quarta-feira, 5 de julho de 2017

Primeira experiência com um amigo da escola 2.

A bunda do Michel era maravilhosa. Proporcional ao corpo dele. Ele era um cara grande. POrte de jogador-e ele jogava mesmo e muito bem- sua bunda era malhada. Quando estava tocando seu cu, o tesão me invadiu e eu gozei. Mesmo sem tirar o pau de dentro das calças. Mesmo sem tocá-lo. Eu gozei. Ele gozou também enquanto eu masturbava seu pau. E gozou muito. Fiquei impressionado com seus gemidos enquanto eu o punhetava e tocava no seu cu. Quando terminou. Ele ofegou. Respirou. Encontrou forças e se levantou. Enquanto andava até o banheiro eu olhei para a sua bunda. Suada pelo esforço. Os pelos molhados. Sua bunda balançava como uma melodia enquanto ele andava. Coloquei a mão dentro das minhas calças e senti o gozo. Eu também não tinha gozado pouco. Michel tomou banhou. Depois que saiu, conversamos. Não tocamos no assunto. Foi como se nada tivesse acontecido. Não sei se ele notou que eu tinha gozado. Esperei ele ir embora para poder me lavar. Meus pais chegavam lá pelas 18hrs, então, ele foi embora às 17:30hrs. Passei a noite pensando nele. No seu pau gozando, mas principalmente na sua bunda. Eu não conseguia esquecê-la. O toque no seu cu. Era como se eu ainda o sentisse nos meus dedo. Seu cheiro, seu gosto. Bati duas punhetas antes de mim pensando naquilo. Ambas gozei bastante. No outro dia, na escola, achei que tínhamos ido ao limite da nossa amizade. Com certeza, ele não falaria mais comigo. Achei isso. Ele ficaria com medo ou receio de continuar a nossa amizade. O que era uma pena porque eu queria muito vê a bunda dele de novo. E também, ele era meu único amigo na escola. Isso me isolaria por completo. Mas não foi bem assim. Assim que entrou na sala, ele veio falar comigo. Como sempre, me deu um tapa na cabeça e me chamou de nerd. Sorri. Satisfeito. COntinuaríamos amigos. Mesmo que não repetíssimos a dose, eu ainda o teria como amigo. Pra mim, isso era bom. Durante toda a aula não deixei de pensar no que tinha acontecido. Sempre que, de alguma forma, ele se via de costas para mim, eu ficava fitando a bunda dele. Volumosa dentro daquele jeans. Lembrava d'eu a tocando. Sentindo seu gosto. Ficava excitado. Tentava desfarçar a ereção com um livro. Em um momento não aguentei mais. Eu precisa bater uma punheta. Sai da sala e fui ao banheiro. Na hora da aula, os banheiros eram sempre vazios. Os professores nunca deixavam os alunos sairem da sala, nem pra ir ao banheiro, eles sabiam que era só uma desculpa para eles fugirem. Mas eu era um ótimo aluno. Os professores sabiam que se eu pedia pra ir ao banheiro, eu realmente ia ao banheiro. Aproveitei a confiança e pedi licença para a professora. Ele permitiu. Saí. Quando cheguei ao banheiro. Tranquei-me logo e um dos box. Coloquei o pau pra fora e comecei a masturba-lo. Segundos depois, quando eu já estava de olhos fechados, visualizando na minha mente o cu do Michel, alguém bate na porta do Box. Fico nervoso. Será que alguém tinha me visto? Droga,uma bela fama. O nerd punheteiro. Miha vida naquela escola estava acabada. Guardei meu pau e abri a porta. Para minha surpresa, Era Michel sorrindo pra mim. Os professores não deixavam ninguém sair da sala. A não ser que você fosse um aluno bagunceiro e você preferisse tirá-lo da sala do que deixa-lo lhe atrapalhando na aula. Michel. -fazendo o que Eu quase gaguejei ao dizer mijando Ele entrou no box - Que não era muito grande e mal cabia duas pessoas- e fechou a porta. -Eu tou vendo teu pau duro ai. -o que você tá fazendo aqui? -ta batendo punheta desde ontem? -vão nos pegar. -você ta me devendo. -o que? Não entendi. -O combinado era. Eu faria uma coisa pra você e você uma pra mim. Deixei você vê minha bunda em troca de você me bater uma punheta. Você pegou no cu, ou seja, você me deve uma coisa agora. -se você não queria por que não mandou eu parar? -eu tava quase gozando. Não ia interromper por que você tava com o dedo no meu cu. Vocês não imaginam como era excitante escuta-lo falando aquilo -ta bom. Vai mais tarde lá em casa e eu bato outra pra você. -Não. agora. -quer que eu bata uma pra você agora? -Não. Quero que você bata uma punheta -han -isso cara. poe esse pau pra fora. Bate e goza. Quero vê -não. -você me deve. Eu estava muito excitado. Eu queria muito não fazer aquilo, mas eu queria muito fazer aquilo também. Então, mandei minha vergonha pro inferno. Arriei minhas calças e coloquei meu pau duro pra fora. Eu era um cara pequeno, magro, fraco, mas meu pau não como eu. Tenho 20 cm de pau. Michel era um cara grandão. Mas nossos paus eram quase do mesmo tamanho. O dele era mais grosso. Ele pareceu impressionado ao vê. -olha só, quem diria o nerdinho. Comecei a me punhetar. Michel ficava apenas olhando. Não se movia. Não piscava o olho. Apenas olhava enquanto eu me masturbava. E eu olhava para ele. Esperava ele por o pau pra fora também. O box era minusculo. Se ele fizesse isso, com certeza, nossos paus se crizariam. Meu pau estava quase encostando nele. Eu tinha que mira-lo para cima para poder não encostar na barriga dele. continuei. Vez ou outra, Michel dava um sorriso safado. Meu pau começava a babar. Aumentei a velocidade dos movimentos. Fiquei ofegante. -se eu gozar, vou te sujar disse ofegante ele apenas disse -GOZA e eu gozei O gozo melou tanto a mim, quanto a ele. Gozei de mais. Parecia que era litros. Me conti para não gemer alto. Michel apenas sorria. tanto sua farda quanto a minha estavam sujas de gala. Ofegante, eu disse. -o que a gente faz agora? -você eu não sei. Eu tou indo pra casa. Fui suspenso. Eu ainda tinha duas aulas. Eu não podia gazear duas aulas. Eu nunca tinha feito isso. Os professores iriam perceber. E eu não podia voltar pra sala de aula com a farda toda gozada. Fiquei desesperado. -o que eu faço então? -te vira, cara. Quem mandou brincar com o meu cu.Mais tarde a gente se vê na tua casa.. Fwl nerdão Ele foi embora. Simplesmente. seus livros estavam em cima da pia. Ele os pegou e se foi. E eu...Eu estava muito ferrado. Votem no conto, pessoal. Para eu saber se estão gostando e eu poder continuar. Obrigado a todos.

0 comentários: