sou eu,o Rangel! _Eai brother,tudo bem? Já faz quase um ano que não nos vemos, o que está fazendo por aqui,você não tinha se mudado pra outra cidade? _É mano,não deu muito certo pra mim,cheguei hoje, engravidei uma mina, e os irmãos dela queriam me Bater,pra evitar confusão,vim embora. As minas não me resistem! Rimos muito e o convidei pra sentar e o apresentei aos meus primos,bebemos muito,botamos o papo em dia,ele ainda continuava o palhaço de sempre,sempre mechendo as minas que passavam, até que deu umas 1 hora da madrugada,ainda estávamos no bar,que aliás,estava muito movimentado. Os meus primos estavam dançando e eu era o único ainda sóbrio,pois seria a responsabilidade minha conduzi-los ás suas casas. O meu colegas estava mais bêbado que eu,que comecei a beber primeiro. Me deu uma vontade de ir ao banheiro,então falei: _ Vou ali no banheiro "tirar a água do joelho". Ele acenou com a cabeça e fui,entrei em um dos mictórios,e mijei quase não parava! até que senti a porta sendo aberta e alguém entrando,era o Rangel! _Vai mais pra lá mano,que eu também quero mijar Me afastei e dei lugar pra ele,ele tirou o pau e fez o mesmo que eu,ficamos ali por um minuto,até que ele disse: _O negócio está acordado! olhando diretamente pro meu pau ,eu ri. _Sempre quando eu bebo,o meu pau acorda,pronto pra pegar umas periguetes!! _ rsrs, e a tua namorada? _A minha namorada está fazendo greve de sexo,pois me pegou a traindo com a vizinha dela. Rimos! _Ah! É por isso que o teu pau tá assim! (Risos) _Vou ver se acho uma mina ,pra me saciar ,ou um homem! (falei brincando). _Não precisa. Ele disse. Pegou no meu pau,quando eu já ia o colocando pra dentro da calça! Me assustei com sua atitude,e por ser tão direto. _Pow mano,que isso? falei. _Tu não queria se saciar? quero te ajudar,amigo é pra essas coisas! _Faz isso não brow,não sou gay! _E nem eu,apenas curtos os momentos sem deixar de curtir uma vagina. Ele disse! Fiquei confuso! _Mas alguém pode entrar e nos ver,ele fechou a porta e disse: _Problema resolvido! _Não sei não,cara! Ele pegou no meu pau por cima da calça e disse: _Eu sei que você quer! Até então eu nunca tinha tido contato com uma pessoa do mesmo sexo! Começou a massagear e eu resistindo,tentando tirar sua não de cima da minha calça,em vão,pois ele era um pouco mais forte que eu,até que percebi que mão dele estava me deixando com louco, eu não sabia o que sentia,medo,tezão,mas aquilo tudo estava me deixando excitado! _Vc não vai contar pra ninguém não? _Eu fique imóvel ,enquanto ele abria meu ziper,e eu tentando arranjar uma forma de sair,mas estava tão gostoso! _Mas eu nunca fiz isso com um homem! _Pode deixar comigo! Você não vai contar pra ninguém não? _Relaxa,pode ficar tranquilo! Ele abaixou a minha bermuda até os joelhos, pegou meu pau por cima da minha cueca box preta,colocou a boca por cima e um arrepio correu pelo meu corpo! _Ishhhhh! Ele foi abaixando lentamente a cueca,como que quisesse ver em camera lenta, até que enfim tirou o meu pau,que ja estava tão duro,que chegava a doer. Fiquei pensando,como que eu podia ficar excitado com um homem? nunca pensei. Será que isso me torna gay? Ele pegou o meu pau que já estava todo babado,com uma mão e e começou a punhetar por uns instantes, meu pau latejava na sua mão grossa,até que olhei pra baixo e vi ele colocar o meu pau na sua boca! O tezão foi tão grande que quase gozei! _Cara desse jeito vc vai me fazer gozar logo! Senti a sua lingua áspera de macho indo ao encontro á glande ,Começou num ritmo lento e foi aumentando ,ele lambia a cabeçona vermelha,ia até os meu pentelhos,que não eram muitos,pois estavam aparados! Fui ás estrelas! _Chupa o pau do teu macho,chupa! Ele não falava nada! só chupava! Chupava as minha bolas,enfiada tudo na boca uma por uma, e voltava a chupar com dificuldades,pois o meu pênis é um pouco grosso e grande. Era uma sensação indescritível! Era o boquete mais gostoso que eu já recebera na minha vida,nenhuma menina me fez sentir tanto prazer no sexo oral como aquela boca estava me proporcionando! Pronto! Eu estava entregue. Ele chupava,engolia,lambia com maestria e experiência,como se soubesse o que estava fazendo,como se já tivesse feito outras vezes. Ás vezes chupava e as vezes ne masturbava! Não estava acreditando,o garanhão,o maior pegador da escola,o cara que tirava a virgindade das meninas,e fazia elas ficarem loucas por ele,ali,na minha frente,ajoelhado,com o meu pau na boca,fazendo um boquete! Ele disse: _Cara teu pau é muito gostoso e macio! _Então chupa,minha putinha,vadia,cachorra! Falava eu em voz baixa,chupa,vai ser tua única chance! aproveita que eu tou bêbado! Ele chupava.... igual um bezerro chupa as tetas da mãe, daria tudo pra alguém da escola ver aquela cena! Ele parou, tirou o pau da boca,recompondo o fôlego,levantou minha camisa e foi lambendo o meu umbigo e subindo pelo peitoral com a lingua,devagar. Fechei os meus olhos aproveitando cada momento,lambeu os meus mamilos,foi subindo,chegou no meu pescoço,me fazendo arrepiar! Senti seus labios no meu bem de leve,e parou,acho que ele ficou com medo de eu não gostar,ele estava certo,no começo não gostei,aliás,nunca beijei um homem na vida,fiquei paralisado! Ele viu que não reagir e encostou de novo,ficamos frente a frente,Seu pau encostou no meu,duro,acho que devia ser maior que o meu...dois jovens frente a frente no banheiro,entregue ao prazer,sem preconceitos...enquanto isso ,eu meti a minha mão nas sua calça,por trás e peguei na sua bunda,durinha,sem nenhum pêlo,e muito grande ,molhei meu dedinho e tentei enfiar no cuzinho ,mas era muito apertado,por ali não passava nem uma agulha,ele me disse que nunca tinha dado,tinha medo,eu falei que queria tentar,ele me olhou,e ele disse: _Sei não,não tenho coragem,Tem que ser com carinho e devagar,pois seu pau é muito grande,fica pra próxima,em outro lugar! eu disse que sim! Empurrei a cabeça dele contra a minha pica,eu chupou muito,segurei seu cabelos,eu metia na boca dele como se estivesse fudendo uma buceta, eu dava uns tapinhas de leve no seu rosto,chupou mais e mais,até que comecei a me contorcer. _Mas rápido cara,tou quase gozando! _Goza na minha boca! E não duvidei,gozei muito e quase não parava de sair porra,meu pau foi ficando flácidldo na sua boca tirei meu pau e pra minha surpresa,ele engoliu toda porra,mandei ele chupar pra limpar meu pau! Ficamos um minuto ali tentando recompor o fôlego,Com cara de satisfação. _Vc é muito gostoso! Ele levantou ,se arrumou e eu também,olhamos pro lado e vimos que ainda estávamos no banheiro,perdemos a noção do tempo e lugar! Sera que alguem ouviu algo? Ele me fez prometer que não cantaria pra ninguém,pois não queria que descobrissem que ele é bissexual,prometi com uma condição,que ele teria que me dar o de trás! Não tinha ninguém no banheiro,eu sai primeiro e ele depois! Chegamos na mesa e meus primos perguntaram,onde vocês estavam? Demoraram uns 10 Minutos,estavam bem comendo uma periguete né? estão suados...rimos! Depois disso,bebemos normalmente e fomos cada um pra sua casa. (Continua) Bom Gente,esse foi o meu primeiro conto,desculpe pelos erros ortográficos,e o alongamento, falta mas detalhes e eu contar quando eu tirei a virgindade dele lá em casa. Obs: A namorada dele estava em casa também!

O TROCADOR DA VIAGEM

O que eu vou relatar aqui aconteceu realmente de fato a uns 5 anos atrás, quando eu tinha uns 20 anos. Confesso que foi totalmente inesperado pra mim. Prometo ser bem fiel ao ocorrido. Era mais uma semana como outra qualquer. Lá fui eu para a rodoviária pegar o ônibus em direção à casa dos meus pais no interior de Minas Gerais. Ah, já ia me esquecendo de me apresentar. Vi que no conto anterior não falei nada sobre mim, mas vou ser bem breve. Tenho 1,82m, 80 kg, branco com os cabelos castanhos, e olhos castanhos também. Não sou assumido e por isso vou me conter na descrição. Voltando ao conto... Meus pais moram no interior de Minas Gerais e sempre que vem um feriado ou férias, costumamos ir visitar a família. É muito comum aqui em BH. E foi assim que começou. Iria passar o fds na casa dos meus pais como de costume, só que dessa vez resolvi ir uns dias antes, ainda no meio da semana, numa quarta-feira, para poder resolver algumas coisas lá na minha cidade. Durante a semana, os ônibus costuma sair mais vazios, e eu acordei bem cedo para pegar logo o primeiro, que saia por volta de umas 7h da manha. Cheguei correndo à rodoviária e como faltavam apenas alguns minutos, fui ao guichê comprar a passagem e a moça me disse que podia ir direto para o ônibus, que o mesmo estava vazio e assim não correria o risco de eu perder a viagem e que poderia pagar a passagem lá no ônibus ao trocador. Os ônibus intermunicipais sempre têm dois funcionários: o motorista e um trocar para dar suporte, já que o ônibus faz paradas em algumas outras cidades para pegar ou deixar mais passageiros. Cheguei correndo ao ônibus e ele já estava com o motor ligado, quase fechando as portas para sair. Subi correndo e nem reparei nas pessoas que estavam do lado de fora. As únicas palavras que troquei foram com o motorista, dizendo apenas que iria pagar a passagem lá mesmo. Ele apenas concordou e eu subi. Como eu fui praticamente o ultimo a embarcar, vi que somente as primeiras fileiras estavam ocupadas e me encaminhei para as do fundo, assim poderia ter mais tranquilidade e não correr o risco de ninguém sentar ao meu lado, além do fato que poderia tirar um cochilo durante a viagem que seria de quase 3 horas de duração. O ônibus começou a andar e lá fomos nós. Depois de alguns minutos, o trocador abriu a porta da cabine que separa o motorista dos acentos e começou a verificar as passagens das pessoas que estavam lá dentro. Alguns minutos depois ele chegou até a mim e pediu a minha passagem. Eu disse que iria comprar ali, então ele perguntou o meu destino. Informei o local e ele então falou o valor. Comecei a pegar o meu dinheiro na mochila, e como tinha moedas tentei facilitar o troco para ele. Separei o valor certinho e entreguei. Nessa hora ele disse algumas palavras que eu sequer prestei atenção. Continuei arrumando minha mochila até que ele disse: - “Pronto, tá aqui a sua passagem.” Nessa hora olhei pra ele e pegue o bilhete. Agradeci e me acomodei no meu lugar. Ele foi retornando pra frente do ônibus e enquanto caminhava reparei que ele deu uma olhada pra trás. Mas continuou andando e foi para a frente do ônibus junto ao motorista. A viagem continuou normalmente. Alguns minutos depois, ouvi ele abrindo a porta e vindo em direção ao final do ônibus, carregando um jornal. Foi passando pelos passageiros e conferindo se estava tudo certo. Nessa hora finalmente parei para reparar nele. Devia ter mais ou menos 1,80m, moreno, com o cabelo cortado bem baixo, barba bem feita (já que parecia não ter muitos pelos no corpo), não era forte e nem magro, parecia ter um corpo normal e usava o uniforme da empresa (calça social, uma camisa de manga curta e uma grava). Ele então passou por mim, fez um aceno com a cabeça como se estivesse me cumprimentando e foi para a última poltrona e se sentou nela. Eu estava a umas 3 poltronas a frente, sentando na fileira aposta ao motorista, e ele se sentou na fileira do lado do motorista. Dessa forma eu conseguia ver ele quase que por completo pela greta das duas poltronas que eu estava assentado. A pessoa mais próxima de mim estava assentada a umas 4 poltronas a frente. Não sei por que, mas desde que ele havia passado por mim e me cumprimentado, eu fiquei com a cena dele vindo pelo ônibus na minha cabeça. Ele não era um cara bonitão, daqueles que chamam a atenção quando passam, mas algo nele me instigava. E isso me fez olhar algumas vezes pela greta das duas poltronas que eu estava. Cheguei a olhar algumas vezes, e em todas elas ele estava lá lendo o jornal que havia trazido. Ele havia sentado na poltrona do corredor meio largadão, com as pernas bem abertas e com o jornal aberto em frente ao rosto, bem à vontade. Logo na segunda vez que eu olhei acabei analisando ele por completo, passando o olhar por todo o corpo e reparando no volume que a calça demarcava no meio da perna. Como a calça era no estilo social na cor verde escuro, dava pra notar bem o pacote que ela delineava. Aquilo me desconcertou um pouco, e eu acabei não resistindo e olhando algumas vezes mais. Numa das vezes que eu olhei, ele estava mudando a pagina do jornal e parecia que, pelo canto do olho, reparou que eu estava olhando pra ele pela fresta das poltronas. Eu fiquei super sem graça e voltei o meu olhar para frente como se nada tivesse acontecendo. Não sabia por que, mas de certa forma, aquele cara ali estava me dando muito tesão. A cena dele largadão na poltrona não sai da minha cabeça. Depois de um tempo sem olhar eu resolvi arriscar de novo e olhei. Nisso, vejo que ele continuava lendo o jornal, só que dessa vez o jornal não cobria todo o rosto dele, somente até o nível do nariz. Acho que ele havia dobrado o jornal ao meio para conseguir ver se eu voltaria a olha-lo novamente. Dito e feito, ele viu novamente, e eu fiquei mais sem graça ainda e me virei rapidamente para a frente. O meu coração disparou. Eu estava com certo medo e ao mesmo tempo com uma tensão do que ele poderia estar pensando e que talvez aquilo ali pudesse acabar em uma confusão, já que a cara dele não parecia de bons amigos e não havia esboçado nenhum sorriso. Tomado pelo sentimento e pela palpitação, eu tomei coragem e resolvi olhar pela greta das poltronas novamente. Dessa vez vi que ele estava dando uma coçada no saco e parecia estar ajeitando o pau na calça, já que ela estava um pouco apertada. E pra minha surpresa, quando ele tirou a mão, havia um volume bem grande entre as pernas. Ele parecia estar ficando de pau duro, e era possível ver o contorno direitinho pela calça. Meu coração naquele momento disparou mais ainda. Fiquei sem saber se olhava ou se me escondia. Resolvi continuar olhando, já que agora não conseguia mais ver o rosto dele, pois estava escondido novamente atrás do jornal (como se ele continuasse lendo). Foi então que ele levou a mão entre as pernas e começou a acariciar novamente o pau, como se tivesse tentando mostra-lo ainda mais marcando a calça. Aquela visão estava me deixando doido. Não conseguia parar de olhar aquele volume enorme, que a cada hora parecia maior, e ainda sendo apalpado. De repente, ele abaixou o jornal e jogou ele na outra poltrona. Nessa hora, eu levei um susto e me escondi rapidinho para que ele não me visse olhando. Fiquei um tempo nervoso sem saber se deveria olhar novamente ou não, ou se ele tinha me visto olhando. Estiquei o pescoço para ver como estavam os outros passageiros e eles continuavam imóveis nos seus lugares. Foi então que eu tomei coragem e olhei novamente pela greta para ver o trocador. E eis a minha surpresa. Dessa vez ele estava com a calça aberta, e com o pau pra fora. Na hora que eu vi aquilo nem acreditei. Ele começou a movimentar o pau como se estivesse batendo uma punheta. Putaquep... e que pauzão era aquele? Ele havia colocado o saco pra fora também, que balança junto com os movimentos que ele fazia pra baixo e pra cima. Nessa hora ele viu que eu estava vendo aquela cena e simplesmente continuou lá se exibindo. Eu então decidi continuar olhando, já que ele demonstrou que estava se exibindo pra mim. Eu não conseguia parar de olhar aquela cena que estava me dando muito tesão. Nunca havia passado por uma situação daquelas. Ele pegava o pau com uma mão e batia na palma da outra mão, como se fosse um porrete e continuava se insinuando pra mim. Subia e descia, e segurava bem firme em baixo do pau, balançando ele de um lado para o outro, mostrando aquele instrumento bem avantajado que ele tinha, como se exibisse um troféu. Eu já sem saber o que fazer, depois de tanto olhar, resolvi levantar e ir em direção ao banheiro, que na verdade era ao lado dele, e chegar mais perto. Quando cheguei próximo, ele continuou com o pau pra fora e passou para a cadeira que estava ao lado dele e ficou me olhando, como se estivesse esperando que eu me sentasse na que ele estava. Eu já sem pensar, nessa hora fui e sentei na cadeira. Ele olhou pra mim e sem falar nada, pegou a minha mão e colocou no pau dele. Caralho... que tesão era aquela cena e aquele momento. Eu então segurei o pau e vi que de perto era ainda maior. Era grosso e preenchia toda a minha mão. Estava duro e quente e era coberto por uma pele macia. Coloquei as duas mãos, e mesmo uma em cima da outra, ainda apontava a cabeça do pau. Um pau com uma cabeça grande, que sumia e aparecia cada vez que eu fazia movimentos de vai e vem. Comecei a fazer mais movimentos e na mesma hora ele passou a mão pela minha nuca e puxou a minha cabeça contra o pau dele. Nessa hora já estava fazendo tudo o que ele queria. Fui chegando a minha boca próximo daquele pauzão e pude sentir o cheiro de sabonete de banho recém-tomado, misturado com o cheiro de macho. Nessa hora não resisti, abri a boca e comecei a mamar ele. Um pau gostoso de chupar e que pulsava de tão duro. Uma pele macia e uma cabeça lisa. Era preciso abrir bem a boca para conseguir chupa-lo. Ele passava a mão na minha cabeça, entre os meus cabelos e fazia movimentos de vai e vem. Depois de um tempo, colocou as mãos atrás da nuca dele e ficou bem a vontade, e continuou la aproveitando eu mamando ele. Chupei aquele pau todo por um bom tempo. Por todo o momento ele e eu não havíamos falado uma palavra sequer. Até que eu ouvi um sussurro dele dizem: “Para aí um pouco. Vamo trocar de lado, porque se não o motorista pode ver algo pelo retrovisor. Senta do lado de lá que eu já vou.” Ele guardou o pau na calça de novo, apontou a poltrona que eu deveria sentar e eu fui. Ele levantou, foi até quase a metade do ônibus, olhou os outros passageiros de longe para ver se eles estavam quietos (a maioria parecia ter dormindo, já que era muito cedo) e retornou para o fundo do ônibus e sentou-se novamente ao meu lado. Abriu a calça e tirou o pau de novo pra fora e falou baixinho: “Chupa de novo bem gostoso o meu pau!” Eu abaixei e voltei a mama-lo. O pau havia amolecido um pouco, mas rapidinho voltou a crescer na minha boca. Continuei chupando ele por um tempo até que ele anunciou que iria gozar. Tirei a boca, continuei punhetando ele até que ele gozou um jato gigante de porra na poltrona da frente. Parecia que não gozava a tempos, pois gozou bastante. Ver ele se contorcendo no banco e gozando por causa da minha mamada fez eu pirar de tesão. Daí ele tirou um lenço do bolso e limpou o pau. Enquanto ainda se limpava soltou: “Caralho... que delícia de mamada.” E continuou limpando as ultimas gotas de porra do pau. Quando acabou ele disse que só ia ao banheiro e que já voltava. Eu fiquei lá só pensando no que tinha acabado de acontecer e na loucura que eu tinha feito ali, com tantas pessoas próximas e ainda com o trocar do onibus. Mas aquilo me deu uma sensação de mais tesão ainda. Alguns minutos depois ele voltou do banheiro e sentou ao meu lado de novo. Foi aí que trocamos algumas palavras pela primeira vez, diretamente um pro outro. Mas nada demais. Somente coisas do tipo de onde eu era, pra onde eu tava indo, quantos anos eu tinha e tal. Eu estava realmente sem graça e não conseguia olhar direito na cara