sábado, 24 de setembro de 2016

Chupei o amigo do meu irmão

Oi, este é meu primeiro conto, perdoem os erros de ortografia. Vou trocar só os nomes pra manter sigilo, me chamo Jones, tenho 34 anos branco 1,60. 55 kg cabelo liso castanho escuro olhos pretos, sou de São Paulo. gosto de meninas mas me atraio por meninos também, esse conto é real, tem um amigo meu e do meu irmão, chamado "Luiz" 18 anos, branco 1,70 bem magrinho cabelos escuros. A tempos q somos amigos, e eu já sabia da fama q ele tinha um pau grande e grosso, mas até então nunca tinha visto, aew um dia no fundo de casa tirei o meu pau pra mijar perto dele, ele olhou e deu risada e disse " que grande" ai vi q já era um sinal kkk, depois a tarde fomos num parque só q choveu nos molhamos um pouco então, disse para nós tirar a camisa pra não molhar meu carro, e fomos embora. Na ida passamos em um hipermercado onde meu irmão foi comprar algumas coisas ficando eu e meu amigo no carro. Perguntei pra ele olhando pro volume da calça e sua barriga magrinha se realmente o pau dele era muito grande, ele tava meio cansado e de olhos fechados respondeu q não sabia. fui pegar então o celular dele no bolso e esbarrei no pau dele e vi q tava duro, ele não esboçou reação, daew falei pra nos medir, peguei um papel e enrolei e medi o meu, tamanho e grossura, aew falei pra medir o dele, ele continuou de olhos fechados e eu peguei no dele por cima da calça dando uma apalpada, daew fui abrindo sua calça e ele deixando, quando tirei o pau daew ele abriu o olho e me ajudou a medir, de grossura era quase o mesmo q o meu, uns 13 cm de circunferência, de tamanho deu uns 17 cm, o meu da 15 cm. daew fui mexendo no pau dele e ele deixando daew guardei o pau dele e fiquei passando a mão na perna e no pau, daew parei e meu irmão chego. Outro dia, estávamos nos três no meu quarto, cada um mexendo no celular e eu do lado dele, aew comecei a passar a mão na perna dele e ele deixando, dai fui subindo, na barriga acariciando, td bem discreto pro meu irmão não vê, daew fui alisando em cima da cabeça do pau dele ai el foi se ajeitando pra eu mexer e acariciar melhor, nisso já cresceu o pau dele, depois comecei a enfiar o dedo dentro da cueca dele alisando a virilha dele, ele se ajeitou mais, aew fui alisando a cabecinha do pau dele que ja estava soltando baba, nisso meu irmão dormiu e daew continuei a acariciar a cabecinha, ele até fechava os olhos e se retorcia de tesão, ate q ele abriu o calção e quis q eu batesse pra ele. Tava com muito tesão e disse q ia no banheiro e eu fui junto, aew ele tirou todo o pau pra fora e eu bati até ele gozar um monte na minha mão. Na terceira vez ele tava em casa aew ele jogando video game e eu sentei do lado dele e comecei novamente a acariciar a perna dele e fui subindo pra barriga, nisso ele ja começou a se contorce de tesão e se ajeitado pra eu fazer carinho, comecei acariciar a virilha e ele pegou fogo, só tava eu e ele no quarto, meu irmão tinha saído, daew falei pra ele vir no outro dia, e ele disse que tinha q ser naquela hr msm. Continuei acariciando, ele tava deitado e de tanto tesão que ele tava começou a fazer movimento de foder. Eu tava só acariciando os pentelhos dele em cima do pau, ai peguei no pau dele e fui ajeitar o saco dele, ai ele puxou meu braço devagar direcionando até os pentelhos em cima do pau novamente, tudo isso dentro da cueca dele. Aew ele abriu o calção e tirou pra fora o pau, logo peguei nele pra bater, daew pra minha surpresa ele olhou pra mim e pediu pra mim chupar, fiquei parado um tempo e meio que falei que era foda isso, ele insistiu que era só um chupinho. Então concordei desde que ficasse só entre nós e ele topou, daew cai de boca e ele fechou o olho e continuei chupando, era muito bom sentir o pau dele na minha boca passando a língua na cabecinha, dai ele disse novamente que ia no banheiro e fui junto, daew comecei a bater, e comecei a chupar de volta, pouco tempo depois ele pediu pra parar que ele tava quase gozando, daew falei que podia gozar que depois eu cuspia. não demorou muito e ele encheu minha boca, fiquei chupando até sugar toda a porra, depois cuspi na pia e ele começou a limpar o pau e eu tocar minha punheta, gozando um monte logo em seguida. Espero que tenham gostado, logo postarei mais contos

Enganando um pm e transando com ele

E aí pessoal, olha eu de novo. Essa vez vou contar outra situação que aconteceu comigo e, por favor, não me julguem mal. Quando eu estava casado com minha ex-esposa, eu criei um fake com as fotos dela, algumas peladas e outras normais, já cheguei a contar isso aqui. Então, certa vez consegui manter contato com um policial que morava em minha cidade, mas trabalhava em outra. O certo era que não nos conhecíamos pessoalmente. Quando soltei o papo, ele pensava que estava teclando com a mulher do face, eu, fingindo ser minha própria esposa, disse que era casada e meu marido e eu curtia-mos sexo à três; o chamado "menage", acabei convencendo ele de participar. Eu já tinha ganhado nudes dele e por conta disso meu tesão estava à mil. Convenci-o que precisava conversar com meu marido primeiro, por questão de segurança e que, dependendo desse encontro, meu marido resolveria se poderíamos fazer o menage. O certo é que o garotão aceitou de boa, ele era muito safado, e estava louco pra fuder aquela garota do face. Quando chegou a noite e a hora marcada, fui ao encontro dele num barzinho bem estratégico (próximo de um motel). A princípio ele se surpreendeu, achou que eu fosse um corôa asqueroso, mas era quase da mesma idade que ele é de boa aparecia, depois com a conversa, mostrei várias fotos de mim com minha esposa, fotos de viagens e fotos íntimas tbm. Percebi a vibração dele, estava louco pra fuder a bucetinha de minha amada. Após algumas cervejas, abri o jogo(em partes), falei que só toparia fazer o menage, se ele e eu ficássemos primeiro. O rapaz se mostrou assustado, mas aos poucos foi aceitando a idéia, só deixou bem claro que não faria outra coisa se não comer e deixar eu chupar. Tomamos mais algumas cervejas e partimos ao motel mais próxima. Ao entrarmos no quarto percebi que ele estava nervoso, mas eu não via a hora de agarrá-lo, daí tratei de deixar o clima mais tranquilo, liguei a tv num filme pornô, fiquei só de cueca, e me ajoelhando baixei o zíper de sua calça jeans um pouco colada, fui massageando aquele pau ainda por baixo da cueca e depois, não aguentando mais de vontade, tirei-o pra fora, estava mole, porém seu tamanho era consideravelmente grande para os padrões. Encostei minha boca no cabeção daquele pau, e comecei a mamar bem gostoso, minha intenção era tranquiliza-lo e fazer ele sentir desejo o mais de pressa. Não deu outra, com poucas mamadas seu cacete já estava durão, o rapaz ofegante e louco pra fuder meu cu, fiquei de joelhos na cama e passei um lubrificante na entrada e depois no pau dele por cima da camisinha, me pegando que nem se pega uma vadia de esquina ele abriu minha bunda, deu uma olhada e ainda cuspiu no meu cu e depois começou a socar forte. Caramba! Naquela noite me senti que nem a pior das putas, fudido por um macho extremamente alfa, gemia e sentia dor, seu pau me machucava por dentro, eu me mexia para frente afim de amenizar a dor e ele segurava meu pescoço e me trazia pra trás e ainda falava que queria socar do mesmo jeito no cu da minha esposa, nisso eu dizia que ele teria minha amada todinha em seus braços. Essa diversão durou até ele sentir vontade de gozar, daí, pondo as pernas de joelho entre minha cabeça e eu deitado na cama, ele gozou na minha cara e ainda deu três lapadas de pica nela. Fui ao banheiro de olhos fechados por conta do esperma no meu rosto, após nos limparmos ele fez questão de saber qual seria o dia certo que poderia fuder com minha esposa, dei um dia qualquer, sem muita importância com a data, afinal de contas isso nunca iria acontecer mesmo, o que eu queria já tinha acontecido e minha esposa deveria está em casa dormindo ou me esperando para dormir e nada disso ela sabia. Mas para poder deixar ele acreditando nesse joguinho fingi que poderia ser dentro de três dias naquele mesmo lugar, eu ligaria pra ele avisando certinho o horário. Nos despedimos alí mesmo com um aperto de mãos e voltei pra casa, encontrei minha esposa dormindo feito anjo, tão linda, jamais teria coragem de entregá-la pra outro homem, dei-lhe um beijo e fui dormir também