dele. Trocamos mais algumas palavras e ele voltou a passar a mão no pau por cima da calça. Do banco mesmo ele olhou pro corredor pra ver se estava tudo tranquilo com os outros passageiros e de repente abriu o zíper da calça e colocou o pau pra fora de novo. Já estava voltando a ficar duro. Ele olhou pra mim, olhou pro pau dele, olhou pra mim de novo e falou: “Ta aqui pra você de novo”. Eu me curvei em cima dele e voltei a chupa-lo. O pau não tinha mais resquícios de porra porque parecia que ele tinha lavado no banheiro, o que me fez pensar como se fosse a primeira vez de novo. Enquanto eu estava la me deliciando naquele pauzao, senti a mão dele massageando os meus cabelos e ir descendo pela a minha nuca, subindo e descendo nas minhas costas, e indo cada vez mais em baixo, chegando na minha lombar. Uma mão grande, de dedos compridos, que as vezes arriscava invadir a minha calça. Ele continuou indo mais em baixo, até chegar a passar a mão por cima da calça, acariciando a minha bunda. Eu continuava la, curvado sobre ele, chupando seu pau e sentindo a sua mão percorrer o meu corpo. Ele então voltou a subir a mão e dessa vez desceu ela forçando por baixo da minha cueca. Eu sentia aquele dedo cada vez mais próximo do meu cu. Sua mão contornava toda a minha bunda, até que chegou a descer pelo o meu rego e a acariciar o meu cu. Ele começou a fazer movimentos circulares com a ponta do dedo, como se estivesse me massageando. Aquilo estava me deixando doido de tesão. Não acreditava que aquilo estava acontecendo. Ele então puxou a minha cabeça pra cima e pediu que eu ficasse de pé, de costas pra ele, e que ficasse vigiando se algum outro passageiro levantaria da poltrona. Eu fiz o que ele pediu. Ele continuou sentado, me segurou pela cintura e abaixou a minha calça até a metade da coxa. Eu de costas sem poder olhar pra ele de repente senti suas duas mãos abrindo a minha bunda e a sua língua tomando o meu rabo. Eu na mesma hora levei um susto e fiquei sem saber o que fazia. Então apenas continuei ma mesma posição e deixei ele se deliciar no meu rabo. Ele chupava o meu rabo com vontade, enfia a língua no meu cu e forçava sua cara contra a minha bunda. Eu estava delirando de tesão. Era uma sensação estranha aquela situação, mas muito prazerosa. Acho que se ele tivesse continuado aquilo por muito tempo eu teria gozado facilmente. De repente ele parou e me puxou contra ele, me fazendo sentar em cima do seu pau, que pulsava de tão duro contra a minha bunda. A minha bunda roçava naquele pauzao, e ele segurava a minha cintura me forçando a fazer movimentos de vai e vem. Ele chegou perto do meu ouvido e sussurrou: “Você anda com camisinha na sua mochila ai? Porque eu to doido pra enfiar meu pau nesse rabão”. Eu arrepiei todo ouvindo aquilo, mas infelizmente não estava com camisinha nenhuma na mochila. Falei pra ele que não tinha. Ele só soltou um: “porra, que pena” e continuou me fazendo rebolar no seu pau. Eu por um lado achei bom, pois não sabia como ia ser ter aquele pau todo forçado pra dentro do meu cu. Ele voltou a sussurrar no meu ouvido: “me chupa mais então que eu quero gozar de novo”. Eu saí de cima dele e voltei a chupa-lo. Ele então molhou o dedo na boca e começou a força-lo no meu cu. Foi entrando aos poucos e ficou lá tirando e colocando. Poucos minutos depois ele disse que ia gozar novamente. Eu dessa vez comecei a bater uma punheta junto com ele e como estava louco de tesão naquela situação acabamos gozando juntos. Eu me sentei direito na poltrona, e ele tirou uns papeis que havia trazido do banheiro pra gente se limpar. Nos limpamos e ele levantou e foi ao banheiro novamente. Quando voltou se sentou ao meu lado e disse que aquilo ali tinha sido muito gostoso e que ainda queria ter a chance de comer o meu rabo. Eu meio sem graça só ri com uma cara de sacana e concordei com a cabeça. Ele pediu licença e falou que só iria lá na frente junto ao motorista pra ver se estava tudo bem por lá. Quando olhei pra estrada, vi que já estávamos quase chegando no meu destino. Ele voltou lá da frente e permaneceu de pé ao meu lado, já que alguns passageiros já estavam acordados e fazendo barulho dentro do ônibus. Ele olhou pra mim e falou: “Poxa, que pena que a gente já ta chegando na sua parada. Só de pensar no seu rabo eu já to ficando de pau duro de novo.” E riu. E voltou a falar: “Espero poder te ver mais vezes por aqui. To sempre nesse trecho.” E eu respondi: “Pode deixar. Devo acabar voltando mais vezes.” E ri de volta. Trocamos mais algumas palavras até que o ônibus chegou na minha cidade. Peguei a minha mochila, me despedi dele com um aceno de cabeça e fui embora.

VIREI PUTINHA DO MEU AMIGO PART 2

Olá pessoal, aqui venho contar a parte 2 do meu conto. Um dia depois do ocorrido com Diego, ele me disse para ir na casa dele que não teria ninguém em casa, era sábado e os pais deles iriam viajar, ele me convidou para dormir e eu aceitei(apesar de não ter escolha). Cheguei lá 17h, toquei a campainha da casa dele e Diego rapidamente me atendeu, eu abracei ele e falei -Como vai ? -Tudo de boa e com você ? -Estou bem ^.^ Fomos entrando na casa dele e ele falou -Ficou com saudades do seu macho? -Claro. Como não sentir saudades de você. -Também fiquei com saudades da minha putinha. Agora vai para o meu quarto e me espera lá. Fui para lá e logo depois de eu ter entrado o irmão dele veio na porta do quarto e falou com o irmão -Num é que é verdade que você tem uma putinha -Eu falei, esse bixinha é a minha puta(eu fiquei super assustado com o irmão dele ali e falei -O que está acontecendo ?( e então diogo me respondeu) -Esse é o meu irmão Rodrigo, você deve conhecer ele da escola, então, estava com uma dívida com ele e como estava sem dinheiro, ele aceitou um cuzinho como pagando. -Eu vou ter que dar para ele ? -Sim, vai ter que dar para nós dois.