Na horta

Na horta... Olá a todos, Sou o Carlos, casado, 58 anos, 1,80 alt. 79 kgs. O fato que passo a relatar teve inicio no começo desta semana. Na segunda-feira (12.09.16) minha esposa pediu para que eu fosse no varejão próximo a nossa casa para comprar algumas verduras, mas principalmente comprar mandioca, pois estava querendo fazer um bolo. A cerca de 3 quarteirões de casa e a caminho do varejão. existe uma horta, e quando passei vi uma placa que tinham mandioca à venda. Retornei e fui verificar. Como o dono estava atendendo outra pessoa fiquei na espera conversando com seu cliente e aguardando minha vez. Quando ele retornou após ter ido buscar as verduras solicitadas pelo seu fregues, acabamos os 3 conversando mais um pouco. Quando seu fregues foi embora conversamos mais, sendo que acabei descobrindo seu nome ( Rafael ), que morava só na pequena casa ao lado da horta, que era desquitado, tinha 49 anos. Pela sua aparencia e pelo pouco que conversamos, percebi que o Rafael era uma boa pessoa, apesar de aparentar ser um pouco safado. Após mais um pouco de conversa acabei solicitando minhas verduras no que fui atendido, e perguntei sobre a mandioca, no que ele respondeu que era bem mole. Sorrindo disse a ele que para fazer o bolo o ideal era mesmo mandioca mole, mas que particularmente para outras coisas eu preferia uma mandioca grossa e dura. Ele olhou, sorriu e pegando em seu pau por sobre a calça me falou que a sua era grossa e que se eu quisesse ele a deixaria bem dura. Bem, já que havíamos começado, respondi que fiquei curioso e que sim, gostaria de ver se sua mandioca era realmente grossa e dura, e que com certeza, após dar um belo trato nela, eu a deixaria bem mole. Ele então pediu para que eu voltasse após as 12:00 hs pois já teria fechado a horta, pois desse horário pra frente mais ninguém compra verduras. Fui para minha casa, por volta das 11:00 hs almocei um pouco pois falei para minha esposa que iria sair e resolver uns problemas. Acabando o almoço fui tomar um banho rápido e aproveitei e vesti uma tanga vermelha. Por volta das 12:15 hs cheguei na horta, sendo que ele falou que achou que eu não iria mais, no que respondi sorrindo, que jamais rejeitaria uma mandioca dura. Ele sorriu e fomos em direção a sua casa, sendo que como ele estava ao meu lado, acabou por levar sua mão para minha bunda. Continuamos a caminhar, e como eu estava com uma calça de moletom e na cintura é elástico, ele levou a mão por dentro e percebeu que eu usava tanga. Nesse instante ele parou, me segurou e acabou baixando meu moletom, deixando-me com a bunda toda exposta. Como tenho a bunda bem lisinha ele ficou passando a mão, ato continuo que eu levei a mão em direção a seu pau e mesmo por cima da calça fiquei apertando e alisando. Seu pau estava dura e deu para perceber que realmente era grosso e duro. Acabamos entrando em sua casa, que na realidade são 3 cômodos (um banheiro, cozinha e sala/quarto). Sentei em sua cama e continuei acariciando seu pau, abri sua calça e baixei sua calça junto com a cueca. Realmente ele tem um belo e gostoso pau. Cai de boca chupando com vontade, sendo que pouco tempo depois percebi que ele iria gozar, sendo que meti o que deu em minha boca para receber todo seu leite, pois adoro receber gozada na boca e tomar tudo. Depois que ele gozou bem gostoso acabou indo ao banheiro para tomar um banho. Tirei minha roupa ficando apenas de tanga. Deitei na cama e fiquei a sua espera. Pouco tempo depois ele retornou, deitou ao meu lado e ficamos conversando um pouco, sendo que ao mesmo tempo eu fiquei brincando com seu pau, até que ele deu sinais que iria ficar bem duro novamente. Para isso cai de boca novamente, até deixa-lo novamente duríssimo. Ele então me virou, colocou dois travesseiros sob minha barriga me deixando com a bunda arrebitada e a sua disposição. Primeiro ficou acariciando minha bunda, depois pegou o tubo de Ky que eu havia levado e foi aos poucos passando em meu rabinho, introduzindo aos poucos os dedos em meu cuzinho. Depois de bem lubrificado acabou deitando sobre mim e com muito carinho foi enfiando seu pau gostoso em meu rabinho. Depois que estava tudo dentro, ficou tirando e colocando, sendo que entrei em sua cadencia e quando ele colocava eu abria e quando ele tirava eu apertava seu pau. Ficamos um bom tempo nessa brincadeira, até que ele começou a acelerar o ritmo, e quando percebi que ele estava para gozar comecei a rebolar bem gostoso e apertar com mais força seu pau. Não demorou muito ele deu outra bela gozada. Depois dessa ele ficou um tempo deitado sobre mim com seu pau atolado em meu cuzinho, só o retirando depois de bem mole, sendo que saiu bem gostoso, bem melado e com muita porra escorrendo de meu rabinho. Depois de um tempo tomamos um banho, brinquei mais com seu pau, porem agora bem mole (mas mesmo assim bem maior que o meu duro). Conversamos mais um pouco e acabei indo embora, sendo que na quarta-feira (14.09) acabamos repetindo e marcamos para a sexta-feira mais uma festinha. Depois conto mais, pois na próxima semana devo retornar ao sitio onde mora o sr.Luiz

domingo, 18 de setembro de 2016

Pegada de macho da roça

Passei toda minha infância e adolescência em uma cidade no interior de Minas Gerais. Uma cidade simples, com poucos habitantes, onde quase todos se conhecem. Meu pai tinha um sítio, onde ele plantava e tinha uma criação de animais para comércio. Eu adorava aquele lugar, nossa casa ficava a poucos minutos de uma queda d'água deliciosa, onde podíamos aliviar o calor do dia. Quando criança, quase sempre estava brincando sozinho. Não se podia dizer que tínhamos vizinhos, pois uma casa ficava muito distante da outra. Mas vez ou outra, meu pai permitia que um coleguinha brincasse comigo e foi em uma dessas brincadeiras que aprendi algumas sacanagens. Já mais velho, comecei a paquerar umas meninas que frequentavam a mesma igreja. Aline foi a minha primeira namorada e com ela foi a minha primeira vez, pelo menos primeira de um sexo de verdade. Como se pode imaginar, não existem muitas escolhas no interior, Aline era uma menina linda, branquinha, loirinha e de bumbum empinado, dificilmente acharia alguém melhor por ali. Meu pai, que sempre trabalhou sozinho no campo, contratou dois rapazes para ajudá-lo. Um com as vendas dos produtos e outro ficava no sítio tomando conta dos afazeres gerais. Alex era o rapaz que sempre ficava no sítio, deveria ter uns 31 anos, meio marrento, com barba bem baixinha, corpo enorme (que obviamente não era resultado de academia, mas de trabalhos braçais) e cabelos lisos. Um dia desses, levei Aline para a queda d'água, como estávamos sozinhos, começamos a esquentar as coisas. De dentro da água, tirei a roupa dela e joguei para a margem (não estávamos muito distante). Enquanto, beijava o seu corpo, olhei para o outro lado do rio e vi que o Alex estava nos olhando. Pensei em parar, mas achei que se a Aline descobrisse que alguém estava olhando, ela não teria mais coragem de transar comigo daquele modo. Fomos andando para a margem e me encostei em uma pedra grande que tinha ali e fiquei me deliciando com o boquete da Aline, ela deitada e eu sentado pegando em seu cabelo. Por um breve momento, eu havia esquecido da espionagem do Alex. Foi quando eu lembrei e o procurei em meio às arvores ali perto. De repente, o encontrei olhando em nossa direção, apoiado em uma árvore e com as calças aos joelhos e com a rola na mão. No começo achei estranho, mas ver aquele cara com o pau duro de tesão me deixou excitado. Ele se acariciava com calma, sem pressa e dali eu percebi que sua rola era bem grossa. Naquele momento, não estava mais prestando atenção aos carinhos da minha namorada, mas naquele homem se deliciando com nossa brincadeira. Aquilo continuou durante todo o sexo, Aline sentou em minha rola de frente pra mim. Ela gemia de prazer e sem pudor, deixando o Alex ainda mais frenético em sua punheta. Eu me contorcia de prazer com aquela situação, quando vi os movimentos dele sugerindo que havia gozado. No mesmo instante pensei que gostaria de estar ali, recebendo aquela jorrada quente na minha cara, inevitavelmente gozei dentro da bucetinha da Aline. Depois desse episódio, meio que tentei evitar a proximidade com o Alex. Não tinha coragem de encará-lo depois de toda a situação. Além disso, eu tinha ficado excitado com ele, mas não sabia se ele estava daquele jeito por causa de minha namorada. Se fosse o caso, não podia fazer muita coisa, pois ele sabia que eu estava vendo ele e nada fiz. Melhor evitar, foi o que pensei. Um tempo depois, fui novamente ao meu local de banho preferido, desta vez, sem Aline. Como é quase uma propriedade privada, sempre tomávamos banhos nus por ali. Estava bem relaxado quando vi Alex se aproximar: - Essa água parece estar boa - Disse ele com um olhar sério. - Sim, uma delicia. (Respondi tentando me abaixar e não me mostrar pelado pra ele). - Cara, o seu pai foi para a cidade vizinha com o Marcos e eu já adiantei as tarefas, será que posso relaxar por aqui também? Eu já imaginava onde aquilo tudo iria dar, mas qual seria a razão de negar? Mal eu tinha dito sim e ele já estava se despindo, pude ver mais de perto aquele homem. Braço forte, peitoral cheio, pelos bem baixinhos (possivelmente um urso que apara os pelos do peito), pernas grossas e seu pau ainda mole. Ficamos ali conversando, ele me falou de sua vida, de onde morou e pra onde queria ir. Ele me perguntou algumas coisas e ficamos naquela por algumas horas, sem nada de comentar sobre o que havia ocorrido naquele outro dia. eu disse que iria sair, estava com fome e iria pegar algo pra comer na cozinha. Ele também saiu do rio, se vestiu e me acompanhou pela trilha no meio das árvores que leva a minha casa. Antes, porém, no meio do caminho, há uma casa menor, na qual existem alguns móveis e que meu pai deixou para o Alex e o Marcos usarem. Por ali mesmo ficou o Alex: - Tem como descolar alguma coisa pra mim também, estou meio com fome? (Perguntou sorrindo). - Claro, vou trocar de roupa e trago algo pra você. Caralho, estava louco de tesão por aquele macho, achei que ele iria me pegar naquele momento no rio. Mas, pensei que fosse só coisa da minha cabeça e ele nem tinha percebido que eu estava olhando para ele naquele dia do sexo com a Aline. Meia hora depois, voltei com um prato de bolo e café que tinha na cozinha. Ele estava na frente da casa, só de calça jeans e sem camisa. Comemos uns pedaços de bolo e tomamos o café falando coisas aleatórias sobre a vida. Tentava não pensar em besteiras e muito menos olhar fixamente pra ele, pois só de pensar meu pau ficava duro e ele poderia perceber. Passaram-se alguns instantes e eu disse que iria pra casa: - A gente se vê. (Falei como se estivesse me dirigindo a um amigo de longa data). - Obrigado pelo lanche. Quando estava quase de volta à trilha, ele gritou: - Esqueceu o prato e a garrafa de café! Eu voltei, quando fui recolher as coisas ele pegou pelo meu braço e me abraçou. Cara, como pode um macho cheirar tão bem, ele tinha um perfume gostoso e no mesmo momento que me abraçou eu fiquei sem defesa. Ele beijou o meu pescoço e me manteve firme e preso em seus braços. Pude sentir aquele corpo todo pressionando o meu e vendo que tudo o que eu queria acontecendo. Não foi preciso dizer nada, ele sabia o que eu estava querendo e naquele momento saquei que ele estava de olho em mim. Sentindo a sua barba arranhando o meu rosto, eu direcionei o rosto dele para um beijo, queria saber o gosto da boca daquele macho. Ele me beijou com desejo, com intensidade e muita língua. Enquanto o beijava, minhas mãos percorriam freneticamente os seus braços e peitoral, seus pelos e cheiro me deixavam excitado que o meu pau estava latejando de tanto desejo. Foi quando ele deu uma pegada no meu pau e alisou com vontade. Ficamos assim no amasso por alguns minutos e ele me punhetando, foi quando gozei ainda com minha bermuda. - Minha vez de gozar (Disse ele com uma cara de homem determinado). Ele me colocou para sentar na cadeira e baixou o zíper da sua calça e colocou sua rola para fora. A rola dele era como eu imaginava, não era grande, mas bem grossa, enchia a minha boca só de tentar chupar. Tratei de chupar aquela rola como se fosse um picolé delicioso, da cabeça até a base da rola, queria deixar bem melada. De vez em quando, olhava para cima e via ele se contorcendo de tesão e com as mãos sobre minha cabeça tentando controlar meus movimentos. Ele não demorou muito para jogar seu jato de leite quente em meu rosto. Tratei de limpar todo o pau e seu gozo com a minha língua em um prazer indescritível. Fomos ao banheiro, tomamos um banho para nos limparmos da brincadeira. Enquanto me lavava, Alex me agarrava por trás e beijava minha nuca. Não queria sair daquela posição e não demorou muito para sentir que o pau dele tinha se recuperado. Fomos para fora novamente, ele sentou na cadeira e eu fui para cima dele, acomodei o pau dele na entrada do meu cu e deixei entrar. Não foi uma ideia boa, vi estrelas só de tentar. Ele foi dentro de casa, mexeu em umas coisas em sua mala e tirou um lubrificante (pensei: danado, já é costume comer uns rabos). Devidamente lubrificado, a rola dele entrou em mim com mais facilidade. Eu cavalguei na rola do meu macho de frente pra ele, do mesmo jeito que a Aline gostava de fazer comigo. Enquanto rebolava, eu apreciava aquele corpo todo e sua boca doida para me beijar. Ele me comeu de várias posições, em cima da mesa no frango assado, na cadeira no colinho dele, no chão de quatro. Independente da posição, ele demonstrava ter pegada, gostava de agarrar com vontade e meter. Sentir aquela rola me devorando foi sem dúvida a melhor coisa. - Esse rabo aqui vai ser meu. (Disse ele enquanto dava umas estocadas). - Vai meu macho, me come gostoso. (Delirando de tesão). Ele anunciou que iria gozar e o deixei que fizesse dentro de mim. Sentir um jato em mim, muito quente e deliciosamente incrível. Brincamos mais depois, mas paro por aqui, porque ficou grande, rs. Beijos a todos.

Mamando o caminhoneiro e trepando com os operários

Blz Galeraaa.tava louco pra contar pra vcs a loucura que aconteceu ontem comigo kkk.Deixe me apresentar,Meu nome é Diego tenho 26 anos,moreno magrelo,não sou afeminado,tenho jeitão de molecão mesmo,quem me conhece nem imagina que eu curto um macho bem safado.Moro na cidade de Jaguariúna interior de sp,quem conhece aqui ou já ouviu falar, aqui acontece a segunda maior festa de Peão do Pais.O Rodeio começou hoje 16/09/2016 e do lado do recinto do Rodeio te uma grande empresa de Cerveja,que tem um estacionamento enorme onde os caminhoneiros param para passar a noite ou tomar banho.Devido o Rodeio tá muito movimentado.Resolvi dar uma volta ontem por volta das 20:00hs pra encontrar algum Macho.Cheguei la o Patio estava lotado,em frente o Banheiro tinha uns 15 caras esperando pra tomar banho e alguns conversando,entrei no Banheiro,os chuveiros estavam todos ligados,o tesão falou mais alto,cheguei perto do mictório,fingi que estava mijando,logo entrou um Rapaz alto moreno apenas de calça e chinelo,chegou do meu lado e começou a mijar,meu coração foi a mil,eu não podia perder aquela oportunidade kkkk,fiquei olhando de canto de olho,ele percebeu e ficou puxando o pau pra frente,logo comecei a passar a língua nos lábios,aquele pau foi crescendo na minha frente e ele só olhando pra mim,não resisti e peguei,um pau grande e grosso,moreno cheio de veias e poucos pelos.O cara deu um apertão na minha bunda e empurrou pra dentro do banheiro,entramos eu sentei de frente pra ele e comecei a mamar como se fosse o ultimo pau da terra,lambia bem devagar aquela cabeçona vermelha,tentava colocar ele todo na boca mas não conseguia,lambi aquelas bolas grandes,deixei elas bem molhadas.Logo ele se abaixou e disse pra mim fazer ele gozar porque se não alguém iria desconfiar,comecei um vai e vem naquele pau que chegava até cair baba no chão,fiquei chupando por uns 10 minutos até que ele disse que ia gozar,não esperava mas ele puxou meu pescoço de lado e encheu minha cara de porra,acho que ele deu uns 4 jatos de porra,fiquei com a cara toda lambuzada,com os dedos ele limpava meu rosto e enfiava na minha boca,voltei a mamar ele até limpar seu pau.Ele saiu na Frente e depois eu.Lavei meu rosto e sai,dei de cara com aquele monte de homem do lado de fora,fiquei com pouco de vergonha mas segui,todos ficaram me olhando,ouvi alguns comentários mas não deu pra entender.Dali com muito tesão ainda,eu queria mais pois não tinha gozado ainda.Fui dar uma volta e logo avistei um cara sentado fumando um cigarro em frente um tipo de alojamento.Cheguei na maior cara de pau e perguntei se ele tava esperando pra descarregar kkkk.Ele me disse que não ,que estava alojado ali com mais uns companheiros a 2 meses,Então perguntei: -Você ta afim de uma chupetinha? -Até que seria bom,mas vc cobra? -Cobro não,faço bem gostoso e deixo gozar na minha boca. Ele disse que ia falar com uns amigos deles,ele sai e depois de uns 5 minutos voltou dizendo pra mim chegar la no quarto que tinha dois camaradas que queriam,Pensei comigo,que delicia vou chupar e dar pra vários aqui. Cheguei no quarto tinha dois Rapaz,um branquinho com aparência de 30 anos,baixinho e outro mais alto e forte,entrei no quarto e disse: -E ai vocês estão afim? -Estamos sim,que você faz? -Eu chupo e dou. Logo comecei a apalpar o Pau do Rapaz Branquinho que já foi crescendo ,tirei pra fora e cai de boca,o Pau dele não era muito grande não mas era gostoso de chupar,logo o Outro rapaz tirou o dele pra fora e comecei a mamar aqueles dois paus deliciosos,eu tentava enfiar cada centímetro na boca,o Pau do outro era um pouco maior,um saco peludo e bem cheiroso.Eu fiquei revesando ali com aqueles dois paus na minha frente.Senti uma mão tentando enfiar na minha calça,não me fiz de difícil,abaixei a calça e e começaram a me dedar,logo o Moreno mudou de posição e tentava colocar no meu cusinho,meu tesão tava demais,a ponto de eu gozar só de ver aqueles paus,ele foi forçando a entrar e eu chupando o pau do branquinho.Fiquei de quatro na cama chupando um enquanto o outro me comia gostoso,Logo escutamos a porta se abrir,olho e era o cara que eu tinha chegado na cara dura perguntando se ele tava afim de uma chupeta com mais dois,eu tava ali dando pra um,chupando outro e sendo assistido por mais três,que loucura era aquilo,eu só queria ser enrrabado gostoso e chupar todas aquelas picas ali.Sem me avisar o branquinho gozou na minha boca,pude sentir uma porra liquida,não era muita.Ele se retirou e veio os três caras na minha frente,Fiz cara de puto que queria mais,Tiraram o Pau pra fora e ficaram se masturbando.Eu queria mamar mas percebi que eles só queria assistir o amigo me comendo.Ele anunciou que ia gozar,aquele pau inchou no meu cu e senti aquela porra quentinha me invadindo.Que sensação maravilhosa era aquela.Sentei na Cama e veio um por um gozar na minha boca.Fiquei com a boca e queixo todo lambuzado de porra,acabei gozando também,um deles me deu uma toalha e me limpei,ficamos conversando um pouco,os caras eram legal,me disseram que é sempre bom uma putaria de vez enquanto,porque ali não tinha nenhuma mulher,dei meu numero pra eles,me disseram que iam fazer um churrasco e me convidar.Estou aguardando ansiosamente. Se tiver alguém que passe por aqui e queira marcar algo só deixar o contato. Abss