(fiquei chocado com a resposta e fiquei até um pouco nervoso) Rodrigo:Fica tranquilo, não vamos te machucar... Muito (falou rindo para o irmão Diego:Tira a roupa sua puta, vou na cozinha e quando voltar quero você pelada na cama. Prontamente atendi o pedido, nunca nem pensei em fazer sexo com o Rodrigo, ele sempre foi quieto na escola que nem pensava que ele pensava nessas coisas. Ele era branco, alto, cabelo preto liso(engraçado porque o do irmão é duro) e não era musculoso, era bem fortinho, mas não musculoso, não tinha músculo definido mas era forte, bastante forte. Rodrigo:Nossa, nem estava acreditando que meu irmão tinha conseguido uma puta haha Eu:Pois é né, agora ele tem e parece que vai compartilhar com o irmão. Rodrigo:Ah, ele vai... Diego:Voltei, agora fica de 4, sua puta(prontamente fiquei) Rodrigo:Nossa, esse seu viadinho é obediente, é até engraçado ver ele te obedecer sem pestanejar. Diego:Ele me obedece 100%, não é sua puta, e me deu um tapa na bunda. Eu:Sim meu macho Rodrigo:Nossa hehehe. Vamos começar então? Diego:Sim. Vai fazer um boquete no meu irmão sua puta. (fui engatinhando até a cadeira que ele estava e comecei a chupar) Rodrigo:Uh, nossa, que boca gostosa dessa tua puta irmão. Diego:Sim, ela tem uma boca maravilhosa. Rodrigo:Posso fazer ela de puta também? Diego:Isso vai pagar toda a dívida? Rodrigo:Sim, claro. AAAH, delicia Diego:Hoje ele é sua putinha então.(Rodrigo segurou nos meus cabelos e começou a me prender contra o pau dele, nossa, eu ficava sem respirar mas era muito gostoso ter dois machos me controlando. Depois de um tempo comigo fazendo boquete Diego falou Diego:Está na hora de comer essa putinha ? Não está? Rodrigo:Sim, está. Fica de 4 sua puta.(fui engatinhando até a cama e fiquei de 4) Diego:Nossa, essa putinha está com fogo, apaga o fodo dela Rodrigo Rodrigo:Vou apagar, com certeza.(Rodrigo me pegou pela cintura, e forçou até o pau entrar e estocou tudo, ele era sem piedade estilo o irmão) Diego foi na minha frente, pegou na minha cabeça e começou a fuder como se fosse um cu, nossa, adorava essa sensação de ser dominada por dois machos fortes e virís, que me faziam de puta para saciar os próprios desejos. Depois de um tempo Diego falou Diego:Cara, que tal fazemos essa putinha sofrer ? Rodrigo:Como assim ? Diego:Vamos meter nela ao mesmo tempo. Será que você aguenta putinha? Eu:Não sei meu macho. AAH. Rodrigo:Sim, vamos fazer ela sofrer. Ela é um bixinha que queria macho, agora ela tem macho e vai ter que aguentar machos de verdade. Diego:Isso ai. Diego deitou, eu deitei de frango assado por cima dele, e Rodrigo veio por cima. Primeiro Diego meteu o pau no meu cuzinho enquanto eu estava de frango assado em cima dele, era muito boa sentir os músculos dele nas minhas costas. Depois de Diego ter metido Rodrigo veio e empurrou empurrou empurrou, tentou várias vezes, até que entrou, minha nossa,a dor foi imensa, mas ver aqueles dois machos me chamando de putinha, me fazendo de escrava era algo indescritível. Rodrigo:Nossa cara, que cuzinho gotosooo Diego:SIIIM, essa putinha tem o cu delicioso. Eu:AAAII, está doendo, vão devagar. Diego:Cala a boca sua putinha, ai Rodrigo, mostra para ela quem é que manda, bomba bem forte no cuzinho dela.(nossa, para que ele falou isso ? Rodrigo começou a bombar feito louco) Eu:AAAAHHHH, está doendoooo, AAAHHHH Diego:Aguenta caralho, você é um viadinho, seu dever é obedecer seu macho, aguenta a rola do meu imrão caralho. Eu:Ok meu macho, eu AAH, vou AHH, aguentar Rodrigo:Toma rola seu viado de merda, toma rola, sua puta, você não queria rola? Agora toma rola, seu viadinho. Diego:Isso, fode ela com vontade, fode ela com tudo. Eu:AAHH Rodrigo:AHH, estou perto de gozar, tira o pau ai Diego. Diego:Vamos gozar na cara dessa puta Rodrigo: Boa ideia Tiraram os paus dentro de mim e nossa, senti um alívio. Diego:Fica de joelhos no chão sua putinha. Os dois ficaram do com as picas miradas no meu rosto. Rodrigo:Nós faça gozar, bata pra gente. Eu:Ok Bati um pouquinho só e logo Rodrigo gozou e pouco depois Diego gozou, nossa, minha cara ficou cheia de porra. Rodrigo:Que viadinho safado, gosta de levar leitada na cara. Diego:Vamos fazer ele nos limpar. Limpa nossa rola viadinho. Comecei a chupar a do Diego, tirei tudo e depois chupei a do Rodrigo e também tirei tudinho. Rodrigo:Nossa, que putinha deliciosa Diego, você tem muita sorte de ter conseguido ela. Diego:Sim, e ela sortuda por ter sido minha puta. Rodrigo:Gostou de ser puta por dois machos? Sua puta Eu fiz com a cabeça que sim. Rodrigo:Caralho, isso é muito foda, ela nós obedece sem pestanejar, esse viadinho nasceu para ser puta cara Diego:Sim, esse é o dom desse viadinho, servir para os machos. Fiquei super feliz de ter tido esses machos me tratando realmente como uma puta, apenas pensando neles mesmos. Diego:Agora vem dar banho na gente, mas agora só banho.(dei banho neles e depois fui para a sala com eles) Diego:Vai para o chão Eu:Ok Diego:Lambe o meu pé(obedeci e comecei a lamber, o pé dele era bem masculino, todo mal tratado) Rodrigo:Caralho, agora sim eu acredito que essa sua puta te obedece 100% Diego:Eu disse hehe. Agora vai colocar nossa janta sua puta.(Fui na cozinha, coloquei a nossa janta e enquanto estava lá Rodrigo foi atrás de mim e me deu uma bela de uma encoxada, eu estava peladinho e eles também e falei Eu:Nossa, que susto Rodrigo:Não se assusta não sua putinha, só quis ver se estava fazendo um bom trabalho Eu:Sim, estou colocando bastante para vocês Rodrigo:É isso ai, temos que comer bastante para dar conta de mandar nessa putinha Depois de jantarmos fomos para a sala, eles ficaram no canto e eu no meio do sofá até que diego falou Diego:Vamos para o segundo round ? Rodrigo: Bora Diego:Vai para o quarto putinha. Rodrigo e Diego vieram logo atrás, eles deitaram na cama e Diego falou. Diego:Quica um pouco em um e quica um pouco no outro, bora putinha. Quando comecei no Diego tomei um tapa na cara e ele falou Diego:Só para você entender que eu que sou o seu macho, estou apenas pagando uma dívida com meu irmão hein Eu: Tudo bem. Fizemos muitas coisas aquela noite. E dormir que é bom nada. Espero que tenham gostado desse conto. Depois conto mais.