Levando pica do marido policial da prima

Esse fato aconteceu a cerca de 8 meses atras,12 de dezembro de 2015.Estava para ir passar o final de ano na cidade do interior onde moram meus familiares e sempre ficava de conversa pelo whatsap com o marido da minha prima um negro alto policial, que eh muito safado por sinal, mas como ninguem sabe sobre a minha orientacao sexual pois eu nunca dei bandeira pra ninguem, mas sentia que o marido dela falava muita putaria comigo, mandava videos pornos heteros, mas nos videos sempre rolava sexo anal e eu so comentava mas sempre sem me entregar. Um dia ele pediu que eu enviasse alguns videos para ele tbm, e eu falei que meus videos eram pesados e ele nao curtiria. Confesso que fiquei com medo de ter falado isso para ele. Ele ficou uns segundos sem responder o whatsap e falou, posso te mandar uma foto? meu coracao subiu na boca, eu falei pode sim. Ele falou se caso eu me ofendece era pra mim perdoar ele e excluir e o assunto morreria ali, eu falei pra ele ficar despreocupado e poderia confiar em mim, minha surpresa quando eu recebo a foto de uma enorme pica eu fiquei maluco, mas nao sabia o que responder. Ele entao pergunta se eu gostei, eu perguntei de quem era, e ele falou eh meu... eu falei parece grande, me fazendo de bobo...kkkkk Entao ele me pergunta se ja tinha experimentado alguma pica antes, eu falei que varias vezes. Entao ele me pede uma foto, pergunto o que ele gostaria de ver? e ele na maior cara de pau responde, esse teu rabo grande que eu fico tarando sempre qdo vc vem nos visitar. Dai em diante nao prestou mais, mandei minhas fotos do meu rabao, fotos eu levando pica, e ate meus videos sendo fudido ele foi a loucura e nao via a hora de me fuder, ele eh um negro alto cerca de 1,90 de altura e uns 20cm de pica nao super grossa mas bem cabecuda. Ainda faltavam um mes para eu ir viajar para visitar meus familiares e nesse tempo ficavamos falando muita putaria, ele me enviava fotos fardado so de pica de fora e mandava eu enviar a foto do meu cuzinho, adoro machos mandoes. Chegado o tao esperado dia da minha viagem coloquei minhas malas no carro e peguei a estrada sozinho, sempre qdo viajo sozinho costumo usar ou um fio dental, ou uma cueca aberta na bunda, e sempre saio preparado para levar vara na estrada, meu tesao estava a mil, eu parava em alguns postos para ver se rolava algo,minha maior tara eh dar para caminhoneiros na boleia do caminhao mas como nao sou afeminado e nao gosto de dar pinta, nunca tive sorte. Depois de um dia de viagem cheguei na cidade e fui direto me instalar num hotel, pois nao gosto de ficar na casa de parentes, pois perco a minha privacidade. Cheguei no hotel tomei um banho, descancei um pouco e fui visitar meus paretes, confesso que o tesao tinha se tornado em um pouco de medo em encarar ele depois de tanta putaria escrita pelo whatsap. visitei todos os parentes no primeiro dia, e so vi ele rapido quando estava na casa de uma tia, e nem olhares trocamos. Final da noite eu com aquele tesao todo acabei me encontrando com um medico que ja me fode a algum tempo e dois amigos dele, onde eu dei para os tres, mas isso conto outra hora. Passaram se uns tres dias e nada, ele sempre falava que a minha prima estava em casa e achavamos que nao ia rolar, eu ja tinha ate perdido o enteresse, e cada dia saia e dava para um ou mais caras. Quando foi numa sexta-feira, combinei uma foda num motel com um coroa que eu ja tinha sido fudido antes por ele inclusive dentro da sua loja, ele me fudeu a tarde toda fez miserias com meu rabo. Quando eram umas 19 horas da noite, o policial me manda uma msg falando que estava sozinho e era pra mim ir la. Peguei o carro e fui correndo, quando desci do carro e entrei no patio da casa, minhas pernas tremiam, entrei na casa, ele estava sentado na sala so de calcao de jogador de futebol me sentei ao seu lado e ficamos conversando. Ate que ele tirou o pau pra fora e mandou eu mamar, eu nao pensei duas vezes me ajoelhei na frente dele a meti tudo na boca ja tinha feito a minha propaganda que eu adoro fazer uma garganta profunda e era o que ele mais queria experimentar, o pauzao ficou duro e ele nao se importava se eu aguentava ou nao, metia ate ficarem so as bolas de fora, eu babava de mais a pica dele. Entao ele fala pra mim que nao sabia se iria me comer, pois poderia nao dar tempo. Eu odeio servico pela metade se saio pra fuder, quero o servico completo. Ele entao pediu pra ver meu cu, eu estava usando uma jockstreap e ainda estava com o cu todo vermelho e meio arrombado pelo coroa no motel. A hora que ele viu nao resistiu e meteu o pau com tudo numa estocada so, eu apenas abri minha bunda com as maos e deixei ele socar do jeito que ele quisesse. Ele metia ate o fundo eu sentia a cabeca bater la no fundao do meu rabo e pedia mais, ele entao mandou eu ficar de 4 no chao e montou no meu rabo e socava mais forte ainda, ate que nao resistiu e encheu meu cu de porra. sentia aquela porra quente indo la no meu fundo, ele gemia alto e eu com medo de alguem ouvir mas ele nem ligava. deixou o pau dentro de mim ate amolecer e ainda mandou eu limpar com a boca. Terminado o servico me vesti ele correu para o banho, quando voltou conversamos um pouco sobre o que a familia iria fazer no final de semana, e eu fui embora com o cu cheio de porra mas ainda com muito tesao pois era o segundo cacete que me fodia e eu nao tinha gozado ainda. Adoro dar varias vezes e ficar sem gosar, ate por dias. Amo servir um macho dominador e ser a putinha dele. mas isso sempre no sigilo. Bom essa eh uma das historias que eu tenho pra contar aqui, espero que tenham gostado, depois postarei como terminei a noite, dando para outro pauzudo numa estrada deserta. Se gostaram comentem e votem.

O borracheiro e mecanico comeu meu cu e me fez sua

Esse é mais um conto verídico! Sempre senti tesão por um borracheiro que morava no meu bairro, o nome dele era Seu Juliano, ele tinha mais ou menos 40 anos, machão casado, 175m de altura, um negro parrudão que comia muita puta, uma bunda enorme, pernas impressionadamente grossas e deliciosas. Eu sempre tive muito tesão por ele, mas tinha medo de apanhar caso fizesse algo de errado, ou dele sair contando para quem me conhecia minha intensões... Tudo aconteceu num sábado do mês de junho, como todos sabem aqui no nordeste durante esse mês tem festa pra todo lado, estava voltando pra casa, já chegando, umas 2 horas da madrugada quando o pneu do carro estourou, me bateu um desespero para ficar na rua sozinho uma hora daquelas, mas pense logo nele, sem malicia, fui então a sua borracharia, sabia que ele atendia 24 horas. Ao chegar na borracharia tive que chama-lo bastante, quando já estava quase desistindo ele respondeu, disse que estava dormindo pesado, de repente abriu a porta, e eu quase desmaiei, um negão enorme, parrudissimo, uma cueca branca e um pacote que mais parecia um melão, alias 3. Abriu a porta, eu disse o que aconteceu, ele me pediu pra entrar, enquanto ele lavava o rosto e se organizava, era um lugar simples, dava pra ver seu quarto da borracharia, que claro a essa hora estava fechada, logo voltou e descaradamente, ou por achar que estava na frente de um homem, mas só de cuecas, com seu cacetão, ele me pediu para explicar o que tinha acontecido, logo eu expliquei que o pneu do carro tinha estourado e queria que ele fizesse alguma coisa, ele então completou: _Meu amigo, minha esposa viajou para o sertão, to sozinho em casa, vou lá concertar, mas você vai pagar caro, pois estava batendo uma pra ir dormir. Eu disse que sem problemas, pois eu queria ir dormir também... Ele completou: _Pois vou concertar e você vai dormir gostoso, pode ter certeza! Ele vestiu uma roupa e fomos até o carro, ele disse que como estava próximo a borracharia, era melhor leva-lo devagarinho para lá. Fomos então eu e ele rapidinho, ele parou na frente da borracharia, abriu a porta grande e pois o carro para dentro. Ele rapidamente fechou a porta, e ficamos só nós dois lá dentro, nessa hora eu senti sua total malicia, pior que, acho que quando eu chamei na porta ele já planejou alguma coisa. Ele passou por trás de mim e descaradamente passou por trás de mim encontrando seu imenso pacote. Eu fui nas nuvéns... Ele olhou o pneu e disse, você não quer deixar o carro aqui, dormir um pouco, já são 3h da manhã, amanhã é domingo, você descansa e logo cedo eu concerto. Cara, eu tenho que ir pra casa, ele levantou-se e veio até mim, me abraçou por trás e completou: _Homem, relaxa, eu vi algumas vezes você olhando pra mim, sei que você gosta de dar o cusinho, aproveita que to sozinho e vem pra minha cama, quero gozar geral no seu cu. Aquilo me arrepiou de um jeito impressionante, ele me pedindo pra ficar, tava na minha cara que eu queria dá pra aquele negrão, nisso ele me falou que seu desse pra ele, não ia cobrar nada ai e que naquela noite eu seria a puta dele. Como não tinha nada a perder, só a ganhar resolvi me entregar. Ali mesmo ele tirou o calção, era uma pica grossa, não muito grande, ele me abraçou e me beijou, achei sentir um pouco de gosto de cerveja, acho que ele estava bebendo sozinho, ele tinha uns peitões gostosos de homem macho que pega no pesado, eu chupei, mas ele também queria me chupar, era sensacional, nos estávamos nos pegando ali dentro da borracharia, já pelados, ele me vira de costas, me joga numa mesa de ferramentos toda melada de óleo, e começa a chupar meu cu. Eu me arrepiei, era muito bom, aquele negão era muito macho, truculento, braços grandes e fortes, abrindo minhas nádegas e enfiando toda aquela língua quente no meu rabo. Chupou por uns 5 minutos até que me pediu, agora é a sua vez, vem, chupar. Que pauuuuuuuuuuuuuu, que macho (PS: Estou com água na boca me lembrando) Ele então me levou para o seu quarto, cama de casal. Ele deitou na cama na cama e falou: _Chupa mais a minha rola sua puta safada! Comecei uma das minhas chupadas inesquecíveis. Aquela rola era grossa, deliciosa quase não cabia na minha boca (Quem acompanhar meus contos vai ver que minha boca é gostosa, tem fotos no zap). Continuei chupando aquela rola negra por um bom tempo até que encheu a minha boca de leite, sem eu menos esperar, fiquei frustado, pois não tinha gozada, ele logo me garantiu: _Não se preocupe, estamos começando os trabalhos! Aquilo me arrepiou de vez, deita na cama, vai, fica de bruços pra mim. Gente, fiquei, aquele macho veio por trás, abriu minha nádegas na cama e mais uma vez começou a minha chupar, era um misto de massagem, sexo, tesão, relaxamento, e eu indo as nuvens. Quando em 5 minutos ele estava pronto novamente, acho que o cacete estava ainda mais duro, quando ele disse: _Fica de quatro vai, eu agora quero te comer! Tava entregue aquele macho, faria o que ele mandasse, me aprontei e me posicionei, enfim, iria dá pra aquele homem que desejei por tanto tempo. Me segurei no espelho da cama, ele cuspiu no meu cu e com muito carinho e maestria começou a meter. Gente, foi muuuuuuuuuuuuuuuuuuito gostoso. Aquele cara é bom no que faz, faz com macheza e com prazer. Foram momentos muito bons. Ele ainda me comeu de frango assado, subi em cima daquele macho e pude ver que ele estava realmente com muito tesão, e eu também ficava cada vez mais, seu tórax era lindo, másculo. Me comeu de ladinho, e me pediu: _Vou gozar dentro do seu cu e você vai gozar também. Minha esposa só aparecesse depois de amanhã, vou gozar dentro, você vai gozar e vamos dormir gostoso! Gente, foi louco, ele segurou no meu cacete, eu na pontinha da cama gozei no chão e aquele macho encheu meu cu de porra, era farto de novo, muito gala, ele me abraçando, chupando minha orelha. Foi demorado e com muito carinho. Caímos no sono, já amanhecendo o dia. Foi um sono gostoso e perturbado, algumas pessoas chegaram a chamar na borracharia, mas ele dizia que não iria abrir, pois aquela noite era especial com sua putinha. Dormimos até meio-dia, ele concertou meu carro. transamos mais uma vez (Conto depois) e foi pra casa. Gente, claro que a foto é ilustrativa. Sempre tive tesão por essa classe, por homens machos, esse conto foi verídico. Se algum motorista, taxista, carreteiro, segurança, trabalhadores e afins quiserem, vamos fazer mais histórias. Sou do Recife, mas trabalho na Paraíba e em Pernambuco. Meu zap - TIM (83) 99853-4472