VIREI PUTINHA DO MEU AMIGO

Olá pessoal. Venho aqui relatar um conto verídico que aconteceu comigo, em meados de 2011, quando eu Flávio tinha 15 anos. Eu sempre fui bem magricelo, alto, branquelo e possuia cabelo castanho claro liso. Tudo começou quando fui para o ponto de ônibus quando saia da escola e lá estava o Diego com sua ficante. Diogo tinha 17 anos, era branco, alto, tinha olhos verdes, o cabelo meio duro preto que com o penteado que ele colocava ficava bem legal e um corpo super musculoso. Ele fazia academia e possuia um corpo muito, mas muito musculoso, o peitoral dele era muito definido, o que sempre me deixou babando. Estudavamos na mesma sala, e pegavamos o mesmo ônibus, eu cheguei no ponto de ônibus falei com ele tipo eae e fiquei no meu canto, depois de um tempo a ficante dele foi embora e logo veio o nosso ônibus, o ônibus estava bem vazio, ele foi logo lá para trás no ônibus e como estava atrás fui também. Ele logo começou falando que estava cheio de tesão e que queria gozar e depois perguntou -Você gosta de rola ? -Não sei, nunca provei.(respondi meio envergonhado com a pergunta) -Quer experimentar ? -Não valeu.(claro que eu estava mentindo, queria falar: claro, me dê sua rola agora) -Experimenta ai, pode pegar.(ele abriu a barguilha da calça e colocou a rola para fora) -Não cara, valeu -Pega porra(ele pegou minha mão com força e colocou no pau dele) Eu comecei a bater uma punheta para ele, deixando ele muito feliz, ele falou -Falou que não queria pegar mas agora não quer soltar né? Eu fiquei vermelho por estar envergonhado e então ele falou -Já que está com a mão coloca logo a boca(e comecou a me empurrar para baixo do ônibus) Fiquei no chão do ônibus e comecei a mamar ele e nossa, como ele gostou, eu comecei a levantar a blusa dele e fiquei passando a mão no peitoral dele e ele falou -Aaah, o viadinho gosta de rola.(colocou a mão na minha cabeça e começou a me prender na rola dele, me fazendo engasgar muitas vezes) Depois de um tempo ele rapidamente me puxou pelo cabelo e nossa, tinha gente vindo para o fundo do ônibus. Tomei um susto. Então ele falou -Vamos lá em casa agora. -Eu nem falei se posso. -E eu não perguntei. -Eu hein, que isso cara? -Você vai lá em casa agora e ponto final. Não falei mais nada e fui com ele, moravamos um pouco perto, uns 8 minutos a pé. Quando chegamos ele logo me levou para o quarto e falou -Tira a roupa e deita na cama.(assim colo ele falou eu fiz)Vou te mostrar o que é ter um macho de verdade. Comigo já deitado na cama todo pelado ele foi, deitou do jeito que estava e falou -Tire minha roupa(assim eu fiz, comecei pelo tênis, depois tirei a blusa e fiquei passando a mão naquele peitoral dele, nossa, que tesão aquilo me dava. Depois tirei a calça e quando ele ficou só de cueca ele falou para que eu tirasse com a boca e assim foi feito) Depois que o pau já soltou para fora ele falou -Abocanha, seu bixinha, sua puta -Ain -Mete logo a boca ai e para de frescura(obedeci e comecei a mamar aquele pau maravilhoso, super rosado) Depois de já ter passado um tempo comigo ali mamando ele diz -Fica de 4, agora que você vai sentir um macho de verdade Fiquei de 4 e ele veio por trás e ficou empurrando com o pau, empurrou empurrou e empurrou, demorou para entrar e quando entrou nossa, doeu muito e ele sem dó e sem piedade de mim, meteu tudo de uma vez, me fazendo gritar e chorar eu falava -Para, por favor, vai mais devagar -Cala boca sua putinha, você queria rola, você é minha puta, vai ter que me obedecer e aguentar o que eu quiser. -Ain, por favor, para, por favor E comigo reclamando ele pegou nos meus cabelos e puxou para trás com tudo me fazendo gritar -AAAAAAHHHHH -Isso sua puta, grita sua vadia, grita para mostrar quem é o seu macho -AAAHHH está doendo, para, por favor -Foda-se se está doendo, você é um viadinho, uma puta, vai ter que aguentar, não ligo se está doendo, você vai aguentar, você é minha puta e vai me obedecer e aguentar tudo que eu mandar, não importa se você vai sofrer, o que importa é o meu prazer. Fala quem é o seu macho. -Você, você é o meu macho. -Isso mesmo sua putinha.(ele disse isso e me deu um tapa muito forte na bunda) -AAAH -Vira de frente para mim sua puta.(rapidamente virei e ele forçou novamente até meter e quando meteu foi com tudo e me levantou, me deixando no colo dele. -AAAHHH, cuidado, não me deixa cair -Fica calma sua puta, não vou te deixar cair seu viadinho, eu sou forte porra. Agora rebola no pau do seu macho. Comecei a rebolar e ali apesar da dor começava a sentir tesão, eu sempre tive tesão nele, nunca achei que um dia conseguiria dar para ele, mas a partir desse momento me sentia alegre por estar satisfazendo esse macho. Ele ficou metendo até que me colocou na cama e falou -Fica de joelho(prontamente fiquei, ele abriu minha boca, colocou o pau, e segurou minha cabeça e fudeu, fudeu como se fosse o meu cu, me machucava mas ver o meu macho ficando satisfeito era uma sensação boa de mais, quando ele me deu liberdade de respirar falei:) -Cuidado está machucando. -Já vai acabar. Ele falou isso tirou o pau e gozou tudo na minha cara e na minha boca e falou -Limpa meu pau sua puta. -Ta bom, calma meu macho -Epa, já aprendeu que sou seu macho né? -Sim, já sim. Limpei o pau dele todinho e depois disso ele ficava batendo na minha cara com o pau dele, sujando mais com a porra me fazendo limpar novamente. Depois disso ele deitou na cama e eu também deitei e fiquei lambendo o peitoral dele, sentia muito tesão nele. Ai ele falou -Agora você é minha putinha, vai ter que me obedecer sempre, entendeu ? -Sim, entendi. -Se ousar me obedecer vai apanhar, olhe para mim e olhe para você, já sabe que não tem nem chance de se defender. É bom não me desobedecer. -Não vou meu macho, vou ser sua putinha obediente. -Muito bom, e caso me desobedeça e tentar fugir ou se defender do castigo vai apanhar mais. É bom entender bem. -Eu entendi meu macho, não vou te desobedecer. -Acho bom, agora vai ter que me dar banho e depois fazer um lanche. Assim eu fiz, dei banho nele e tomei banho também, claro. Depois do banho ele disse. -Não precisa mais fazer lanche, fica deitado na cama com a bunda para o alto. Assim eu fiz, ele chegou por trás e começou a dar tapas fracos mas que doia um pouco na minha bunda e ficou falando -Me apaixonei por essa bunda, acho que não vai mais conseguir viver sem ela. Olha só isso aqui. -Ui, gostou dela? -Sim, adorei, vou querer ela sempre que puder. -Delicia -Agora vai fazer um lanche pra gente e depois vá para casa. -Ok meu macho Fiz o lanche, comemos e depois de comer ele falou -Se prepara hein, meu apetite é insaciável. Tchau -Tchau meu macho. Depois conto mais como foi e depois da participação ilustre do irmão dele, que tem 16 anos. Espero que tenham gostado.

PAGUEI PRA CHUPAR OPAU DO MEU COLEGA E ELE ACABOU ME COMENDO

Na minha última semana de ensino técnico, eu estava apenas aguardando os dias para finalmente me formar. Não aguentava mais ficar empurrando aquele curso com a barriga. Como se já não bastasse o ensino médio durante a manhã, tinha que fazer um curso técnico à tarde. Pegar o ônibus também era uma coisa que eu já estava de saco cheio, porque a escola técnica ficava na cidade vizinha, e como era uma cidade bem pequena, os ônibus demoravam muito para para voltar para minha cidade. Desembarquei do ônibus em frente à escola técnica para entregar meu TCC e finalmente me livrar daquilo tudo. Fui até a secretaria, protocolei, assinei, e deixei tudo resolvido. Olhei para o relógio e vi que teria que esperar um tempão ainda para pegar um ônibus para voltar pra casa. Como não tinha mais o que fazer, e não ia aguentar ir para a biblioteca, resolvi sair da escola técnica e dar uma volta pela cidade, não é como se ela fosse tão grande assim. Peguei a rua da esquerda, porque o sol estava batendo do lado direito dos prédios e fazendo sombra naquela rua. Caminhei um pouco, pensando que tudo finalmente estava acabando. Passei em frente à um mercadinho, e mais pra frente tinha uma praça, e logo mais adiante uma padaria, onde eu tinha intenção de parar e comprar um pastel e um refrigerante. Eu estava com bastante dinheiro na carteira, porque não sou de gastar muito a minha mesada. Cheguei até a esquina da praça, em frente à igreja, e dei de cara com o Fabiano, um colega meu do ensino técnico. Ele estava sentado na escadaria da igreja fumando um cigarro e bebendo uma lata de cerveja. Ele era um ano mais velho que eu, e começamos o ensino técnico juntos, mas ele tinha ficado pra trás porque reprovou em umas matérias, era muito folgado. Ele nunca foi muito inteligente, mas se achava demais durante as aulas práticas. Era daqueles caras que pagava de comedor das menininhas, e gostava de constranger os outros garotos, passando a mão na bunda deles e dando tapas. Eu reclamava quando ele fazia isso comigo, mas confesso que aquilo me deixava muito excitado. Volta e meia ele postava uma foto sem camiseta no Facebook, porque ele fazia academia e gostava de mostrar os músculos, e principalmente o tanquinho, eu achava ele um tesão. Por conta disso sempre tentei ajudar ele durante o curso, até porque faço a linha meio nerd, mas ele não se ajudava, nem queria saber de estudar, apesar de a família dele estar pagando aluguel pra ele morar na cidade da escola técnica. Ele me cumprimentou e pediu pra eu sentar com ele ali em frente da praça, porque ele tava de bobeira e na casa dele não tinha nada pra fazer. A gente começou a conversar, e ele como pagava de comedor, começou a puxar esses assuntos, perguntou pra mim se eu já tinha comido a Franciele (uma colega que sempre andava junto comigo), e eu disse que não, ele falou que ela tinha uma bunda muito gostosa, e que já tinha "homenageado" ela (batido punheta pensando nela). Ele também disse que tinha tirado o cabaço da Sara da nossa sala, e que ela tinha os peitinhos durinhos e a buceta bem apertadinha, do jeito que ele gostava. Aquela conversa dele já tava me enchendo de tesão, imaginar ele comendo aquelas garotas sortudas, só de imaginar o tamanho do pau dele fazia o meu ficar duraço. E ele não parava de falar sobre o quanto ele transava, e falou da namorada dele (que ele vivia traindo), que tava pensando em terminar com ela, mas que não terminava porque o sogro deixava ele usar o carro da família. A conversa foi esfriando, mas eu ainda tava sentindo um tesão enorme imaginando o Fabiano fodendo. O cigarro dele acabou, e ele foi procurar mais na caixinha, foi quando ele se deu conta que tinha acabado. Ele ficou puto, disse que o dinheiro tava foda, que a família dele dava uma micharia pra ele pagar o aluguel, que não sobrava porra nenhuma e ele não tinha nem dinheiro pra comprar cigarro. Eu pensei em sugerir pra ele parar de fumar, mas eu sei que os fumantes ficam muito irritados quando alguém fala isso, então desconsiderei dizer isso. Eu não conseguia parar de sentir um tesão gigante pelo Fabiano, e quando vi ele reclamando de dinheiro na minha frente, e que aquela podia ser a última vez que a gente iria se ver, criei coragem, olhei pra ele e comecei a falar - É foda mesmo ficar sem dinheiro... Cara, eu tenho uma grana aqui comigo... E te dou cinquenta reais... Se você me deixar eu chupar teu pau. Ele olhou pra mim surpreso e deu risada. - Quê? Hahaha... Sério? - Ele me encarou - Sério mesmo? - Sério. - Eu respondi determinado. - Não - Ele disse balançando o dedo indicador - Macho não encosta no meu pau não... - É cinquenta reais cara, imagine o tanto de cigarro que tu ia poder comprar - Eu falei aquilo, me dando conta de que tinha se tornado um suborno. - Eu sabia que você tinha um jeitinho... - Ele disse - Tu nunca foi de falar de menina... - Tu não quer os cinquenta reais? - Eu disse, fingindo estar disposto a ir embora, mas morrendo de medo dele recusar meu dinheiro. - Eu não sou viado cara... - Cara, teu pau não vai se importar quem tá chupando ele... Vai ser bom, você vai gostar... - Ah cara... - Ele disse pensativo - Tá bom, por cinquenta reais... Mas você não vai contar pra ninguém! - Claro que não vou contar! - Quando vai me pagar? - Depois que você me deixar eu te chupar. - Tá bom então... Vamos lá pra minha casa, aí tu faz isso aí. A gente se levantou e eu fui seguindo ele, voltamos para a rua do mercadinho, onde era a casa alugada dele. Ele abriu a porta e entramos, era uma casa bem pequena, tinha pratos sujos na sala. Realmente dava pra perceber que ele morava sozinho. Ele foi até a geladeira e pegou outra latinha de cerveja. Fomos até o quarto e eu disse pra ele - Acho melhor você colocar um pornô pra assistir... - É, vai ser mais fácil - Ele disse indo até o computador que ele tinha deixado ligado. Foi no Google e procurou um vídeo no Redtube que eu nem vi direito, só tava louco pra ver o pau do Fabiano. Ele se sentou na cama, deu um gole na cerveja e começou a olhar pra tela do computador - Quando você quiser... - Ele disse. - Quando você estiver pronto. - Respondi. Ele tirou as calças e a cueca, e ficou só de camiseta, o seu pau ainda estava mole, não era circuncidado, mas o tamanho era maior do que eu imaginava. Ele abriu as pernas e me olhou apontando com a cabeça pro pau dele, como se fosse um sinal de "pode começar". Me ajoelhei entre as pernas dele e vi o seu pau ficando duro enquanto ele assistia o filme. Eu já estava morrendo de tesão e com o pau duraço, mas esperei a mulher do filme começar a chupar para eu começar também. Quando ela começou, coloquei minha boca no pau do Fabiano com os lábios bem molhados e senti ele indo ao delírio instantaneamente, fui fazendo os movimentos pra cima e pra baixo, e olhei pra ele, que estava com os olhos fechados se contorcendo de prazer. Ele gemia... Abriu os olhos e me encarou - E não é que o viadinho gosta mesmo? - Ele falou com desdém - Capricha aí! Continuei chupando enquanto ele delirava de tesão. - Nossa... Assim caralho... Que delícia...