Com o policial no drive

Minha vida sexual com homems começou lá pelos meus 24 anos. Poderia dividir com vocês a minha "primeira vez", mas não acho que tenha sido tão maravilhosa. Ao invés disso, prefiro publicar outras aventuras bem mais interessantes. Na época eu usava muito bp e msn. Lá conheci um cara que na epoca já tinha lá os seus 4o anos. Não lembro seu nome, lembro que era polícial. Marcamos encontro e ele me buscou de carro. Homem alto, branco e bonito a primeira vista. Com menos de 1 minuto de papo já colocou minha mão sobre a rola dele enquanto dirigia. Massageei com carinho por cima do jeans e, pelo volume, percebi que não era pouca coisa. O policial me levou pra um drive in e não perdemos tempo. Chegando lá abri seu zíper e ví aquela pica enorme, a maior que já provei até hoje minha frente. Eu comecei a chupar seus 22 cm de grossura. Ele tirou a camisa e mais maluco eu fiquei. O cara tinha um peitão cabeludo. Eu chupava e masturbava com uma mão e passeava meus dedos sobre o peitoral dele. Caprichava na mamada, deixando a rola dele bem babada. Ele tira o resto da roupa e mais maluco eu fico quando vejo suas coxs grossas e muito peludas. Claro que eu tratei logo de ficar nú também. Ele me levanta e me manda sentar na pica dele. Achei que não ia conseguir, fiquei acocado de costas pra ele e fui encaixando devagar. Ele me segurava pela cintura com carinho e eu forçando até engolir toda a pica do meu policial. Quando ele sentiu tudo começou a socar. Estava doendo, mas ter um homem daquele tamanho alí a mimha disposiçao eta muito melhor. Comecei a cavalgar e a rebolar naquela picona branca as vezes eu parava e ele socava embaixo de mim. Depois de algumas metidas o madurão me colocou apoiado na mesinha e tratou de socar a picona dele em mim de novo. Me fodeu por muito tempo me abraçando por trás e eu sentindo aquele pêlo todo suado nas minhas costas. Ele me fodia bem agarradinho falando putaria no meu ouvindo perguntando se eu estava gostando da picona dele e eu, claro, dizia que sim gemendo muito. Ele aumentou o ritmo das estocadas apoiando as mãos em minhas costas. Eu estava alí, impressado entre ele e a mesinha na qual antes me apoiava mas que depois eu abraçava forte pra aguentar aquele macho que me fodia loucamente. Ele tirou a pica do meu cú, deu uma piscuda quente no meu rego e socou de novo. Ficou brincando de tirar e colocar um tempo até socar tudo de uma vez. Ele solt minha cintura e arreganha bem me cú. O cara tava louco banhando minhas costas de tanto suor. Ouso levantar um pouco mas ele se joga dobre mim mandando eu ficar como estava falando palavrão pra mim. A respiraçao quente e mais intensa dele na minha nuca anuncia a gozada chegando. Ele levanta o corpo, me segura forte a cintura e geme alto. Sinto a gala passar, a pica mexendo dentro de mim e ele caindo exausto sobre mim. Essa transa, assim como todas registradas aqui, foi real. Felizmente, apesar de não lembrar de seu nome, consigo lembrar dos detalhes dessa transa que, pra mim, foi uma das melhores que tive. Abraço

Com o coroa vascuino do centro do rio

Porra ta foda de encontrar um cara macho pra foder... ou so tem enrolado ou viadinho nessa cidade ... ta foda... fui quinta feira pra um curso no Centro do Rio... tava num tesao fodido... nao queria bater uma punheta ... queria mesmo era uma mamada... na hora da aula um cara me chamou nesses aplicativos de pegação pra celular... perguntou se eu nao queria comer um vascaíno casado... mandou foto dele com a camisa do Vasco e disse que tinha 37 anos e tinha local... marquei com ele de ir no escritorio que ele trabalha depois das 17:00... fomos falando pelo aplicativo e quando subia no elevador ele disse que ja ia deixar a porta aberta pra eu entrar... quando cheguei no andar altao... tinha uns caras fazendo uma obra na sala em frente... abri a porta... tava escuro ... mas entrei... o carinha aparece... nao tinha 37 anos nao... era um coroa mas dava pra comer... o cara devia estar na seca num piroca... parei... tirei a mochila coloquei sobre uma mesa la cheia de papéis... ele avançou e segurou na minha rola sobre o jeans e ajoelhou... se eu nao abrisse a calça ele seria capaz de rasgar ela... de primeira engoliu minha pica ate a garganta... o coroa brancao é bom de mamada... vou te falar que se ele mamasse muito eu seria capaz de gozar... tirei minha camisa pra nao amarrotar e nao sujar... e deixei ele ajoelhado fazendo o serviço... e os caras trabalhando e conversando no corredor fazendo a obra... como percebi que ele gostava de rola na goela comecei a socar pica na garganta... e ele quietinho so levando a pirocada ... mesmo coroa ele tinha um corpo meio forte... tatuagem no braço... e um peitao com bico durao... mandei ele tirar a camisa que estava usando e comecei a brincar com aquele bicao do peito... o cara endoidou e falou que tinha muito tesao ali... mamou com mais vontade ainda... quando levantou percebi que ele tinha entre 45 e 50... nem vi o pau dele... so vi ele abrindo a calça e mostrando uma bunda branca durinha e redonda... dei um tapa e perguntei se ele queria pica... ele pegou um gel e passou no rabo... coloquei uma camisinha... ele se debruçou na mesa de trabalho e meti... de primeira ja entrou tudo... ele deu um gemido baixo e nao reclamou... comecei a socar... ele abria o rabo com as duas maos e começou a gemer alto... com certeza os caras na obra estavam ouvindo... escritorio pequeno... e eu estava fodendo ele perto da porta de entrada... eu socava e ele so gemendo... vou falar uma coisa pra voces... ja comi uns garotoes mas aquele rabo tava delicioso de meter... entrava tudo... ele gemendo e falando "que delicia"... fiz pressao pra ele abaixar um pouco e fiquei fodendo tipo cachorro em pe... segurando no peito dele... falei que queria gozar nos peitos dele... ele nem reclamou... tirou a camisinha e ajoelhou... soquei rola na boca... ele mamou... engoliu tudo de novo... tirei a pica da boca ele ficou alisando minhas coxas... gozei no peito dele... saiu porra pra caralho... lavei o peito dele com leite... e ele gozou na mao pra nao sujar o carpete... quando parou de sair porra ele disse que agora estava satisfeito... fui num banheiro lavar a mao e a pica... ele pegou papel toalha e limpou o peito ... porque disse que se chegasse em casa muito vermelho ia dar merda... me aarrumei... ele ainda pelado... foi ate a porta... abriu pra mim... ouvi as vozes dos caras trabalhando e fui pro elevador... ja podia ir fazer um lanche no Bobs de boa... ja tava relaxadao... nem sei o nome do Vascaino que me deu o rabo... so sei que o rabo é bem gostoso. Fui