- Ele gemia - Caralho... Que tesão... Puta que pariu, que boquinha de veludo... Assim viadinho, mama o pau do teu macho... Eu coloquei as mãos nas coxas dele, e ele tirou-as no mesmo instante - Que que tá fazendo? Não encosta em mim... - Ele me deu um tapa na cara - Viado do caralho! Só o meu pau você pode encostar... Mama aí! Aquela agressividade ao invés de me deixar indignado, me deixou com muito mais tesão. Continuei chupando ele por uns instantes e coloquei as mãos na coxa dele de novo, de propósito. - O que foi que eu te disse? - Ele me empurrou - Só o meu pau, viado! Voltei pro meio das pernas dele - Coloca as mãos pra trás... - Ele mandou - E se tu me encostar de novo, eu vou te encher de porrada. Entendeu? Fiz que sim com a cabeça, e voltei a chupá-lo, ele colocou a mão na minha nuca e começou a controlar os movimentos de vai e vem, e continuou se deleitando de prazer - Nossa... Que boquinha hein? Lambuza o pauzão do teu macho... Assim... Que delícia... Se tu caprichar vou te deixar chupar meu pau mais vezes... Isso... Mama a pica do teu macho, mama viadinho... Assim... Isso... - Ele dava um gole de cerveja entre um gemido e outro. - Mama porra! Com vontade, caralho! Ele se levantou, foi até o computador e avançou a cena do vídeo quase que para o final. Percebi que o tesão dele já estava nas alturas, ele deu um último gole na cerveja e deixou a latinha de lado. Se sentou de novo na cama, e com as duas mãos ele segurou minha cabeça e começou a controlar com mais força e velocidade os movimentos de vai e vem - Assim... Se prepara viadinho, eu vou gozar... - Ele segurou minha cabeça com força e começou a foder minha boca - Tá quase... Aaah - Os movimentos de fricção foram ficando cada vez mais rápidos - Eu vou gozar porra... Se prepara... AAAH, EU VOU GOZAR! AAAAAH... - Eu senti os jatos fortes de porra esguichando dentro da minha boca, que se encheu de sêmen, um gosto salgado que me encheu de tesão. Ele continuou fodendo a minha boca gozada - Não era isso que tu queria, viadinho? Engole tudo agora... Engole o leite do teu macho... - Ele falou, dando tapinhas no meu rosto, enquanto eu ainda estava com o seu pau inteiro na boca - E se tu deixar cair uma gota, vou te arrebentar... - Engoli com o maior tesão do mundo toda a porra do Fabiano, limpando o seu pau com a língua e dando umas últimas chupadas só pra ver ele se contorcer de prazer. Ele estava em êxtase, ofegante. - Vai buscar outra cerveja pro teu macho, vai! - Ele disse. Me levantei para ir até a cozinha e ele deu um tapa na minha bunda. Já estava morrendo de tesão e com o pau latejando, saí do quarto e fui até o banheiro, peguei um papel higiênico e bati punheta ali mesmo, gozei em segundos só de lembrar da sensação de ter o pau do Fabiano na minha boca. Joguei o papel higiênico no lixo, lavei as mãos e fui até a cozinha, abri a geladeira, peguei uma latinha de cerveja e voltei pro quarto. - Demorou né - Ele falou, tirando a latinha da minha mão, abrindo e dando um gole generoso. Estava sentado em frente ao computador, no Redtube, procurando mais vídeos, ainda sem as calças e sem cueca, e com o pau duro. Ele segurou o pau e falou - Sabe que de repente me deu uma vontade de comer um cu? - Ficou me encarando - Nunca consegui comer um cu... E agora tô com vontade... Adivinha só pra quem vai sobrar? - Ele me perguntou com a mão no pau. - Pra mim?! - Respondi, sem muita certeza. - Você é esperto, hein? - Ele punhetou um pouco o pau - Prepara esse cu aí, que hoje eu não vou perdoar... Quero nem saber. Meu pau subiu na hora. Ele foi até o criado-mudo, abriu a gaveta e tirou uma camisinha e lubrificante - Pode se preparar já. - Ele disse. Tirei as calças, a cueca e a camiseta, ficando inteiramente pelado. Ele foi até o computador e abriu outro vídeo. - Empina essa bunda pro teu macho. - Ele falou. Apoiei meus cotovelos na mesa do computador e virei minha bunda pra ele. - Que bundinha macia, hein... - Ele elogiou, dando uns tapinhas - Quero arrebentar, tuas prega de hoje não passa... Ele colocou a camisinha no seu pau já duraço, passou o lubrificante e punhetou pra espalhar. - Abre esse cu aí - Ele falou. Senti a cabeça do seu pau encostando na entrada do meu cu, ele começou a penetrar lentamente, delirei de tesão, ele segurou minha cintura e continuou a deslizar seu pau dentro de mim, senti sua pélvis encostando na minha bunda. - Aguenta aí - Ele falou endurecendo o pau dentro de mim, acho que queria ver minha reação. Gemi de prazer. - Pelo jeito gosta de levar uma rola, né viadinho? Agora aguenta! Ele começou os movimentos de vai e vem lentamente, a sensação de sentir o seu pau entrando e saindo no meu cu era de um prazer indescritível. Ele começou a bombar mais rapidamente. - Que delícia de cuzinho, hein? - Ele me agarrou e começou a meter com mais força - Aguenta aí sua puta... - Eu sentia o seu pau deslizando dentro de mim, enquanto ele socava com força. Ele metia cada vez com mais força - Toma viadinho... Tu tava afim de levar vara né? Agora aguenta... Faz teu papel de puta, viadinho... - Ele começou a dar tapas na minha bunda - Que cuzinho gosto... Não achava que ia ser tão bom... - Ele agarrou minhas nádegas com força, separando as duas, deixando meu cu bem aberto e começou a socar. Eu estava no ápice do tesão. Ele me envolveu com os braços e apoiou a barriga nas minhas costas, metendo com mais força e me segurando pra eu não me mexer. - Toma viadinho! Não era essa pica que tu queria? Agora toma! - Ele me agarrou com mais força, bombando com mais velocidade, aumentado a fricção - Aguenta aí... Aaaah... Tá quase... - Ele metia seu pau com mais força e velocidade - Tá quase... Se prepara... Tá quase... Vou gozar- Senti seu pau queimando meu cu - VOU GOZAR... AAAAAH... - Ele urrou de prazer enquanto ejaculava dentro de mim. Foi uma gozada do caralho, Fabiano gemia em êxtase. Ele me deu um tapa na bunda - Até que aguentou bem, viadinho... - Ele disse, ainda com o seu pau dentro do meu cu. Deu umas últimas estocadas, como se quisesse últimos momentos de prazer e tirou lentamente seu pau de dentro de mim. A camisinha estava completamente cheia. Ele deu um nó e jogou pela janela, em um terreno baldio. Olhei pra fora, e havia muitas outras camisinhas usadas ali, devia ser um costume dele jogar a camisinha pela janela depois que terminava de comer uma garota. Como eu disse, ele era muito folgado. Ele saiu do quarto e foi pro banheiro lavar o pau. Me deitei na cama e me masturbei ali mesmo, até gozar no peito. Ele voltou pro quarto, pegou minha carteira em cima da mesa do computador, abriu e tirou uma nota de cinquenta reais - Foi um prazer fazer negócios com você... - Ele disse.