Pai de um amigo e o amigo dele arregaçaram meu cuzinho

Esse relato aconteceu quando eu ainda fazia faculdade. Tinha mais ou menos 22 pra 23 anos. Fui convidado por um amigo da faculdade para um churrasco na casa de praia da família dele. Falei que não tinha como ir pois não tinha carro. Ele então me ofereceu carona de ida e volta. Fiquei animado e confesso fiz planos de foder com meu novo amiguinho. Chegou o domingo e o pai dele passou na minha casa, já com toda a família, pra me buscar. Notei e até fiquei meio envergonhado com a "comida" que o pai dele me deu com os olhos. Juro, me senti nu naquele momento. Entrei no carro e fomos. A conversa estava animada. O pai dele perguntou muito sobre mim. Num momento aesposa dele interviu pois eu mal respondia uma pergunta já vinha outra. Além das perguntas normais, perguntou se eu tinha namorada, etc. Eu sabia que estava sendo investigado e aquilo, por incrível que pareça, me deu muito tesão. Minha circulação aumentou, meu pau ficou duro, meu cu super molhadinho. Disfarcei como pude e seguimos viagem. Chegamos na casa de praia deles e quando estávamos retirando as coisas da mala, o pai dele novamente me olhou com olhos de lança. Eu nem sabia o que fazer pois mesmo estando com tesão não conhecia o velho e não podia dar sequer rum passo em falso. Num certo momento, o paidele que se chamava julio veio pegar uma mala que a mulher havia trazido e passou por detrás de mim. Não sei se foi minha imaginação mas senti o bafo quente dele na minha nuca e a rola, semi dura, roçar na minha bundinha. Fiz de conta que nada senti, peguei umas sacolas e levei pra dentro. O churrasco foi maravilhoso, comemos e bebemos a manhã inteira. Num certo momento fomos à praia e notei o volume por baixo do calção de banho do Sr. julio. Não era uma pica gigante mas dava pra perceber que era acima da média. De propósito, levantei um pouco meu short pra entrar um pouquinho na bundinha e fui até o mar. Notei que quando passei ele não se conteve em se virar e dar uma olhada. de leve, dei uma reboladinha, olhei pra trás e segui pra água. A partir desse momento ele não tirou mais os olhos de mim. Pra sacanear mais ainda, assim que ficamos um pouco a sós eu pedi pra ele passar bronzeador nas minhas costas. Ele veio, passou de um jeito que era mais uma massagem erótica. Meu pau ficou totalmente rígido. Desceu pelas costas e quando já colocava a mão de leve dentro do meu short, alguém o chamou de longe. Ele tomou um susto e foi até a pessoa ver o que era. Voltamos pra casa e continuamos a beber e escutar música. No fim da tarde, fiquei sonolento e perguntei onde podia tirar um cochilo. Me indicaram um quarto de hóspedes. Fui até lá, deixei a porta semi aberta e entrei pro chuveiro. Meu pau não baixava nem com água fria. Acabei o banho e resolvi me acalmar e me deitar. apenas encostei a porta e me deitei com o bumbum pra cima. Apenas coloquei a toalha por cima pois a mãe do rapaz poderia de repente abrir a porta. Acabei pegando no sono. Não sei que horas eram mas senti alguém entrar no quarto. Olhei por debaixo do ombro e vi que sr. julio tinha entrado. Fiquei nervoso pois não sabia se ele estava agindo sob efeito de álcool. Ele fechou a porta de chave e sentou ao meu lado. Puxou minha toalhas e expos minha bundinha. Alisou com carinho e eu dei um gemidinho. Alisou mais profundamente e tocou meu anelzinho e eu gemí ainda mais. Aproveitei pra empinar a bundinha pra ele ter mais acesso ao meu cuzinho que já estava todo molhado. Ele então arrebgaçou minha bunda, se debruçou sobre mim e começou a chupar meu cu. Eu já gemia muito nesse instante. Falava coisas que eu não entendia. Arfava gostoso também. Me puxou e me colocou de quatro. Continuou a mamar meu rabinho com muita volúpia. De repente alguém tentou abrir a porta. gelei mas ele ficou tranquilo. Foi até lá e abriu. Era um desconhecido que depois fiquei sabendo ser um amigo dele, o paulo, que tinha chegado quando eu já dormia. Disse: É esse o gostosinho de quem te falei. Paulo chegou perto, pegou na minha bunda, se abaixou, e deu uma chupada no meu cu. Eu gemi como uma putinha. Apenas disse: que delícia! Julio, veio pela frente e me ofereceu a rola pra chupar. Eu nem podia acreditar que estava ali sendo currado por dois machos gostosos. Paulo então encostou a cabeça da rola no meu cu e forçou. A princípio houve certa resistência mas aos poucos meu cu foi engolindo aquela vara inteirinha. Enquanto ele metia eu chupava julio ávidamente. O pau dele era mais gostoso do que eu imaginara. Estava nesse momento todo preenchido de rolas. Que coisa maravilhosa. paulo socava com vigor e isso me fazia, no vai e vem, engolir a pica do julio até o talo. Ambos gemiam bastante. Resolveram então trocar de posição. Julio me deitou de franguinho e veio logo enterrando a rola. Alisei o peito peludo dele e belisquei os mamilos. Ele levantou bem as minhas pernas e penetrou o mais fundo que pode. Paulo ofereceu a rola e iniciei uma bela mamada com julio olhando. Julio socava muito gostoso e eu, por umas três vezes, pedi para ele maneirar pois senão eu gozava. Enquanto isso eu ordenhava paulo. Com minha poderosa ordenhada, não demorou e paulo gozou abundantemente na minha boca. Logo que ele gozou, julio veio e me beijou de língua. A boca dele ficou cheia da porra do paulo e eu fiquei ainda com mais tesão. Depois de beber gala junto comigo ele se animou ainda mais e começou a me foder muito rápido. Eu, meio no improviso, disse que queria gritar. Ele então disse: grita minha putinha safada. Estranhei mas nem quis saber, foda-ze, permitiu fudeu. Comecei agemer como uma cachorra no cio. rebolava na pica dele. Pedia pra ele me encher de leitinho. Não demorou muito e ele se retesou dentro de mim e urrou muito alto. Quando puxou a rola pra fora a gala desceu pela bunda e nessa hora foi a vez de paulo tomar a vez, me colocar de quatro e chupar meu cu todo galado. Chupou toda a gala que pode e em seguida enfiou a rola de novo no meu cuzinho. Enquanto metia, julio se aproximou e se beijaram intensamente. Paulo bombou meu rabo por vários minutos e depois despejou mais esperma quentinho que desceu pela minha perna. Caí na cama meio desacordado de tanto gozar. Olhei pro lado e vi algo surpreendente. Paulo ficou de quatro na cama ao lado e julio, já de pau duríssimo, enfiou quase que de uma so vez. Só aí vi que eram um casal. Julio enfiava e paulo dizia pra ele meter com força, chamava de meu amor. Aquilo me deu muito tesão. Me levantei e pedi a paulo pra me enrabar enquanto julio enrabava ele. Fizemos assim um tremzinho. Paulo nem precisava se mexer. Quando julio enfiava, naturalmente a rola de paulo entrava até o talo no meu cuzinho. Eu estava de quatro, paulo metendo em mim e júlio, de pé, enfiando em paulo. Comecei a me masturbar. A gala escorria da minha pica pois o tesão era avassalador. O quarto cheirava a sexo, a suor, a esperma. Fui sentindo cada vez mais prazer e vi que iria gozar. Por coincidência, paulo disse que não iria aguentar muito e julio acelerou os movimentos. Eram trêm caras fodendo e urrando juntos. Quando senti as contrações da minha pica para gozar, julio disse que iria gozar também. Senti que ele enterrou bem fundo em paulo e urrou forte, no mesmo momento paulo quase chororu da gozada que deu. E parecia que a gala dele que estava sendo derramada no meu cu saía pela minha rola pois gozei muito forte. estávamos os três ali se deramendo e urrando ao mesmo tempo. Eles então praticamente desabaram sobre mim. Julio se recuperou um pouco e foi tomar um banho. Paulo ainda ficou um bom tempo com a rola enfiada no meu cu pois não amolecia de jeito nenhum. Ficou ali em cima de mim gemendo. depois de alguns minutos paulo se levantou e foi pro banheiro. Ouvi sussurros e depois gemidos. Levantei, peguei meu short, saí devagar do quarto e fui tomar banho no outro banheiro. Quando passeu ainda vi com o canto do olho julio com a bundinha empinada e paulo socando no rabo dele. Dormi na sala e ao acordar, pela manhã, encontrei os dois, sérios tomando café da manhã. Nada falaram da noite anterior. Eu também preferi ficar calado. Me deram carona de volta pra casa. Julio apenas me deu o número do telefone dele e disse que se eu precisasse de alguma coisa, ligasse. Claro que dias depois eu liguei. E claro que fomos pra um motel eu, ele e paulo. Fizemos isso várias vezes mas com o tempo perdi a vontade. Mas que aquela foda a três na casa da praia foi algo inesquecível. Ah, foi!

sábado, 10 de setembro de 2016

Curso em teresina fui currado pelo cunhado

Era sábado e estava eu e minha namorada no maior corso do mundo. Brincamos muito com amigos, bebemos até estourar a tampa, srs. Lá pelas 3h da manhã eu e minha namorada resolvemo ir embora. Eu estava fantasiado de vestidinho curtinho, como sou malhado o vestidinho que minha namorada me emprestou ficava justinho, mostrando meus peitoral marcando bem a cintura e mostrando minha bundinha durinha, além de mostrar as coxas grossas, como não tenho pelos fica delicia, modestamente. Pois bem, pelo meu estado etílico minha namorada preferiu que fossemos para seu apto pois seria mais seguro além de que seu irmão estava na rua e não iria para casa e seus pais haviam viajado. (Nota: ainda não havia sido apresentado para seu irmão) Minha namorada estava menstruada e eu bêbão melhor saida seria dormir. Ela me levou para o quarto de seu irmão e como havia outra cama no quarto não haveria problemas caso ele chegasse sem avisar. Deitei de vestidinho mesmo deixando minha bundinha amostra pois estava sem cueca. Peguei no sono e sinto vozes masculinas no quarto, contudo ainda zonzo não entendia direito, quando sinto uma mão me tocando as nádegas, e dizendo: Pô, não pegamos nenhuma putinha hoje na festa e quando chego em casa vejo um rabinho desses empinado, vou me acabar nele, nisso outra voz responde: Carai fera, que bom que me convidou para dormir aqui. vamos tirar o atraso de hoje, heheh. Quando sinto um dedo sendo introduzido no meu anelzinho virgem. tento me levantar ainda tonto e sinto joelho nas minhas costas (era o amigo de meu cunhado) e enfiando o dedo em meu cuzinho o meu cunhado. Ele chegou no meu ouvido e disse: Calma viadinho, hoje voce vai sentir um macho de verdade te comendo, to vendo que esse cuzinho é zeradinho e apertadinho, serei o teu macho de hoje em diante. Caraca, nisso sinto seu amigo ja esfregando o pau no meu rosto, nisso meu cunhado suspendeu um pouco mais meu vestidinho até acima da cintura expondo todo meu rabinho, se posicional por cima de mim e cutucava com o pau procurando meu buraquinho, me mexia muito para evitar, dizia que era o Brunno namorado da irmã dele, e ele apenas sorria e dizia: Aqui no meu quarto voce é BrunA, minha puta, vou tirar teu cabaço e fuder até amanhecer. Continuei tentando evitar meu defloramento até sentir um soco nas costas me fazendo quase desmaiar e recobrei os sentidos quando seu pau venceu a resistencia de meu anelzinho, agora bem aberto pela vara grossa de meu cunhado. Depois de levar o soco, ter um pau no cu não seria tão mal e eu poderia sair daquele inferno. Ele encaixou o pau no meu cuzinho e foi enterrando devagar, senti cada centímetro entrar e foi gostoso... Comecei a suspirar de tesão, ele me segurava pelas ancas e me mandava rebolar. Eu estava totalmente confuso, não querendo dar, mas ao mesmo tempo gostando de ter um pau dentro de mim. Meu cunhado tinha quebrado meu cabaço, tinha quebrado minha masculinidade ali naquele quarto, eu não era mais o macho namorado de sua irmã, ali eu era uma fêmea dando prazer para o macho dominador, macho que quis comer e pegou a força a presa. Ainda deitado de brucos com Rafael (meu cunhado) me comendo sem cerimonia, seu amigo na minha frente se punhetando de pau duro esfregando em meu rosto, forçando abre minha boca e soca aquele pedaço de carne duro dentro, socando como se fosse uma buceta. Eu agora estava sentindo o que minha namorada sentia quando me chupava, eu agora tava mamando outro macho enquanto era enrabado por outro. Não podia fazer nada, tava humilhado e submisso aos 2 machos onde um deles era meu cunhado, como seria no dia seguinte?? Nisso seu amigo sem avisar ejacula na minha boca e rosto e sinto o gosto da gala de outro cara. Para não engasgar acabo engolindo uma grande parte. Rafael ainda continuava me comendo, acho que pela embreagues de ambos ja faziam quase 30 minutos ou mais nisso, quando sinto o pau do engrossando dentro do meu cuzinho, Rafael se deita por cima de mim ainda de pau enfiado puxa meu cabelo me fazendo suspender um pouco o rosto e fala no meu ouvido: Tá marcado meu viadinho, quer dizer que agora meu cunhadinho é minha fêmea agora. Vou te comer todo dia aqui no meu quarto. E gozouuuuu, ahhhhh toma leite do teu cunhado, toma, teu macho de hoje em diante. Saiu de dentro de mim e sinto escorrer a porra toda de dentro de meu cuzinho. Nisso seu amigo se prepara para me comer mas Rafael o empurra dizendo que não, que aquela putinha era apenas dele. Eles acendem a luz e pude ver os machos que acabaram de me fuder, o amigo era bem afeiçoado mas meu cunhado ainda pelado balançando aquele imenso cacete era um Deus Grego de 22 aninhos e eu com meus 30 fui comido por ele. Rafael pegou em meu braço e me levantou da cama, fui denunciado por meu pau estar duro ainda e a mancha do meu gozo na cama. Rafael sorriu sabendo que tinha me transformado numa putinha e que tinha me feito sentir prazer em ser de um macho. Encostou perto de mim inclinou minha cabeça para cima (pois é mais alto que eu) me beijou enquanto sua mão apertava minha bunda e seu dedo procuravam meu cuzinho que agora estava bem abertão. Continuou sorrindo e falando que o pau dele havia feito uma bela abertura e que para não fechar novamente ia levar mais rola naquela madrugada e nos outros dias. Me levou ao banheiro me fazendo mamar sua vara até sentir seu leite quente. Seu amigo ja estava desmaiado mas ele ainda de pau duro incansavel me comia em todas as posições, por mais 2 vezes gozei sendo enrabado por ele. tava confuso, como podia sentir prazer em ser fêmea ali para meu cunhado. Adormecemos e ele pelado ao meu lado. quando escuto bater na porta minha namorada. Falo que ia tomar um banho, saio e vou para a mesa de cafe, nisso meu cunhado chega, fico tenso, ele me cumprimenta normalmente, falando que haviamos nos apresentado ontem a noite quando ele entrou no quarto. Nisso minha namorada foi a cozinha preparar algumas coisas para comer, enquanto Rafael coloca a mão na minha perna e diz: Cunhadinho do rabo delicioso, que havia ficado fissurado no meu cu, que esperava-me a noite para me comer novamente. O primeiro mes foi quase todo o dia ele me comendo, minha namorada contente por eu me dar bem com seu irmão (dar bem!) rsrsr, eu ja estava estranho não sentia mais vontade de comer minha namorada, poucas vezes trepavamos, mas bastava entrar no quarto do meu cunhado que meu pau ja ficava duro, e tome vara a noite toda.

Meu vizinho alcoólatra me chupou por uma garrafa de vodca

Ao lado da minha casa, mora um um homem de 35 anos, aparência de cara largado e viciado em álcool. Nunca prestei atenção nesse homem, vivia caindo de bêbado na rua, ninguém falava com ele. Mais além disso tudo, era um um cara bonito, teria apenas que se cuidar. Esses dias eu estava com muito tesão, mais era além do que tocar uma punheta, tava louco pra alguém chupar meu pau. Estava sozinho em casa, com uma calça jeans e sem camisa, resolvi limpar o quintal pois no dia anterior meus pais haviam feito um churrasco para os amigos e acabou sobrando algumas garrafas lacradas de vodka. Abri o portão da garagem que da pra rua e comecei a lavar o quintal. Ja estava de noite e não tinha nada pra fazer, aproveitei pra ver se amenizava meu tesão. Só de garrafas de vodka tinham umas 4 lacradas. Juntei todas num canto perto do portão. Eis que passa, por incrível que parece sóbrio, o tal vizinho. Olhou para as garrafas e parecia um nóia procurando droga, se desesperou e disse: - Oh mano, me arruma uma garrafa dessa daí, to morrendo de vontade de tomar uma e to sem dinheiro nenhum. - ah cara, foi mal mais vou usar em outra festa ja. Disse eu - Pow mano arruma ai vai, to sem nenhuma moeda e to ja alucinado procurando o que beber. - Não vai dar não! Jaja chega uns amigos ai pra levar embora ( obvio que era mentira) Ja não estava aguentando mais aquele cara me enchendo o saco, mais não ia dar uma garrava de vodka sky pra ele é hahahaha. Vendo que não teria jeito, ele agradeceu e entrou dentro de sua casa. Do nada subiu um tesão em mim, não sei como explicar, nunca tinha acontecido aquilo, no meio do quintal, lavando tudo e com a pau visivelmente duro dentro da calça. Não da 5 minutos e o cara vem de novo no meu portão. - Ei, tenho um real aqui no meu bolso. Me vende uma dose de vodka ai vai? - cara não vou abrir só pra te dar um copo né. - então fala ai o que você quer em troca mano, to desesperado por um gole disso ai. Na hora ja logo pensei em fazer esse bêbado chupar meu pau, mais e o medo do cara achar ruim? Olhei pra cara dele e dei uma balançada no pau e continuei lavando o quintal. E nada! O cara tava apavorado, olhava para as garrafas como uma criança olha pro doce. Quando ele olhou para mim, seus olhos foram direto no meu pau, tava duro de mais, não dava pra disfarçar, fiquei até meio sem graça. - Eita! Ta com o pinto durão rs - Porra nem fala, o boneco ta louco pra gozar ja. To querendo uma boca pra mamar. - Vish, aí eu não posso te ajudar, meu negócio é mulher. - Duvido que se eu te der uma garrafa dessa lacrado tu não chupa meu pau agora! Ele arregalou os olhos e disse: - Uma garrafa dessa inteira só pra mim? Pow maluco, assim tu me quebra né rs - É pegar ou largar, você que sabe. - Pow mano nunca fiz isso, nem sei como faz. - fica de boa, te ensino. Vai chupar gostoso pra ganhar uma garrafa dessas hein! E se fizer com vontade eu dou até 2 haha Na hora o cara ja veio babando pensando na recompensa. Fechei o portão e fomos pra sala, deitei no sofá e coloquei o pau pra fora. Ele se assustou e ficou olhando pro meu pau com cara de medo sem saber o que fazer. - Relaxa cara, vou te ensinar como faz, agacha ai vai. O cara se agachou e comecei a passar o pau na cara dele. - Agora abre a boquinha e coloca a lingua pra fora Rocei só a cabeça na sua lingua e fui colocando o pau dentro da boca dele devagarinho. Mandei ele fechar a boca e fazer um vai e bem bem devagar até onde ele aguentasse. Não demorou muito e o cara ja tava chupando como profissional! Nunca pensei que isso iria acontecer, mais aproveitei e só queria saber de fazer aquela maluco tomar todo o gozo no final. - vai puto, chupa gostoso. Engole essa pica ai vai! Depois de uns minutos, ja tava pronto pra gozar, tirei o pau da boca dele e disse: - quer ganhar as duas vodkas né? Vai tomar minha porra toda escuto? Vo fuder tua boca agora e quero sentir tua garganta cheia de porra ouviu? - pode deixar mano, vou fazer o que você pedir. Peguei a cabeça dele e comecei a fuder sua boca com vontade, dei um tapa na sua cara e disse "agora vai" soquei tudo e gozei com tanto vontade que dei um gemido forte. A porra escorria pela boca dele, ainda com meu pau entalado na garganta, sentia ele engolindo tudo. Logo depois peguei 2 garrafas de vodka e dei pra ele. Foram as bebidas mais bem dadas que dei a alguem.

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

O incesto em minha vida

O que vou contar é algo totalmente forte e real.. Nasci e vivi toda minha vida com meu pai e meu irmão, minha mãe morreu quando nasci, papai com 55 anos, e meu irmão 5 anos mais velho que eu, quando meu pai não estava em casa ele estava no trabalho ou no bar a noite bebendo com amigos, ele conseguiu nos criar, apesar de não sermos ricos, não faltava nada,como eu era o único gay da familia era eu que cuidava da casa.. Eu nao deixava claro minha orientação sexual mais no fundo todos sabia, mais fingiam nao ver.. A vida sexual do meu pai era com garotas de programa ou putas que ele mesmo encontrava no bar, e trazia para dentro de casa,eu e meu irmao sabiamos sempre quando ele trazia uma mulher da rua, ele sempre chegava e trancava a porta,os gemidos eram altos e sempre ficávamos atras da porta ouvindo meu pai comer a puta ,logo o silencio pairava e voltávamos pro quarto, era algo rotineiro, e estavamos acostumados.. Eu e meu irmão dormíamos no mesmo quarto,ele se masturbava sempre que meu pai trazia alguém para casa,ver ele se masturbando era algo normal eu sempre via, já não me incomodava,apesar dele ser mais bonito que eu eu tinha nojo dele, ele tinha um suor forte e seus peidos noturnos eram pertubadores,o cheiro de chule impregnavam no quarto,ele sabia que eu era gay mais mesmo assim andava nu pelo quarto e mostrava seu dote sem nenhuma vergonha, um pau realmente grande e volumoso, mais eu nao sentia um pingo de desejo, era como se estivesse uma mulher nu em minha frente da mesma forma era o papai quando andava de cueca ou nu, nao conseguia sentir nada.. Muitos aqui diriam que sentiam tezão mais eu nao ,eu senti nojo por ele e pelo meu pai tambem, eu tinha ansia de vomito de imaginar ficar com eles,no dia do aniversario do meu pai, ele convidou a gente para ir com ele ate o bar que ele sempre ia, eu nao gostava de bar afinal só tinha gente feia, e bebada, meu irmao com muita insistencia acabou forçando eu a ir ja que era niver do papai e tinhamos que estar com ele.. Sentamos na mesa do bar e as pessoas ficavam olhando afinal nunca tínhamos sentado naquele ambiente, meu pai pediu uma cerveja e eu comecei a beber, meu irmão também descontraído, começou a beber e ficarmos alegres, foi uma, 2 , 3 , 4 8, 10 cervejas, ate que sentou uma mulher, na nossa mesa, elogiando eu e meu irmao , era uma das putas que meu pai ja tinha pegado,disse que eramos muito bonitos e que nos deveriamos ir la mais vezes.. Eu nao estava mais aguentando ve-la me olhando com desejo, eu ja estava quase caindo, e disse que iriamos embora, meu pai disse que tambem ja era hora de ir, a mulher oferecida disse que iria com a gente,estavamos todos muito bebados como o bar era a 3 quadras de casa nao era problema, chegamos em casa meu pai ja levou aquela mulher para dentro do quarto, e deixou a porta entre aberta, meu irmao totalmente ereto, ficou ouvindo e olhando por de trás da porta a mulher oferecida disse ao meu pai.. -chama ele.. -ele é meu filho.. -chama os dois.. Eu ouvi ela falando meu irmao disse vamos entrar, puxou minha mao e eu puxei meu braço e disse que nao que nao iria entrar, meu irmao entrou primeiro, tirou a cueca e deitou na cama, eu entrei em choque,meu irmao totalmente ereto e meu pai tambem, ambos beijavam e se esfregavam nessa mulher que nao era nada bonita,quando ouço meu falar.. -bruno venha logo.... Entrei no quarto e vi meu pai e meu irmao beijando e chupando aquela mulher, deitei ao lado da cama, e ela começou a passar a mão em mim, eu não tinha reação,imóvel fiquei parado observando eles , minha cabeça pesava meu pai penetrava com tanta força naquela mulher e ela chupava meu irmao engolindo todo seu pau,em momento rápido ela pego o pau do meu irmao levando ate minha boca, quando me vi estava com o pau do meu irmao na minha boca,agradavelmente gostoso, aquele nojo que eu sentia parecia nao existir mais,aquele pau pesado e cheio de pelos enchia minha boca,eu mamava meu irmao e ele beijava ela, olhei para meu pai e meu pai me olhava nos olhos, ele fudia ela e me olhava,de repente eu apago.. Quando acordei meu pai estava emcima de mim de bruços penetrando em meu rabo,nao acreditei olhei para baixo o pau do meu pai estava todo em mim,olhei pro lado meu irmao comia aquela mulher,parecia que eu estava sendo rasgado e partido ao meio, eu sentia seus ovos baterem em mim fortemente, ainda tonto, novamente apago, quando acordei novamente meu irmão estava emcima de mim metento, senti os socos e movimentos repentinos em meu rabo,eu ja nao sentia dor, o alcool parecia ter me deixado sem forças, e sem sencibilidade,olhei pro lado meu pai estava colocando a cueca e a mulher se vestindo,meu pai saiu do quarto com essa mulher e eu desmaiei dormindo e acordando depois do meio dia.. Acordei desesperado parar ir ao banheiro, meu cu estava aberto, molhado,senti uma forte vontade de defecar, sentei no vaso e saio esperma e merda de dentro de mim,meu cu ardia e parecia que eu estava voltando ao normal,nao acreditei no que tinha feito,meu irmao nervoso bate na porta do banheiro querendo usar o banheiro, abro a porto e ele entra pra debaixo do chuveiro,olhei discretamente para seu pau e estava esfolado, todo vermelho,alevantei do vaso e observei que seus olhos olhavam para minha bunda, sai do banheiro e esperei ele banhar para que eu pudesse usar.. Tomei banho e meu pai chegou,ficamos na tv , meu pai entrou e foi direto pro chuveiro, quando saiu olhou estranho para mim, mais nao falou nada, chegou no meu irmao e falou.. -mulher safada ficar com 3 machos kk -muito gostosa pai.. Fiquei só ouvindo,alevantei e fui pro quarto, quando ouço meu pai fugicar com meu irmao.. -voce acha que ele lembra de ontem.. -nao sei acredito que nao ele estava muito tonto.. Ouvi tudo,eles acharam que eu nao lembrava, alguns pontos foram perdidos mais outros eu lembrava, foi ai que o incesto entrou em minha vida,e a relação incestuosa so estava começando

Meu irmão se masturbando

Os dias foram passando e sempre me pego observando a mala do meu irmao, e do meu pai, principalmente do meu irmao porque dormimos no mesmo quarto,logo pela manha quando ele acorda sempre escuto o barulho do seu mijo,parece uma cachoeira caindo em meu quarto.. Foram trabalhar e eu fui estudar cheguei em casa cansado e fui dormir mais cedo eu estava morto de cansado, deitei e meu irmao ficou no pc, mais la para meia noite eu despertei com um barulho,abri meus olhos lentamente e o que eu vi, quase fez meu coração sair pela boca. Meu irmão estava tocando uma punheta. O movimento de vai-e-vem do cobertor, na altura da cintura dele, entregava tudo. Uma grande felicidade tomou conta de mim! Saber que meu irmão estava sentindo tesão e se masturbando, olhando fixamente para a minha bunda não sá estava me deixando super feliz, como quase me matava de tesão! Estava difícil permanecer imovel, eu podia ver claramente os olhos de meu irmão, fixados em minha bunda! Pude ver também quando ele pôs a mão na boca para cuspir para posteriormente passar em seu pau. Sua punheta começou a ficar barulhenta e aquele nhec-nhec que seu pauzão produzia,seu note estava aberto nao sei o que ele assistia meu eu sabia que me olhava.. No outro dia eu decidi dormir pelado,depois eu conto pra voces.

Foda com o instrutor da academia part 2

Ai pessoal beleza, está sendo muito legal compartilha com vocês essa história que esta aconteceu comigo, pois é essa loucuras só acontecem comigo. Vamos deixar de enrolação e continuar. Tirou toda a roupa ficando apenas com uma cueca box branca ( nossa que visão aquela ele branquinho bem sarado ) , deitou em cima de mim segurando os meus braços foi beijando o meus pescoço chegando perto da minha boca, me beijando eu chorava muito pedindo para ele parar, mas ele nem me escutava com aquele ar de fúria, me segurava com tanta força, foi tirando minha camisa, chupando os meus peitos descendo até minha barriga, tirou o meu calção junto com a minha cueca nessa hora eu falei chorando. Eu: não faz isso cara por favor. Rafael: eu sei que você está gostando. E continuo, ele tinha uma pegada nossa, me virou de bruços deitou em cima nossa sentir aquele peso, ele mordendo a minha orelha, quando sinto aquele pau quente na minha bunda e ele falando que bunda linda, redondinha, cara você e muito gostoso, foi tentando enfiar o pau no meu cú, mais que dor quando o pau dele entrou parecia que estava me rasgando tudo, colocou o braço meu pescoço e ficou metendo uns 10 min nessa posição , depois me virou ficou metendo de frango assado me beijando eu não parava de chorar longo aquilo foi passando foi ficando bom e eu cedi parei de tentar me soltar, ele parecia um ator pornô, metia com uma maestria. Eu estava confuso não sabia se estava gostando ou não, de repente ele tira o pau e goza em cima da minha barriga, então ele me solta, eu limpo minha barriga visto minha roupa correndo, ele fica me olhando deitado na cama , logo levanta veste a roupa e vem em minha direção e fala . Rafael: me desculpa eu não queria fazer isso com você. Eu: me deixar ir embora por favor. Ele paga a conta entramos no carro saímos do motel no caminho eu continuava chorando, ele fala não chora eu gosto muito de você. Eu: eu não quero ver você mais nunca, eu tenho nojo de você, para esse carro. Fábio: não eu te levo em casa. Eu: se vc não para eu vou começar a gritar aqui. Ele para o carro eu desci, ainda bem que estava perto de casa, quando chego na rua onde mora vejo meu irmão e o Eduardo grande amigo nosso sentado na calçada conversando, passei por eles correndo pra eles não me ver chorando, mas ele me viram entrei no meu quarto me deitei na cama. Logo em seguida aparecem os dois no meu quarto e fala. Bruno: o que houve maninho por que você está chorando desse jeito. Eu: sai daqui eu quero ficar sozinho. Bruno: fala pra mim. Eu: não aconteceu nada. Meu irmão falou pro Eduardo ficar comigo que ele iria ligar para nossa mãe já que ela não mora nessa cidade, Eduardo sentou na cama ao meu lado ficou passando a mão no meu cabelo. Eduardo: não fica assim, o que quer que tenha acontecido já acabou. Logo meu irmão aparece e fala o celular da mãe está desligado, e eu tenho que ir dormi na casa da minha namorada pois ela está só e tem medo de ficar sozinha em casa, ele perguntou se o Eduardo poderia dormi lá em casa para cuidar de mim, ele prontamente disse que sim. Meu irmão me abraçou me deu um beijo na cabeça, e fala amanhã quando você estiver pronto para falar estarei aqui tá, você sabe que eu te amo né. (pois gente meu irmão é louquinho por mim ele que toma conta de mim já que vim mora com ele em para estudar e deixei nossos pais em outra cidade. Então ele foi para casa da namorada. Ficou eu e o Eduardo no quarto ele. Eduardo: Gustavo vai tomar banho vc está todo suado, eu posso te ajudar se quiser? Eu: eu acho que dou conta de tomar banho sozinho Então vou tomar banho todo dolorido, levanto entro no banheiro fico uns meia hora, minha bunda estava ardendo muito, sai me enxuguei, vesti só um calção e falei pra ele. Eu: dorme aqui no quarto comigo eu não quero ficar sozinho. Eduardo me abraçou e fala claro que sim e deitou ao meu lado ficou passando mão na minha costa, sei que dormi, acordei no outro dia era sábado Eduardo continuava dormindo, logo me veio na cabeça o que tinha ocorrido, fiquei com medo pois no fundo eu estava sentido algo pelo Rafael, mas eu não queria que acontecesse dessa forma. Meu telefone tinha uns 12 chamadas com um número desconhecido desliguei o telefone não estava afim de conversar com ninguém. Meu irmão chegou falou. Bruno: tá melhor Eu: sim Bruno: vai me falar o que houve? Eu: hoje não depois. Ele me abraçou e falou você sabe que me preocupo muito com você, respondi que sim, ele falou que iria levar Amanda na casa da vó dela que é em outa cidade e ficaria e voltaria na terça já que segunda era feriado, qualquer coisa você me liga. Pegou algumas roupas e foi embora. No domingo Eduardo passou o dia inteiro lá em casa dormiu de novo comigo. Segunda ficou comigo até a noite logo falou que tinha que ir para casa pois tinha que termina um projeto que ele já tinha esquecido ele e meu irmão são engenheiros civis, eu falei está bem perguntou se eu ficaria bem eu respondi que sim, e saiu. Quando era uns 20:30 alguém bate na porta eu vou abrir quando vejo é o Rafael tento fechar a porta novamente mas ele emburra e entra..